Português | English

Cartas

NÃO SEI SE FICO COM MINHA MULHER OU COM MEU IRMÃO

NÃO SEI SE FICO COM MINHA MULHER OU COM MEU IRMÃO

-----Original Message----- From: NÃO SEI SE FICO COM MINHA MULHER OU COM MEU IRMÃO Sent: quinta-feira, 11 de dezembro de 2003 11:12 To: contato@caiofabio.com Subject: MEU CASAMENTO FOI UM ERRO Mensagem: A paz do Senhor! Meu irmão, estou passando por um estreito. Sou casado, tenho 30 anos, e sou pai de uma linda filha de sete meses. Tenho um irmão de 14 anos que mora comigo. Após o falecimento de minha mãe, para mim é como se fosse um filho muito querido. Na minha casa somos nós dois convertidos e minha esposa é “convencida”. Quando casamos meu irmão não morava comigo. Na época, por um motivo financeiro, ele morava com outro membro da minha família (também crente). Depois as coisas começaram a melhorar...então ele veio morar conosco. Minha esposa nunca foi chegada a minha família. Então várias brigas ocorreram por conta dos meus irmãos... Como eu sou o mais velho dos quatros, é normal a união e a amizade que nós temos uns pelos outros. Quando minha mulher engravidou, começaram as chantagens por conta do meu irmão...ela queria que ele saísse; só que eu nunca cedi. Agora eu descobri que minha esposa maltrata meus irmãos; só que ela nega. Ela chega a jogar comida fora para eles não comerem; e, às vezes, deixa a criança com fome. Ele não me conta nada para não me ver triste, pois apesar da minha idade, sou hipertenso. Esse fato descobri por terceiros; a “secretária” da minha casa falou para minha irmã, porém pediu segredo, pois teme perder o emprego. Sei que o divorcio, se não for por caso de adultério ou morte, é pecado diante os olhos de Deus. Eu tenho um chamado para pregação. E as vezes eu penso qual será o meu testemunho, se eu não sou capaz de arrumar minha própria casa. Meu casamento foi um grande erro; não me separei ainda por ter amor a Palavra de Deus, e a minha filha. Mas diante desses fatos, eu não posso tolerar maus tratos ao meu irmão de sangue e irmão em Cristo. E eu chego a questionar a Deus se Ele não foi um pouco rígido de mais em não deixar outra saída para um casamento infeliz. Ao mesmo tempo sei que o Nosso Deus é o Deus do impossível, que tudo pode, tudo faz... Peço a oração do irmão, e um conselho em Nome de Jesus, para esse meu dilema. Amém. **************************************** Resposta: Meu irmão amado: Sabedoria e Prudencia! Se você me dissesse que ama a sua mulher, eu diria a você que desse um jeito de seus irmãos não entrarem mais em seu casamento. Quem casa deixa pai e mãe, e irmãos também. E tem que aprender a fazer isso com sabedoria. No entanto, como você me diz que não a ama, eu também dou a você o mesmo conselho: Quem casa deixa pai e mãe, e irmãos também...e tem que aprender a fazer isso com sabedoria. Ou seja: seu problema, antes de qualquer coisa, é ver o que existe em seu casamento, além da filha que vocês geraram. E isto só será possível de sua casa não for uma comuna fraterna. Ora, mesmo que sua esposa achasse tudo o máximo, ainda assim, com o passar do tempo, não seria sadio. Então, amigo, antes de qualquer coisa, até para poder ter cabeça fria pra decidir o que você fará, bom é que seus familiares sejam como todos os demais familiares da terra: parentes íntimos, a quem a gente ama, e de quem a gente cuida; porém sem ser mediante vínculos prejudiciais à família nuclear. Sua família, agora, até prova em contrário, é constituída de você, sua esposa e sua filha. E ponto. O que passar disso é trabalho contra o seu casamento. Além disso, esse negócio da “secretaria da casa” ser a portadora de uma informação dessa gravidade, e o assunto não ser tirado a limpo—sem entregação de ninguém, é claro!—, é algo inconcebível! Também é muito estranho que você cubra seu irmão completamente, sendo que ele é o maior beneficiário no caso de você se separar dela. À essa altura, inconscientemente, está todo mundo na maior torcida para essa “megera dar o fora daí”. Eu sugiro que você faça o seguinte: 1. Peça aos parentes para entenderem a situação, e, por amor a você, deixarem vocês terem a chance de viver como uma família; até porque vocês atravessam uma crise muito difícil no casamento. 2. Observe o comportamento da sua esposa, sem fazer menção de nada. Ou seja: ficando ou não casado com ela, você precisa saber quem ela é; afinal, nenhuma mulher sã maltrata o irmão do marido a fim de se vingar do próprio marido e do irmão dele. Isso é sério. 3. Busque, sem preconceito, dar uma chance muito boa ao seu casamento. 4. Não permitiria entrada de ninguém nessa história, especialmente gente como a secretária da casa. Assim, a coisa toda vai virar um inferno. 5. Em verificando a chance de haver estabilização, deixe as coisas irem, pedindo a Deus que dê certo. 6. Não havendo chance de estabelecer algo verdadeiro no casamento, melhor será separar-se dela; afinal, ela não terá chance aí; e, não havendo chance, sinceramente, não me importo o que você pensa biblicamente sobre o divorcio, ou se isso prejudicará ou não o seu futuro ministério; pois, antes disso, eu penso na sua esposa, que tem o direito de saber que você não gosta dela, e que está com ela apenas por causa da filha e do ministério. Pode ser que você agüente viver nesse presépio, mas ela não; e é direito dela decidir se quer ficar assim mesmo, ou se desejar sair. Quanto à sua interpretação bíblica acerca do divórcio, não falarei sobre ela. Até porque este site está repleto de textos que bem expressam a minha opinião sobre o tema—e nas minhas opiniões você não encontrará “receitas” pró ou contra. Cada caso é um caso. No entanto, quero fazer a você algumas perguntas: 1. Porque é que Deus odeia o divórcio? 2. O que é mais importante para Deus? Que não haja jamais a separação de cônjuges pela via de um “documento legal”, à menos que haja adultério? ou a separação anterior a qualquer coisa, que já se deu por conta dos dois não se amarem mesmo, como homem e mulher? 3. Quem é o “Deus” que se satisfaz em ver um ministro muito mal casado e infeliz—dizendo que seu casamento foi um erro—, ao invés de desejar vê-lo buscando a verdade em seu coração? 4. Será que duas pessoas que não se amam, e que se fazem mal, mas que têm um “papel de casamento” na mão, estarão, por tal cartorialidade e legalidade, agradando a Deus? Que Deus é esse? 5. Será que aos olhos de Deus um cônjuge que se separou porque “ganhou” do outro cônjuge no concurso para ver que adulteraria primeiro ou quem morreria antes,é melhor do que uma outra pessoa que se separou por ver que a vida era insustentável na relação, mesmo sem traição? 6. Será que Deus acha que a deslealdade é menos importante que a traição? Pois permite que gente que se detesta fique casada sem verdade, enquanto Ele abomina quem preferiu ser leal e dizer o que não sente, sem precisar arranjar um álibi para se separar com “vitória legal”? 7. Quem é maior? O sábado ou o homem? O casamento ou as pessoas? O documento ou a verdade do coração? 8. Você acha que o Deus que fez o sábado para o homem e não o homem para o sábado, em relação ao casamento não teria feito a mesma coisa? Ou seja: o casamento para o homem, e não o homem para o casamento? Quem vem antes: O homem ou o casamento? Bem, depois que você responder a todas essas perguntas com honestidade, você saberá o que Deus pensa de casamento e divórcio. Receba meu beijão, e minhas orações. Que Deus lhe dê sabedoria e prudência, mas que também lhe dê senso se justiça e de lealdade. Que o Senhor tenha misericórdia de todos nós! Nele, Caio