Português | English

Cartas

NÃO POSSO SER ORDENADO PORQUE TENHO DUAS MULHERES

NÃO POSSO SER ORDENADO PORQUE TENHO DUAS MULHERES

-----Original Message----- From: NÃO POSSO SER ORDENADO PORQUE TENHO DUAS MULHERES Sent: segunda-feira, 15 de dezembro de 2003 03:06 To: contato@caiofabio.com Subject: ESTOU EM DESESPERO Mensagem: Pastor Caio, Tenho lido seus livros, escutados várias mensagens suas em k7, e tenho sido influenciado por elas, mas estou escrevendo hoje de madrugada porque estou enfrentando uma situação muito difícil na minha vida. Tenho 30 anos, terminei a faculdade teológica, e adiei minha ordenação, pois carrego uma coisa muito difícil comigo, da qual não consigo me libertar. Tenho vida sexual ativa. Não tenho me envolvido com várias pessoas, apenas com duas. Quando era seminarista comecei a namorar uma garota. Não era um compromisso sério, pois ainda gostava da minha ex-namorada. Mas de repente comecei a gostar da garota... Começamos a transar... Mas eu não a assumia; e, às veses, ficava arrependido por tal fato ter acontecido. Então a maltratava... Uma vez ela viajou para casa dos parentes numa cidade do interior e lá, segundo ela, se envolveu com um antigo paquera, e transou com ele. Passados alguns dias ela me contou, dizendo-se arrependida, falando que eu não merecia aquilo, e que me amava... Fiquei muito magoado, com raiva dela, mas acabei perdoando. Mas fiquei uma pessoa profundamente doente e desconfiada. Descobri que ela mentia demais... Depois de três anos de relacionamento não assumido, embora sexualmente ativo, resolvi tentar deixar esta vida. Comecei a gostar de uma outra pessoa em minha igreja, e a me afastar lentamente da outra... Pedi essa pessoa em namoro e começamos a namorar. Também me envolvi sexualmente com ela. Hoje estou envolvido com as duas, afetiva e sexualmente. Não sei o que fazer, e não tenho amigos em quem confiar e com quem me abrir. Os meus colegas de seminário, e da minha igreja são da lei...e não consigo confiar no meu pastor. Até uns tempos atrás eu conseguia carregar estas coisas comigo... Pregava, aconselhava, abençoava os irmãos... Era elogiado pelas mensagens e aconselhamentos... Hoje sinto um vazio enorme em meu coração. Sinto que tenho traído a Deus, a minha igreja, o meu pastor, minha família e essas duas pessoas... Meu pastor me chamou para conversar, para que marcássemos uma data para a minha ordenação. Pastor Caio, não sei o que fazer. Ao mesmo tempo quero deixar esta vida, mas não consigo... Não sei de quem eu gosto... Se me afasto duma, sinto saudade dela... E vice-versa... Sabe lá o que é isso? Mas ao mesmo tempo penso que não amo ninguém, pois quando vejo essas garotas na rua, com essas roupas, e esses corpos lindos, já começo a desejá-las. Será que quando eu casar isso vai acabar? Gostaria de não casar com essa área da minha vida assim... Já pensei atá em me afastar da igreja, do ministério... Não sei o que fazer. Por favor me ajude. Não quero entrar este novo ano assim. Amo minha igreja e amo a Deus, mas não consigo me libertar disso. Um beijão! ************************************************** Resposta: Meu amado: Paz! Yesterday! Lembra da música? E da letra? Love was then something easy to play... Now I need a place to hide away… I am half the man I used to be… There is this shadow hanging over… Now I long for Yesterday… Você ainda é jovem. Yesterday trará muitas coisas para o seu Today e Tomorrow caso você não resolva Yesterday enquanto ele ainda é Today em sua vida. Talvez, de fato, você não ame a nenhuma das duas. Talvez você ame uma das duas. Talvez você ame as duas—mas não com amor pleno. Talvez você goste de abusar da outra por gostar sexualmente dela, e por odiá-la por ter “conquistado” você e traído você com o outro cara. Talvez você esteja namorando apenas para garantir uma mulher mais pacata em sua vida, com mais “jeito” de mulher de pastor. Disso tudo há apenas uma certeza: Se você continuar com as duas, casar-se-á com uma, e viverá no inferno o resto da vida: rasgado ao meu, com saudades perenes como gelo de fogo nos Alpes de seu coração: gelando e queimando você para sempre. Por tudo isto é que acho que você deve adiar sua ordenação, e buscar resolver o que está acontecendo em sua alma. Não precisa contar nada para ninguém. Se as pessoas não são de absoluta confiança haverão de julgar você para sempre. Você pode apenas dizer que precisa de mais um tempo. É normal. Licenças existem para isto também. Mas não deixe de estar em sua igreja. Essas dignidades radicais são muito legalistas, e acabam mergulhando a pessoa num mundo de gravidades abissais; e, no fim, fazem o indivíduo se afogar nas agônias de suas próprias incoerências. Considere também a possibilidade de que você gosta da primeira, e que tenha começado com a segunda a fim de se “garantir”. O problema da primeira são as mentiras. Não dá para ficar com alguém que minta para você. Se ela mente como você deu a entender, não será possível ficar com ela, por mais que você goste dela. Muitas vezes o tomar conhecimento de que a pessoa de quem a gente gosta fez algo que nos faz “sentir traídos”, coloca a gente nessa obrigação de “ter outra pessoa” apenas para não “ficar na mão”. Talvez essa seja a razão pela qual você a “maltrata” tanto... Em síntese, meu amigo, eu tenho que lhe dizer que quando o coração mergulha nessa ambigüidade, a gente conhece o significado de se meter numa “sinuca de bico.” A melhor coisa agora fosse dar uma “parada”, com as duas, e ver como fica o coração. Mas tome cuidado, pois, nesse momento, qualquer decisão-opção que você faça pode ser extremamente precipitada, e os arrependimentos futuros serão inevitáveis. Quanto a ver as outras meninas na rua e ficar “perturbado”, digo a você que tem a ver com o sua própria insegurança presente. Você está num limbo, onde a alma pergunta, insegura, o dia todo, se a sua decisão de namorar alguém não está sendo precipitada; e, assim, ela (a alma) “abre um leque” de outras alternativas, como que chamando você a mais reflexão. Assim, o que você sente como sendo leviandade pode ser apenas um clamor da alma dizendo: "Veja bem. Olhe em volta. Você ainda não está preparado”. Você viu que minha carta é um monte de “talvez”. E é mesmo. Numa encruzilhada dessas “talvez” é a palavra mais sábia. Espero que esse monte de “talvez” ajude você a pensar. Considere o que lhe falei e me escreva depois de olhar para o coração sem medo. Só mais uma coisa: não olhe para dentro de você mesmo como quem examina uma lata de lixo. O que está acontecendo a você pode acontecer a qualquer um. Tenha calma, e ande na luz. Deus vai iluminar você. Nele, que conhece os nossos corações, Caio