Português | English

Cartas

O LUKAS FEZ BEM A TODOS NÓS—Flávio Siqueira

O LUKAS FEZ BEM A TODOS NÓS—Flávio Siqueira

-----Original Message-----

From: Flavio Siqueira

Sent: quarta-feira, 14 de abril de 2004 11:43

To: contato@caiofabio.com

Subject: O LUKAS FEZ BEM A TODOS NÓS — Flávio Siqueira

 

Já faz algum tempo que tenho visitado seu site. Escrevi algumas vezes, te liguei outras; já me alimentei muito aqui.

Ser cristão hoje é difÍcil, porque praticamente só temos referências negativas. É maravilhoso aprender durante nossa caminhada na terra, mesmo cheia de ambigüidades e problemas, o quanto é doce a graça de Deus. É tudo graça, tudo é.

Senti um pouquinho da sua dor com tudo o que já passou, mas especialmente com a morte do Lukas. Tenho um filho de 1 ano e não consigo imaginar como deve ser duro.

Mas tô te escrevendo pra dizer que com tudo o que houve, algo diferente está acontecendo aqui no site também. As questões de "pode ou não pode" , "sexo ou não sexo", têm ficado um pouco de lado em razão de assuntos maiores. Vida e morte, vida na morte, doçura na tragédia, dor banhada em paz.. É tudo muito grande. Gente se reaproximando...e uma revolução na alma de todos.

"Sentir um pouco" do que o Lukas vive hoje , ver a semente que caiu se transformar em árvore...Tudo isso tá aqui no site.

Acho que é sua vez de falar, se abrir, dizer o que tá sentindo...

Nós lemos, aprendemos e crescemos com sua dor. Não que as outras questões não sejam importantes, mas a sua dor fala pra eles também. E como fala.

Eu, que, não conheci o Lukas, agora o conheço. E o conheço não como o possam ter visto por aqui, “à distância”; mas como parte daquilo que Deus tem feito na sua vida, de seus familiares, e na minha também. Um dia estaremos todos juntos lá.

Não quero falar muito ou escrever um longo e-mail, mas esse aqui é só pra dizer que, além de tudo, temos crescido através da sua dor. Morte, vida, eternidade, paz ...têm calado as cansativas e infantis questões evangélicas atuais.

É nesse rio que quero beber. É nos caminhos Dele que quero seguir. A morte? a morte é lucro.

Beijo do seu amigo (e do Lukas também),

Flávio

___________________________________________

Resposta:

Meu amigo Flávio:

Pensai nas coisas lá do alto, não nas que são aqui de baixo!

No início de janeiro deste ano eu escrevi o seguinte texto:

 

_____________________________________________

Hoje eu estava lendo o site como se eu não fosse eu. Como se eu fosse um de vocês, e estivesse chegando hoje; e me perguntei: o que eu pensaria sobre o site?

Eu faria o seguinte: Iria ler os textos que não fossem as Respostas às Cartas, para saber o que o cara do site pensa, porque certamente eu imaginaria que aquilo que ele escreve como Artigo, Reflexão, Devocionais, Histórias, Quase Diário e Influências seriam os elementos da Proposta do cara do site para os outros.

E leria Cartas e Testemunhos para saber o que as pessoas têm na cabeça, razão pela qual perguntam o que perguntam, com toda clareza e liberdade.

Se eu lesse o site assim... eu diria que eu penso muito em muitas coisas durante o dia, razão pela qual escrevo as coisas que escrevo, pois elas são aquelas que me inspiraram ou me mexeram, de algum modo. E geralmente esses temas me vêm de pequenos pensamentos, de um rabichinho de mensagens recém pregadas, de um documentário, de um papo, de uma leitura bíblica, de uma pequenina observação do próximo, de algum sentimento que me subiu ao coração, e acabou virando idéia, e depois letra, na sua tela.

Mas em Cartas estão vocês. Assim, a Internet favorece essa troca de interesses também. Eu respondo o que interessa a você, mas gostaria que você lesse o que eu penso sobre tudo o mais, e que você só encontrará se visitar outros cantinhos dessa minha choupana virtual amazônica, localizada no cyberspace.

De cada 10 cartas que recebo, cerca de 8 são sobre sexo e seus derivados...afetivos, lascivos, depressivos, angustiados, esperançosos, culpados, auto-justificados, sem alternativa, realizando para poder ter um jeito de gritar: "Estou infeliz!", ou, quem sabe, "Não me deixa, pelo amor de Deus!", ou, ainda,"Deus, perdoa-me, porque eu pequei!"

A pergunta é: "Seriam as pessoas que freqüentam esse site gente que só pensa em sexo?"

Minha resposta é sim e não!

Sim, porque todo mundo...todo mundo mesmo...de um modo ou de outro...passa pelo sexo, seja ele expresso pela suavidade da sexualidade, seja pela culpa de sua sadia e insistente presença nas almas morais, seja pela necessidade de experimentá-lo, como acontece com todos os que viveram se negando ou adiando tal admissão de desejo...e apenas aumentando ainda mais o próprio desejo.

Todas as guerras militam na carne. E todas as obras da carne acabam de um modo ou de outro se originando ou, pelo menos, se mesclando com as questões e pulsões de natureza sexual, mesmo quando travestidas de muitos uniformes.

Bem, este foi o meu “Sim”. Agora, vejamos o meu “Não”.

Não, porque essas mesmas pessoas que me escrevem falando sobre questões sexuais, também freqüentam outros ambientes virtuais, de tal modo que literalmente ninguém sabe de onde o cara está vindo, e nem para onde ele está indo...Pode ter vindo de um site erótico, passado nos puritanos para se purificar, chegado ao www.caiofabio.com para dar uma humanizada, e está indo para algum bate-papo gospel para ver “se rola”, sendo que no fim de noite a pessoa ainda pode entrar em buracos negros, aqui na Internet.

Verdadeiros mistérios, onde só Deus sabe. Para o bem, e para o mal. Hoje o que assistimos é à total banalização do sexo. É muita oferta de sexo. De fato, nesses dias, só não faz sexo quem não quer mesmo, pois a oferta é abundante. E as loucuras não têm fim. É sexo de mulher com cavalo, com porco, com cachorros, com o braço inteiro de um homem forte, sem falar nas “inocências” das orgias de homens e mulheres...que viram cenas menores depois das bestialidades anteriores. E os papos, e os sites de encontro, e as ofertas eletrônicas, sem falar no sigilo do serviço, de sua verdade de oferta, e da total falta de pudor quando alguém quer o que se está oferecendo.

E o nível da doença cresce tanto que tem gente que diz que teve um relacionamento todo tendo sexo virtual. Não dá para eu imaginar como conseguem ficar nesse nível de cobiça abstrata e imaterial...por tanto tempo. Para mim seria impossível...porque é impensável.

Deve ser também porque sexo é tabu na “igreja” e, quando aparece um sujeito como eu, que sinceramente não está interessado em nada que não possa afirmar com fé, franqueza, fraqueza... tentando sempre ficar cauteloso de algumas consciências mais fracas, mas jamais sem sinalizar a direção de suas convicções, e de sua pertinência, conforme a necessidade da pessoa—então muitos, muitos, muitos, mesmo, falam! E como as pessoas crêem que não serão jamais descobertas e nem devassadas, elas simplesmente falam mais sobre sexo para mim, na mesma medida em que não sentem liberdade de falar sobre o tabu nas cercanias da irmandade, na “igreja”.

E se é para todo mundo vomitar o pus, bom será que o façamos, e de uma vez, pois daí pra frente cessam muitas tolices, sem falar que o sexo continuará muito importante, mas já não é mais será um diabo na consciência, levando as pessoas a abismos cada vez mais profundos.

Outro dia encontrei um amigo bispo no aeroporto de Congonhas, em S.P. Ele estava ao lado do irmão-amigo que me aguardava. Conversamos rapidamente. “Tenho ido lá no seu site...e pô, a coisa é pesada lá...” — disse ele. “Nada que você, eu, ele, e todo mundo já não soubesse...Ou você não sabia?” — indaguei.

Gente, os evangélicos precisam saber que a nossa melhor chance é admitir que somos doentes e que precisamos de médico. O Senhor terá misericórdia de nós se confessarmos os nossos pecados, e se deixarmos livres as almas aflitas, soltando as ligaduras da servidão, e servindo a nossa própria alma como pão para o faminto.

Quando deixarmos de ser hipócritas, legalistas, moralistas, escapistas, incrédulos, sem escrúpulos, e propensos muito mais a não permitir “a aparência do mal” do que de fato não fazermos o mal sob qualquer outra aparência, até a do bem. Sim! então veremos o varrer da Graça e sentiremos o banho do Espírito!

Cada casa tem sua ferida! Cada ferida tem sua casa! Feridas temos todos! Feridos somos todos! Mas pelas suas pisaduras nós somos sarados. E o castigo que nos traz a paz estava sobre Ele... Ele é a nossa paz!

Há de tudo aqui na Internet. Todos somos o mundo aqui dentro. E estamos a um clique de qualquer mundo ou submundo. Agora, mais uma vez, se renova a oração de Jesus: "Pai, não te peço que os tires da Internet, mas que os livres do mal!"

Eu gostaria que você recomendasse esse site para seus amigos “não cristãos”. Deixe que eles vejam desde já a diferença entre Cristo e o Cristianismo, entre Jesus e “igreja”, e entre a Igreja e o Mundo. Sim, deixe que seu amigo ou amiga comecem sem idiotice, sem misticismos, porém com fé e confiança em Jesus, sabendo quando é que se está falando Dele e quando é que apenas se está “usando” o nome Dele.

Outro dia eu senti um desejo enorme de que Deus cure não apenas as almas de muitos aqui, mas que também faça deste espaço virtual um lugar de Poder no Espírito Santo, fazendo sinais, prodígios e maravilhas. Esta semana eu comecei a ter a confirmação disto.

______________________________________________

 

Assim escrevi em janeiro. Lembra?

Ontem eu disse a um amigo que sentia que o site deu um salto para o essencial: a vida e morte!

Claro que temos que tratar das dores de todos e de todas as dores; pois todas as questões são importantes; e por mais comezinhas que algumas pareçam, são dessas pequeninas coisas que grandes problemas crescem e dão metástase na alma.

Os sintomas dos problemas podem até se manifestar como “sexo”, mas o que está na base de tudo é a alma...Portanto, questões, também, de vida ou morte.

O que tenho observado é que, de fato, dado ao inescusável fato da morte de Lukas, Deus nos deu a todas a chance de pensar na vida, não como problema, mas como jornada onde se forja o ser...para a Verdadeira Vida.

Um grande beijo.

Nele, que nos chamou para a Vida Abundante, não sem andar enquanto se chora,

 

Caio