Português | English

Cartas

NÃO SUPORTO MAIS A IGREJA

NÃO SUPORTO MAIS A IGREJA

 

 

 

----- Original Message -----
From: NÃO SUPORTO MAIS A IGREJA
To: contato@caiofabio.com
Sent: Tuesday, June 20, 2006 8:17 PM
Subject: NÃO SUPORTO MAIS A IGREJA


 

Olá Pastor Caio.


Sou convertido há oito anos, minha namorada também. Nesse tempo freqüentávamos uma igreja “batista” (apesar dela não ter este rótulo) e gostava muito, apesar de não gostar muito das pregações, mas amava aquele lugar. Tinha muitos amigos, me sentia muito bem ali e até participava de atividades da igreja, como dar aula para as crianças, grupo de jovens, etc.

Após 4 anos nesta igreja me senti impelido a mudar para  a igreja de meu pai, uma vez que ele havia sido ordenado pastor. Tudo corria bem na nova igreja, mas ela tinha uma visão “bem mais” pentecostal e aconteciam muitas coisas ali que me incomodavam, como muitas pregações sobre prosperidade financeira, “aula de falar em línguas”, culto de libertação, além de uma imensa competição entre os membros, o que gerava muitas fofocas, invejas e “alfinetadas”.
 
Além disso, tinha que lidar com a visão extremamente legalista da igreja: “Nunca fale nada contra o pastor”; “Nunca discorde de um ungido do Senhor”; “Aceite tudo o que a igreja diz sem questionar”; entre outras coisas.
 
Mas o pior não era isso. É que meu pai tinha uma postura na igreja que eu não via em casa!
 
Fui expulso de casa aos 19 anos após ter discutido com meu pai. Nunca mais voltei para casa, mas mesmo assim tentava manter um relacionamento com meu pai e minha madrasta, o que se tornava muito difícil na maioria das vezes.

Esse relacionamento, agora na mesma igreja, foi ficando cada vez mais insuportável, principalmente por ver meu pai extremamente simpático e prestativo com todos e nunca ter me dado o mínimo de atenção, suporte e jamais ter demonstrado qualquer interesse em qualquer coisa que eu faça.  Sua única preocupação era em como eu me portava na igreja.

Cheguei a conversar com ele diversas vezes sobre isso, abri o jogo em relação aos meus sentimentos, ele sempre termina a conversa com um monte de promessas, mas nunca cumpre nada.

Fiquei tão cansado de tudo que abandonei a igreja, não conseguia nem mais ouvir esta palavra que pra mim havia virado sinônimo de falsidade e “puxa-saquice”, um ambiente extremamente insuportável.

Então recentemente traí minha namorada, o que me causou um tremendo arrependimento e tristeza.

Nunca, neste tempo todo, nenhuma pessoa da igreja nos telefonou procurando nos confortar ou ajudar nesta situação. Até pessoas muito próximas, que sempre me ajudaram viraram-me a cara nesta hora.
Isso foi a gota d’água, depois disso fiquei extremamente magoado e incrédulo em relação à igreja. Afinal, para que ela serve? Para reunir pessoas no domingo que depois saem para comer uma pizza? Para que algumas pessoas se sintam melhor consigo mesmas? Para que façamos um curso e viremos obreiros, diáconos e pastores? Qual o propósito disso tudo?
 
Porém amo a Deus demais e quero ser  o que Deus quer de mim. Amo Jesus, creio na Bíblia, em toda ela; e não perdi minha fé; mas eu fiquei muito abalado com tudo isso. Estou com trauma de igreja e com muita raiva de meu pai e não sei o que fazer. Quero me juntar à outra igreja, mas ainda estou muito traumatizado. O que eu faço?
______________________________________________

Resposta:

Meu querido amigo: Graça e Paz!


O que fazer? Ora, apenas ser. Não há o que fazer. Fazer o quê?

Assim, meu mano, não há nada a fazer com relação ao passado nessa “igreja”. A única coisa a fazer em relação a tal passado é buscar um caminho de reconciliação com seu pai. E isto nada tem a ver com concordar ou não com ele.

Ele é seu pai. E se você não o honrar como tal, nada lhe será bom.

Entretanto, “honrá-lo” não significa ir para a “igreja” dele e ficar lá se fazendo mal.

Honra-lo, é melhorá-lo em você!

Portanto, seja melhor do que ele no seu coração e sirva a Deus sem se comparar com seu pai.

Também percebi que você me escreveu porque devem ter dado meu e-mail para você. Mas não senti que você conhece os conteúdos do meu site (www.caiofabio.com); pois, se os conhecesse muitas das perguntas que você me fez, nem mesmo as faria.

De fato, meu mano, tudo o que você narrou é o que mais existe aqui, nas Cartas; e o que me perguntou, é o que mais respondo aqui.

Inclusive suas perguntas sobre para o quê a “igreja” serve — é o tema mais tratado neste site; e, além disso, nele há aspectos de “desconstrução” do significado de “igreja”, bem como há aspectos de “construção” do significado de Igreja.

Por isto, não vou responder nada que você já tenha em abundancia aqui no site; pois, o site existe para poder ser útil às pessoas, independentemente de eu responder todas as cartas.

No início eu respondia tudo, até criar quase duas mil respostas que cobrem quase todas as questões que me chegam.

Hoje, em razão desse acervo tão grande e disponível a todos, tomo a liberdade de pedir que leiam o site; pois, nada do que eu diga a você no espaço de uma carta, será melhor do que a quantidade inteira de conteúdo que existe no site. Assim, leia. Será melhor para você e para mim.

Não sei onde você mora, por isto não tenho nem como recomendar a você um lugar para freqüentar. Enquanto isto, entretanto, leia o site, ouça a radio do site, e ouça as reuniões do Caminho da Graça, aos domingos (19hs), e, às terças-feiras, às 20 hs; tudo na radio do site.

O que é essencial é que você continue a ler os evangelhos e a orar sempre, mantendo a mente e o coração cheios da Palavra!

E ao encontrar irmãos na fé que amam mais a Jesus e ao Evangelho que a “igreja-clube-dos-crentes”, proponha a eles que se reúnam com você. Será muito bom. E, neste sentido, creio que posso ajudar você. Se interessar, escreva.

Receba meu carinho e toda a minha vontade de que tudo dê certo!

Nele, em Quem nada é Evangelho sem perdão,


Caio