Português | English

Cartas

NÃO CREIO MAIS…

NÃO CREIO MAIS…

 

 

 

 

 

 

 

 

----- Original Message -----

From: NÃO CREIO MAIS…

To: contato@caiofabio.com  

Sent: Sunday, August 12, 2007 5:19 PM

Subject: Não creio mais...

 

 

Olá Pastor, tudo bem?

 

Eu gostaria muito de voltar a crer em Jesus. Cri por uns 3 anos e depois abandonei a fé para viver tudo o que sempre quis.

 

Hoje eu lembro o início da minha conversão e como era bom, agradável.

 

Eu costumava ir à casa de uma amiga e era possível sentir a presença de Deus.

 

Era diferente, havia paz...

 

Não sei bem o que aconteceu, mas as coisas se perderam no meio do caminho.

 

Eu queria crer em Jesus.

 

Queria que tudo fosse diferente.

 

Quero tudo aquilo outra vez, mas não sinto mais nada.

 

Se bem que a fé não é um sentimento e talvez aí esteja o erro...

 

É isso. Se puder dizer alguma coisa para ajudar, eu agradeço.

__________________________________________

 

Resposta:

 

 

Minha amiga: Graça e Paz!

 

 

Querias, e podias; assim como querendo, podes!

 

Mas não querendo, não se pode; e apenas dizendo “queria”, nada se tem.

 

Não é quem gostaria de buscar que encontra, nem quem queria pedir que recebe, e nem quem gostaria de bater que abre a porta.

 

Jesus não conhece nada que não seja no presente tenso (conforme dizem os ingleses).

 

É quem busca, pede e bate — aquele que encontra, recebe e abre.

 

Portanto, quem quer, tem; quem procura, acha; e quem pede, recebe.

 

Quem diz: “Não creio mais...” — ou nunca creu; ou creu e crê, mas não sabe que pode crer, posto que foi desautorizado a crer por aqueles que crentinamente dizem que quem não está sob sua tutela não crê.

 

O que eu acho que aconteceu e acontece a você é o seguinte:

 

Você teve uma experiência da alegria do Evangelho. Mas junto com a experiência da alegria vieram também [como sempre] os muitos penduricalhos evangélicos. Bugiganga de religião: modos, formas, morais, proibições, “pecados”; e “coisas do diabo” a serem banidas da vida—como dançar, namorar sem peso, tomar uma cervejinha, ter amigos de fora do clube santo dos crentes, etc.

 

Ora, quando você viu que os crentinos de dentro eram piores pela desfaçatez que os des-crentes de fora, o romance foi acabando; e, com o fim do romance com os crentinos, veio a saudades dos des-crentes segundo os “querentes”. Então, vieram as perguntas: Por que isto, aquilo ou aquilo outro são considerados pecados?

 

E como os “crentes” haviam virado meio crentinos para você, e os cretinos segundo os “crentes” estavam se tornando crentes na vida para você [outra vez], as suas questões cresceram.

 

Todavia, até aí, sua mente não conseguia separar os verdadeiros crentes dos crentinos; e nem tampouco sabia fazer a diferença entre a “igreja” e Jesus.

 

Assim, não suportando nem os crentinos e nem a Igrejina (a Carolina que não viu o tempo passar na janela...), sua alma procurou vida onde lhe parecia haver mais vida.

 

Agora, entretanto, sabendo que no sistema das coisas que se diz que são as que dão significado à existência (“... as coisas que sempre quis fazer...”), não há satisfação; e, ao mesmo tempo lembrando dos crentinos (veja que sua única referencia boa é a casa de uma amiga), você diz: “queria”, “queria”, até um “quero...” — esta foi a sua seqüência de desejos—;mas não tem sentimento por Jesus em razão de que todos eles estão misturados pelo sentir ambivalente que os crentinos infiltraram em você.

 

Assim, a primeira coisa a fazer é jogar Creio-lina na mente a fim de limpar as memórias dos crentinos em você.   

 

Ora, a fé vem pelo ouvir [ler] a Palavra de Deus!

 

Assim, comece a ler os evangelhos sem buscar as interpretações que você ouviu nos três anos de convívio na “igreja”. Apenas leia como uma virgem pura esperando o seu esposo.

 

Então, leia muito este site; e dele aprenda a fazer as separações entre os crentes e os crentinos. A seguir você entenderá que o justo vive pela fé, e não pelo sentir.

 

Enfim, tudo isso passara assim como quando uma agulha de injeção é tirada e a gente sem sente.

 

A fé brotará; a alegria crescerá; o amor explodirá; e a vontade de ser em e para Jesus arrebentará seu ser em louvores nos céus.

 

Não busque sentimentos passados. Eles jamais serão os mesmos; assim como nunca mais na idade adulta se ama como amou aos sete anos de idade.

 

Cada estação tem sua fé e seu manifestar de amor.

 

Leia aqui no site acerca dos perigos dessas raízes saudosas do passado, as quais paralisam o hoje; e também bloqueiam tudo que seja amanhã.

 

Mas faça o que lhe digo, e, depois, me escreva. Ora, eu sei que você já me escreverá perguntando onde pode encontrar um grupo de crentes que não sejam crentinos; e eu terei prazer em indicar uma comunhão de amor para você.

 

Curve os joelhos e diga: Eu quero!

 

O mais...; creia: Ele fará.

 

 

 

Nele, que não é “igreja”, mas sim o Cabeça da Igreja de crentes e não de crentinos,

 

 

Caio

 

15/08/07

Manaus

AM