Português | English

Cartas

O Dízimo, é uma Lei para Hoje?

O Dízimo, é uma Lei para Hoje?

-----Original Message----- From: josie Sent: quarta-feira, 8 de outubro de 2003 19:32 To: contato@caiofabio.com Subject: Dízimo Mensagem: Oi Caio, É a terceira vez... tudo bem eu entendo tuuudooo. Só queria saber o que você acha sobre o dízimo, já que o apóstolo Paulo em nenhuma de suas cartas menciona o dízimo, fala de ofertas. Jesus mencionou o dízimo sempre quando fez referência aos fariseus, hipócritas. O dízimo é no"ministério da lei" ou também vale para o "ministério do espírito" ? Um beijão, Jô *************************************************** Jô: Paz Leia o que segue: O texto de Malaquias 3, sobre os dízimos, é o favorito da “igreja” nas questões de contribuições financeiras. O que não percebemos é que o N.T. não se utiliza dele como Lei da Graça quando se trata de dinheiro. O texto de Malaquias fala do Templo-Estado! A Igreja não é assim! A leitura de Paulo nos conduz à generosidade espontânea. O que, em amor, pode ser muito mais até que o dízimo. Mas não é uma Lei, é uma Graça (II Coríntios 8). Ao escolhermos, seletivamente, Malaquias como o Santo das Contribuições, sem o sabermos, estamos dizendo quatro coisas: 1) Nosso desejo de que a Igreja esteja para a sociedade assim como o Templo-Estado estava para a população de Israel. 2) Nossa seletividade arbitrária quanto a determinar o que, da Lei, nos é conveniente. 3) Nossa incapacidade de ver que Malaquias 3 tem sua atualização na Graça em II Co 8 e 9. 4) Nossa ênfase na idéia de que aquele que não contribui é ladrão, põe aqueles que “cobram” no papel de sacerdotes-fiscais dos negócios de Deus na Terra. Em Atos 5: 1-11, diz-se que dá quem deseja! Dar sem desejar ou dar mentindo gera morte, não vida! Ananias e Safira foram disciplinados pela Liberdade que nasce da verdade e não a fim de gerar medo legalista na Igreja. Eles morreram por terem traído a Graça de dar ou não dar, ser ou não! Eram livres para não dar, não para mentir ao Espírito Santo! Dar não os tornaria maiores! Não dar não os tornaria menores! Mentir a Deus os destruiria! Deus ama a quem dá com alegria! O que passar disso é "negócio" feito em nome de Deus e que se alimenta da culpa que se põe sobre os ombros ignorantes de quem não sabe que em Cristo tudo já está Consimado! Portanto, não há barganhas a fazer! Um abração, Caio