Português | English

Cartas

NÃO ME USE EM SEU AUTO-ENGANO!

NÃO ME USE EM SEU AUTO-ENGANO!

 

 

 

 

 

 

----- Original Message -----

From: NÃO ME USE EM SEU AUTO-ENGANO!

To: contato@caiofabio.com

Sent: Sunday, February 18, 2007 12:20 PM

 

Oi!

 

Sou Pastora de uma Igreja, mas na verdade nem sei se sou mesmo...

 

Estava vendo tudo o q você escreveu... e refletindo.

 

Sabe, estou passando por uma situação semelhante a sua...

 

Não amo meu marido e quero me separar... Mas, afinal tem A IGREJA... Que nos condena.

 

Quero ser feliz... E vi que com tudo que você fez... Pode-se  dizer que você está muito feliz.

 

Aí penso eu... Eu também posso acabar com minha família... Afinal, Deus abençoou tanto o Pr Caio Fabio... por que não faria o mesmo comigo?

 

Quero viver e ser feliz... Isso estaria errado?

 

Não quero obrigações com “IGREJAS” que nunca me deram nada... Só tiraram de mim.

 

Sou sim uma pessoa revoltada e preciso sair disso....

 

Preciso ser feliz... Viver o que a vida me oferece.

 

Abraços...

 

_________________________________________________________________________________________

 

Resposta:

 

 

Minha querida amiga: Graça, Paz e Sensatez!

 

Quanto a ser “pastora”, acho saudável que você não seja MAIS, por total falta de amor no que faz; e, também, por não ter discernido o mínimo possível para ensinar alguém sobre a vida e o Evangelho!

 

Portanto, faça esse favor a você mesma e ao povo!

 

Você disse: “Aí penso eu... Eu também posso acabar com minha família... Afinal, Deus abençoou tanto o Pr Caio Fabio... por que não faria o mesmo comigo?”

 

Quanto a desejar ser feliz e associar tal coisa ao meu divorcio e novo casamento; ou, pior ainda, à benção de Deus à calhordice que supostamente eu teria feito; saiba: se você fizer tal coisa verá se Deus abençoa os caprichos humanos; e, mais: se alguém pode “acabar a família” e ser feliz.

 

Vá. Tente. Brinque com isto. Comece com um “Oi” e, depois, a fim de dar peso ao escândalo divino, chame-me subitamente de “PR Caio Fábio” — o feliz que fez outros infelizes e está sendo abençoado por Deus!

 

Sim! Vá a Deus com tal argumento e você verá o que acontecerá!

 

Não repetirei nem mais uma vez a história do que me aconteceu. O site está cheio de antigas alusões a tal fato. E mais: caso você tivesse lido MESMO o que escrevi aos borbotões aqui no site acerca do assunto, jamais viria com uma questão baseada em tamanha mentira; ou, na melhor das hipóteses, tão cheia de auto-engano.

 

Não acabei minha família. Jamais faria isto. Os amo. Eles me amam. E isto é mais que tudo!

 

Terminei de modo errado o meu 1º casamento; e Deus já me perdoou por isto faz muito tempo!

 

A mãe de meus filhos é minha amiga e eu dela, como sempre fomos. E meus filhos são os mesmos; e me tratam com o mesmo amor, carinho, respeito, admiração, reverencia, e alegria de sempre. Aliás, cada vez mais...

 

Sua maior tolice é crer que alguém encontra felicidade em mudança de casamento!

 

Meu Deus! Se o seu casamento é difícil, por que um outro seria melhor?

 

Minha questão: será que as coisas não assim tão ruins em razão de que sua alma é assim tão básica e infantil? Ou melhor: tão perversamente infantil?

 

Ah! Minha amiga!

 

Felicidade convive com choro, com humildade, com perseguição, com tentativa diária de pacificação, com mansidão, etc.

 

Os “bem-aventurados” são os que têm esse espírito e entendimento em relação à existência.

 

Os felizes são os que não sucumbem à contradição julgando que felicidade é harmonia do lado de fora apenas. Não! Felicidade é paz do lado de dentro!

 

 

Além disso, eu sou apenas um sobrevivente de milhares de tentativas de homicídio psicológico feitas contra mim.

 

Só estou aqui por total Graça e Misericórdia de Deus!

 

Não sou padrão para nada; exceto para uma coisa: nunca brinquei com o Evangelho, mesmo que fosse ou mesmo seja contra mim.

 

Sou apenas uma pessoa que nunca quis destruir nada, que não tratou coisa alguma com leviandade, que se calou três anos em razão da dor sentida e causada, que nunca deixou passar um dia sem tentar costurar com amor os vínculos puídos, que não se entregou a nenhuma razão ou culpa, e que sempre creu que a semeadura de amor e verdade feitas durante toda a minha vida haveria de dar fruto, mesmo no tempo da calamidade.

 

Entretanto, muito para além de tudo isto está o fato de que ninguém encontra a mulher que Deus me deu, por aí, numa esquina eclesiástica qualquer...

 

“Quem acha a mulher sábia, encontra bondade divina...”

 

E isto não é loteria. É Graça. Muita Graça!

 

Vejo toda hora as pessoas partirem para a vida com o nível de basicalidade existencial que você possui e quebrarem-se por completo. Nesse caso, “o segundo estado se torna pior do que o primeiro”.

 

E mais: eu não urdi e nem deliberei nada. Nada!

 

Assim, tente usar o que para mim foi dor, angustia, medo, tristeza, sofrimento, depressão, aflição, solidão, gemidos sem fim... — como um exemplozinho do tipo: “Afinal, o Pr Caio Fábio acabou com a família dele e está feliz” — e você verá que de Deus não se zomba.

 

Se você for fazer qualquer coisa, faça responsavelmente em seu próprio nome; e viva com as conseqüências!

 

Eu não tive jamais nem por um momento o tipo de sentimento e de reflexão insensata que lhe opera no coração!

 

Portanto, se você quer ajuda mesmo, então vá ler o site; pois, eu, macaco velho, muito velho mesmo, sei que você não leu nada; sei que você escreveu na busca de uma solidariedade perversa que eu não tenho para dar; e sei que se você tivesse lido, me conheceria o suficiente para não me pedir ajuda para esse tipo de felicidade de novela.

 

Mas quanto a ser “pastora”, repito: Acabe com essa brincadeira; pois, nem sua alma merece essa tortura; e nem o povo essa falta de maturidade humana e de fé transformados em “ministério pastoral” em sua vida; e, aplicados a eles, ao povo.  

 

Quanto ao mais, o Espírito Santo a convencerá da Verdade!

 

Não conte comigo, todavia, para nenhuma brincadeira de “gato e rato” da felicidade.

 

Divórcio só deve acontecer quando a certeza da desgraça e do abuso são tão certos que vale a pena não saber mais nada sobre o que virá; pois, ante o que já se tem, qualquer que seja a dúvida sobre o futuro ainda é algo melhor!

 

Portanto, quem se divorcia deve fazê-lo apenas quando é impossível não fazê-lo. E mais: se o fizer, deve ser em razão da coisa em si, e não em razão da fantasia de um novo e feliz casamento; pois, se você não consegue ser feliz com o que tem, e sem qualquer perseguição interna e externa, onde se esconderá quando os satanases se manifestarem acusando você de todos os lados? Sim! Especialmente em razão de que sua motivações são no mínimo totalmente infantis?

 

Esta é a ajuda que tenho a lhe dar!

 

 

Com todo respeito, me despeço Nele, para quem a vida não é loteria, mas algo a ser construído sobre a Rocha da Verdade,

 

 

Caio

 

18/02/07

Lago Norte

Brasília