Português | English

Cartas

NÃO GOSTO DE TI. ODEIO A NATUREZA HUMANA!

NÃO GOSTO DE TI. ODEIO A NATUREZA HUMANA!

-----Original Message----- From: Pr. Brian Gordon Sent: sábado, 12 de junho de 2004 01:52 To: contato@caiofabio.com Subject: "ODEIO A NATUREZA HUMANA" "ODEIO A NATUREZA HUMANA" DECLARAÇÃO DE UM "DEUS" DE CARNE E OSSO Ou CONFISSÕES DO PASTOR DE SI MESMO Eu odeio os homens e mulheres e suas insinuações. A forma como usam seu corpo para a sensualidade e para tórridos prazeres. Sua felicidade demasiada quanto assentam-se ao redor da mesa e gargalham uns com os outros enquanto contam anedotas profanas. A falta de sentido prático e utilitário quando vivem os prazeres descartáveis diante dos valores eternos da Nova Jerusalém. Por que não aguardam quietos a Nova Jerusalém enquanto admiram a mim, "Hermes" da divindade, que aponto o caminho que purga pela dor e inimizade? Afinal, são atalhos mais rápidos aos "c-EU-s". Odeio a felicidade dos amigos que celebram sem se curvarem de bom grado ao prazer de perceber minhas palavras eternas. Odeio o sorriso dos casais que, amantes, vivem sua relação não apenas para gerar a sua prole. Odeio aqueles que blasfemam meu nome quando falam de mim como simples mortal, enquanto sou divino. Odeio os "cafés com graça", e também o céu que não se vende por preço, ou qualquer coisa que os humanos não paguem. Odeio quando os homens e mulheres são eles mesmos, e não aquilo que deveriam ser. Deveriam ser aquilo que sempre digo a eles, ora... cidadãos dos céus, do reino, não do REINO. Odeio quando vejo em mim algo em comum com aqueles que quero salvar. Odeio quando penso em algo distinto daquilo que deveria pensar para conquistar os "céus" que apregôo. Odeio quando sinto emoções sinceras, e não aquelas que deveria ter. Odeio quando percebo que os infiéis não vêem mais em mim aquilo que certamente sou: "deus", no mínimo, "semi-deus" – emissário da divindade, que lanço sobre alto mar toneladas de dejetos humanos que lá serão dissolvidos pelas muitas águas. Não suporto os domingos gastos com a profanação do riso, quando todos deveriam descansar ou trabalhar para mim na "igreja". Não suporto as orações feitas com linguagem "inadequada", que trata Deus como um ser íntimo. Não suporto as conversas e os risos, as palmas e as conspirações, os sorrisos e as lágrimas, diante das pérolas lançadas para serem compradas, não sentidas. Aceitas, não questionadas. Não suporto os espelhos que refletem minha verdadeira face – todos estão errados. Não suporto a incompreensão dos mais próximos quanto aos meus atos proféticos. Não suporto ajuntamento solene sem iniqüidade que possa exortar. Amo apenas a "d-EU-s", aos "irmãos" e ao "mundo". A "d-EU-s", que faz de mim o que sou. Aos "irmãos", que são o que eu falo. Ao "mundo", que me dá a impressão de que os espelhos nos quais me contemplo todos os dias estão com "defeito". Amo aos que são frágeis e precisam da minha proteção. Amo aos que são "fiéis". Amo a d-EU-s e sua lei. E POR FALAR EM LEI, O DECÁLOGO DO PASTOR DE SI MESMO É: 1o Mandamento: Amar a d-eu-s sobre todas as coisas. 2o Mandamento: Não adorar imagens de escultura (apenas humanas, mesmo que use máscaras). 3o Mandamento: Não tomar o santo nome (pastoral) em vão. 4o Mandamento: Santificar o dia de descanso (shabbat) indo a Igreja (mesmo que isto não te acrescente nada). 5o Mandamento: Honrar pai, mãe e as autoridades superiores (principalmente a do pastor). 6º Mandamento Não matar de uma vez (apenas faça sofrer, ou mate aos poucos). 7º Mandamento Não praticar sexo com outras pessoas que não seja o seu esposo/esposa (vale o adultério da confiança, o adultério da verdade, o adultério dos pensamentos, o adultério dos sentimentos etc). 8º Mandamento Não roubar o santo dinheiro do dízimo e do gazofilácio (vale subornar o guarda, sonegar impostos etc, principalmente se você é um presbítero ou líder rico). 9º Mandamento Não dizer falso testemunho contra o próximo (até porque tudo que a gente diz do próximo a gente viu porque ele estava perto). 10º Mandamento Não cobiçar as coisas alheias. No caso, minhas coisas. Isto não vale para mim, que quero a Igreja dos outros, o carro dos outros, o dinheiro dos outros, a honra dos outros... Afinal, sou pastor de mim mesmo... ___________________________________________________________ -----Original Message----- From: Pr. Brian Gordon Sent: sexta-feira, 11 de junho de 2004 21:19 To: contato@caiofabio.com Subject: LI TODOS OS TEXTOS DO SITE— Pr. Brian Gordon Pastor Caio, Consegui ler todos os textos do site. UFA... Demorou. Percebi neles muitas coisas que gostaria de conversar. Não precisa ser contigo, mas quero ruminar tudo. Reli teus livros e textos que tinha aqui comigo. Tenho uma convicção, que falarei com sinceridade (espero que me entendas): não gosto de ti por causa do conteúdo que escreves. Acho até interessante - concordo com umas partes, discordo de outras. Mas quero testemunhar que, toda vez que leio, fico admirado com sua sinceridade. Com a transparência da sua alma cristalizada pelo Espírito. Pela convicção da graça. Pelo amor a Deus e de Deus em ti. Sou teu irmão n'alma. Não nos conhecemos, mas me sinto íntimo com suas dores, com suas paixões, com suas motivações. Em suma, quero te dizer que, depois de ler tudo, lavei a alma. Senti-me motivado novamente. Sonhei, chorei, irritei-me, discordei, concordei, viajei, admirei - e cada reação desta valeu a pena. E sobrou, quando li o último texto, a certeza de que alguma coisa muito preciosa irradia naquilo que tu escreves: GRAÇA. Não tua graça, mas a GRAÇA de DEUS. Vai em frente, irmão!!! ____________________________________________________________ Resposta: Meu querido irmão e amigo no Senhor: Assim são os irmãos! A única coisa que gostaria nesta vida, amado Brian, é que todos os que gostam de mim aprendessem a não gostar de mim como você, e que todos os que concordam comigo, discordassem de mim como você. Pois, assim, eu saberia que a refutação ao que digo seria Glória para Deus, e bem para todos os homens. Sim, quem me dera eu não fosse aceito da forma como você me rejeita, e que eu não tivesse acordo da mesma forma como você não concorda comigo. Ah, amado irmão, como seria bom encontrar milhões de pessoas que não gostassem de mim com o seu amor, pois, então, eu saberia, de todo o coração, que ESTARIA ENTRE IRMÃOS. Obrigado pelo seu carinho e pelo UFA de quem escreveu porque soube por si mesmo. Receba meu beijo carinhoso, e a certeza de minha amizade...isto porque você não gosta de mim. No dia em que você gostar seremos arrebatados na mesma hora e JUNTOS! Nele, em Quem irmandade não é unanimidade, exceto em Jesus e na Graça, Caio