Português | English

Cartas

NÃO SEI SE A ACEITO DE VOLTA: O DRAMA DE UM JOVEM IDOSO!

NÃO SEI SE A ACEITO DE VOLTA: O DRAMA DE UM JOVEM IDOSO!

Pastor, saudações e parabéns pelo novo site. Há um ano venho lendo-o assiduamente e conhecendo algo que preciso muito: graça... Que Deus continue te iluminando... Tenho grande dúvida, dor e angústia no meu peito. Já te mandei inúmeras cartas, entretanto, sem respostas, mas meu coração não se cansa e nem descansa, por isso escrevo novamente suplicando a Deus que de alguma forma possa me ajudar. Namorei 4 anos com uma garota. Tenho 24 e ela 20. No início ela terminou 2 vezes por dúvida de sentimento; algo que me gerou muita dor. Ela praticamente foi minha primeira namorada. Depois, no final do namoro, começamos a querer casar, e ao mesmo tempo brigávamos muito. Eu era um pouco seco, parece que não me soltava direito, e cobrava dela mais atitude na Igreja, porque eu era muito ativo e ela às vezes queria que saíssemos, dançássemos, etc. Eu achava isso um absurdo! (Tenho consciência de que era muito moralista). Por estes problemas (segundo ela), ela terminou, e, logo (2 semanas) começou a namorar. Não quis o término, pois reconheci os meus erros, e queria mudar; mas ela não acreditou, pois vínhamos tentando nos acertar há mais ou menos 1 ano. Entretanto, pouco tempo depois, ela disse que não conseguiu me esquecer e me procurou novamente. Só que eu já estava muito magoado e influenciado pela minha família, amigos e igreja, que falam muito mal dela. Várias pessoas me contaram histórias de que ela mentia pra mim, saía escondido, e que até me traiu. Entretanto, ela me nega tudo de coração; e chora muito por estarem inventando estas mentiras. Diz que as pessoas, por não gostarem dela, deduzem muitas coisas. Quando ela saía com as amigas, mesmo pra lugares que eu não queria ir, ela sempre me contava. Uma amiga dela inclusive disse que antes de terminarmos ela já estava envolvida com o garoto que depois ela veio a namorar. Estou muito indeciso. A amo muito. Encontro com ela e tenho muita vontade de ficar com ela, mas logo vêm as dúvidas, as histórias, influências, medo de estar sendo enganado, ou de não conseguir confiar mais nela. Entretanto já são 10 meses que ela está atrás de mim. Se mostra muito sofrida e arrependida de ter me magoado. Já inclusive conversou com minha mãe pra tentar arrumar as coisas. Me ajude Pastor, por favor. Não sei em quem acreditar: no meu coração e nela; ou se no meu medo e opinião das pessoas. Sei que tem muitas coisas a responder, mas isso é algo que tem me afligido muito e não consigo tomar uma decisão. Já tentei, mas não consigo. Tenho sofrido muito por isso. Pode acreditar... Sou uma pessoa que dá muito ouvido aos outros... Oro a Deus que possa responder esta carta... Abraços... ____________________________________________________________________________________ Resposta: Meu amigo querido: Paz e Segurança! A pior coisa que existe é um cara que nunca foi traído porque nunca confiou em ninguém. Esse morre só. Jesus foi traído, sabia que estava sendo traído, mas deixou que o traidor se entregasse! Sinceramente o que eu acho é que a menina gosta de você (talvez o ame), mas ficou cansada de sua caretice velha e idosa, apesar de sua pouca idade, e deve também ter sido influenciada, assim como você, por amigos; posto que o que dizem dela a você, também, por outras pessoas, certamente é dito de você para ela—não que você a traía, como é o caso da sua “assembléia”, mas sim que você é chato, roda-presa, idoso de alma, careta, cansativo e candidato ao “pé-de-chinelo” e a fazer amor vestindo “meia preta”. Ela deve ter ouvido isto intensamente, e teve todas as demonstrações de que era assim—afinal, você mesmo reconhece—; e, em razão disso, desejou tentar um caminho mais alegre e compatível com a idade; porém, na experiência, descobriu que gosta de você, e ficou disposta a “sacrificar a alegria natural da juventude” a fim de tentar ficar com você. Você é quem tem que decidir! Gostar dela, mas não ficar com ela por causa da opinião dos outros é pura idiotice. Os outros são bons de opinião, mas ninguém ajuda a matar a solidão. Além disso, você logo descobrirá que esses “outros” não têm compromisso com o todo da existência da gente, e que, por razões as mais diversas, em outras circunstâncias, eles também deixarão você sozinho. Portanto, pense em você e na sua vida, e tome decisões que lhe digam respeito. Esta é a diferença entre um menino e um homem. Com relação a não confiar mais nela pelo que aconteceu, sinceramente, é fazer tempestade em copo d’água. E para avaliar o significado da situação apenas a inverta. Sim, se fosse você que tivesse cansado de modo justificado de todas as chatices dela, e, depois de um tempo, tivesse visto que apesar de tudo você a amava, o que você gostaria de receber: desconfiança crônica ou compreensão? Caso você julgue que se fosse você, no caso dela ainda amar você, seu desejo seria de ser perdoado e acolhido, acolha-a, conforme Jesus ensinou. Nós não estamos falando de uma menina leviana, cachorra, sensual, entregue à promiscuidade, incapaz de desejar algo bom e estável. Não, não é dessa pessoa que nós estamos falando, mas de uma menina, de 20 anos, que teve uma dúvida saudável, e que foi honesta em seu desejo de não ficar naquilo que não estava fazendo bem a ela. No caso de você decidir acolhe-la, pelo amor de Deus, aprenda a sua lição (a dela ela apreendeu), e deixe de ser velho e chato. Meu amigo querido, há bons prazeres e maus prazeres. O segredo da juventude é viver os bons prazeres, que são aqueles que não acumulam desgosto para o futuro (Ecl 11 e 12). Minha opinião é que se você a ama deve ficar com ela, e não tornar a vida dela um inferno de desconfiança e ciúme; pois, se assim for, ela mesma, outra vez, e com toda a razão também, não agüentará. Quanto ao que “dizem”, sinceramente, não me interessaria. Me ensinaram, tanto em casa quanto no evangelho, que o caminho de um homem é dele apenas; e que ninguém mais deve ter o poder de lhe interferir nas decisões do coração, mesmo que seja para quebrar a cara; posto que nenhuma lição se torna útil até que seja nossa. Receba meu carinho! Seja jovem. Passa muito rápido! Nele, Caio