Português | English

Cartas

O PASTOR PEDIU. FUI. ELE CONTOU PRA MULHER...  e agora?

O PASTOR PEDIU. FUI. ELE CONTOU PRA MULHER... e agora?



----- Original Message ----- From: O PASTOR PEDIU. FUI. ELE CONTOU PRA MULHER... e agora? To: contato@caiofabio.com Sent: Thursday, March 02, 2006 8:37 PM Subject: urgente - morte espiritual A Paz, Caio! Preciso muito de uma palavra sua. Estou vivendo uma situação muito difícil onde tudo começou no dia 29/12/2005. Eu era membro de uma igreja e aconteceu que o pastor se aproximou de mim dizendo que estava apaixonado e não agüentava mais guardar isso com ele. Caio eu também me sentia atraída; porém sempre longe; mas não agüentei e cedi; e fomos pra cama, onde começou a verdadeira desgraça em minha vida. Fui clara com ele e disse que apesar de estarmos ali, isso não poderia continuar e que ele prosseguisse sua vida, pois ele é casado há 20 anos e tem uma família. Caio achei que ele tinha entendido, porém ele contou pra esposa no dia 01/01/2006, sem ao menos me comunicar! Foi horrível, pois a esposa dele me chamou no gabinete e me atacou. Permaneci de boca fechada, sempre negando; pois não sabia exatamente o que ele havia dito. No decorrer da discussão descobri que ele não havia dito toda a verdade. Fui embora com uma sensação de morte, pois me senti apunhalada pelas costas. Hoje me sinto vazia como se tivessem roubado a minha alma; e me pergunto todos os dias por quê ele fez isso... Não consigo resposta, pois, pelo que sei, ele comunicou aos filhos e continua exercendo o pastorado. Caio, saí da igreja que já estava há 6 anos e ninguém que sabe do que aconteceu me prestou assistência. Estou muito abalada com tudo; não confio mais nas pessoas; e o que mais me dói é que ele disse que fez tudo por temor a Deus. Como, se estou morta? Caio, me ajude por favor! _____________________________________ Resposta: Minha querida irmã: Graça e Paz! Sinto de todo o coração que isto tenha acontecido. É obvio que vocês não são crianças e sabem as conseqüências de todo e qualquer ato humano nesta vida. A Graça, que é favor imerecido, é amor Daquele que nos amou primeiro; ou melhor: que se imolou por nós antes de criar qualquer coisa, visto que o Cordeiro de Deus foi imolado por nós antes da fundação do mundo — é também Graça (favor imerecido) quando nos corrige, visto que é bondade de Deus que sejamos apanhados em nossas sombras; do contrário, cairíamos no pior de todos os mundos, que é o que Paulo chama de “uma disposição mental reprovável”. Tiago diz que quem ensina tem mais responsabilidade do que quem senta pra aprender. Portanto, a responsabilidade espiritual dele é maior. No entanto, quando o tema é homem e mulher adultos, tenho que dizer que tanto você quanto ele fizeram apenas o que queriam: ir pra cama um com o outro. Prova disso é que você disse que tinha uma atração por ele — a qual ele deve ter percebido, pois não seria suicida a ponto de se “declarar” se não soubesse com certeza o potencial do resultado: cama —, e, em razão disso, “cedeu”, como você pôs a coisa; embora, ainda na cama, depois do ato, tenha vindo de sua boca a sensatez que lhe faltou ANTES de ir pra cama com ele. Já do lado dele, pode ser que além do desejo de “conhecer” você (pela certeza de que você toparia, nem que fosse só uma vez...), havia, também, uma “agenda oculta”. Ou seja: é possível que ele tenha usado você a fim de acabar o casamento dele, já que ele não tem coragem de fazer isto por conta própria; então, arranja um “bode expiatório”, uma “mulher-catalizadora”, a qual carregará a “culpa” publica de ter sido a “Jezabel” que seduziu o “pobre do pastor”. No entanto, se ele fez assim, o que ele não contava é com o fato da mulher dele ter ficado, e ter enfrentado você. Certamente o que ele queria era o fim do casamento, e, também, condescendência da “igreja” para com ele; afinal, o “ungido do Senhor” foi seduzido por uma “pomba gira” que veio só pra acabar com ele. Coitado! Sendo assim, se é que se assim é, o que lhe digo é o seguinte: 1. Reconheça que você topou ir porque queria ter um affair com ele, embora jamais desejasse que a coisa virasse uma “decisão de vida ou morte”. Ou seja: reconheça a sua parte, que é: você o desejava e queria saber como era, pelo menos uma vez; ou ainda: veja a possibilidade de que você mesma, depois do ato, tenha visto que jamais daria certo com ele, não apenas por ele ser casado, mas porque ele mesmo não encheu você de quase-nada inspirador. Não há cura se não há verdade. Assim, ao invés de se sentir apenas uma vitima, veja também as suas motivações; pois, para mim, você foi para um programa com o pastor; você só não contava é com o fato de que ele poderia ter outros programas e planos na cabeça. 2. Não espere visitas e amores da “igreja” numa “hora como essa”. Não existe tal coisa dentro da “igreja”, e você já deveria saber disso. No entanto, seu negocio não é com a “igreja”, mas com Jesus. Ou não é? Pois bem, se seu negocio é com Deus, então, ao invés de se queixar, agradeça a pancada que levou; pois, saiba: certamente você estava precisando dela. 3. Quanto a ele, deixe-o lá. Escreva-me dizendo onde você mora e verei se posso ajudar você a encontrar uma igreja para freqüentar e receber ajuda e alento na verdade. A última coisa que desejo dizer é que a gente precisa aprender o significado do principio que diz que o que o homem semear, isso mesmo ele ceifará. O ladrão que morria ao lado de Jesus na cruz recebeu Graça e foi para o Paraíso, porém, na história, experimentou as conseqüências de seus atos. Na Graça a gente tem perdão de Deus para viver, para evitar o mal, e para se levantar quando tropeça, tantas vezes quantas aconteçam sem cinismo deliberado contra a bondade de Deus. No entanto, apesar de perdoados, a Graça não nos faz suspensão da realidade. Não! Ao contrario, a Graça que nos perdoa é a mesma que nos faz experimentar o significado de nossos atos, não para nos punir — afinal, já estamos perdoados —, mas para nos fazer viver na verdade, a qual, nunca se dissocia da realidade da existência. O pior mal que pode acontecer a um ser humano é ir semeando o mal sem nunca colhê-lo, na Terra, como tal. Os que passam “ilesos” viram diabo! Quando isto acontece significa que há uma suspensão da Graça sobre a pessoa, o que equivale a dizer que ela está sob a ira de Deus, a qual, nada mais é do que a nossa entrega, feita por Deus, à nossa própria disposição mental reprovável. Leia os evangelhos de cabo a rabo e leia este site todo. Vi que você me escreveu apenas porque sabe que não me escandalizo com nada, mas também senti que você esperava de mim um “é assim mesmo”... ou coisa do gênero. Mas não estou aqui para agradar você. Do pastor Deus cuidará. Cuide de você mesma, e comece por não se vitimar e ter a coragem de dizer que você foi porque quis, e, depois, viu que não seria legal. O mais, se o cara usou você ou não para outros fins, saiba: Deus mesmo revelará! Quanto a você, cuide sua alma! Com todo respeito, carinho e com desejo de vê-la bem, peço que leia esta carta com todo amor e pedindo Graça e lucidez para entender o que eu lhe disse; e, também, peço a você que olhe para si mesma a fim de saber quais eram as motivações de seu coração antes, durante e depois de tudo isto. Nele, que não se escandaliza com nada, e nem olha pra você como um ser sem consciência, antes, com desejo de forjar fé e consciência em você, Caio