Português | English

Cartas

NÃO AMO A NENHUM DOS DOIS, MAS HÁ UM QUE ME AMA DE QUALQUER

NÃO AMO A NENHUM DOS DOIS, MAS HÁ UM QUE ME AMA DE QUALQUER

-----Original Message----- From: NÃO AMO A NENHUM DOS DOIS, MAS HÁ UM QUE ME AMA DE QUALQUER JEITO... Sent: sexta-feira, 23 de janeiro de 2004 16:28 To: contato@caiofabio.com Subject: ME AJUDE A DECIDIR... Mensagem: Oi! Gostaria muito que me ajudasse. É que tenho que tenho que tomar uma decisão muito importante na minha vida em relação a minha vida sentimental. Acredito que sou muito indecisa...e não tenho tanta intimidade com Deus pra que Ele possa resolver essa situação. Namorei seis anos com um rapaz, e durante esse tempo tivemos muitas brigas...nos magoamos muito...e não sei se estou com o coração limpo em relação a ele. Acontece que ele gosta de mim...ou diz que gosta muito de mim....já faz mais de um ano que nos separamos...e ele não desiste de mim. Mas hoje estou no dilema de voltar ou não pra ele...com medo de ficar sozinha...acho mesmo que dou esperanças pra ele...apenas por medo. Mas também estou envolvida emocionalmente com outro...e estou realmente sem saber o que fazer. Me ajude! *************************************************** Resposta: Minha amada irmã: Bondade e Paz sobre você! Há quatro coisas que desejo dizer a você, pedindo a Deus que lhe sejam úteis. 1.A sua questão não é para a “intimidade com Deus”, mas para a intimidade com você mesma. Ninguém se torna íntimo de Deus sem ser intimo de si mesmo. A intimidade com Deus é para os que o amam e temem. Ela surge de uma tomada de consciência. E essa consciência vem de duas percepções: a) quem eu sou...sem máscaras ou fachadas; b) quem Deus é...sobretudo, qual é a extensão de Sua Graça para conosco, os que cremos em Cristo. Quando a gente se enxergou sem medo, e discerniu o amor de Deus apesar de nós...então, começa a intimidade com Deus...que é fruto da fé que entrega, confia e descansa. A intimidade com Deus nos põe num chão no qual a gente passa a saber, em fé, que Deus é por nós...e que nos vê como filhos...e que Ele não se envergonha de nos assumir como Seus filhos. Ora, isto inicia o processo de mergulho no conhecimento de Deus, pois nos faz crer sem barganha com Deus, e amá-Lo sem medo. Deus se agrada dessa confiança, e fica intimo de quem Nele confia. 2.Você namorou seis anos um rapaz e terminou por causa de brigas, mágoas e ressentimentos—pois as brigas eram muitas... Hoje você namora um outro—pessoa que, com certeza, você não gosta—, mas agora está na dúvida se volta para o “primeiro”; e isto não apenas porque não gosta do “atual”, mas, sobretudo, porque você não gosta do gosto que ele tem por você. Ou seja: você está pensando em voltar para o outro apenas pela certeza de que ele ama você; e o seu temor é que não o “prendendo” agora, você possa perder a certeza de ter “alguém que ama você”. De fato, você não ama ninguém...apenas não quer perder o “ticket-amor”, com cadeira cativa...e esse “ex-namorado” pode até não ser a pessoa que você gostaria...mas como ele insiste em gostar de você...sua insegurança a leva a crer que é melhor tê-lo—com a certeza da paixão dele por você—, que não ter ninguém. Portanto, sua questão não é amar...é ser amada. O nome disso é Insegurança. 3.Ficar com alguém por causa de tal motivação será desastroso. Já é difícil viver com quem se ama...O quão difícil você acha que será viver com quem você não ama? Voltar com esse rapaz pela insistência dele...e também porque ele é a garantia de que você não ficará sozinha...será a garantia de que seu futuro será trágico...e muito dolorido. Por enquanto esse “amor step” serve...mas depois de um tempo você verá que só serve quem a gente ama e quem ama a gente também. Do contrário, minha irmã, a pessoa pode ser boa, ter caráter sólido, ser séria, ser tudo de bom...e, ainda assim, ser um tormento ficar com tal pessoa como marido ou companheiro apenas porque ele ama a gente. Ele desejará um dia também ser amado, e, quando essa estação chegar, sua figueira pode até ter muitas folhas...mas não terá os frutos que a fome de amor dele demandará...e ele buscará os figos do amor em você...não os achará...e acabará amaldiçoando o dia em que casou com você. Será inevitável. Além disso, sem amá-lo, você nunca conhecerá o amor...e não demorará e você começará a odiar ser “mulher” para um homem que você não ama...o resultado é que se acaba buscando encontrar o amor ou a possibilidade dele em outro lugar...o que quase sempre trás muitas dores, pois implicará uma nova ruptura...e elas por mais indolores que sejam, são ainda o próprio inferno. Portanto, se você pode não ter que viver isso, evite...para o seu bem e para o bem “deles”. 4.Como eu havia dito, seu problema não é de intimidade com Deus...é de falta de intimidade com você mesma. Quando você ficar intima de você, então, nesse dia, você descobrirá que você tem que ser a melhor companhia para você mesma...e que só depois disso você ficará liberta para poder amar e ser amada. Até lá o “senhor” de sua existência será a Insegurança... Você não precisa ter que aprender sofrendo na cerne que nenhuma decisão do coração pode ser tomada baseada em insegurança. A gente pode e tem esse “direito” de ficar nesse “dilema” em relação a dois empregos; mas nunca deve-se ter tal dilema quando o assunto é o coração e o amor. No amor, ou é ou não é; pois a tentativa de fazer ser aquilo que o coração não diz que é...é um inferno para a alma. Casamento não é só amizade...ele pede de nós cumplicidade e totalidade de amor e entrega. De outra feita pode ser tudo...menos casamento. Concluindo, minha querida, fique só...busque conhecer a você mesma...e a descansar em confiança no Senhor. Quando você tiver coragem de confiar...e entregar...então a segurança crescerá em seu coração...e será apenas daí em diante que você vai saber o que é importante numa relação. Nesse dia você saberá que o mais importante não é se o outro gosta da gente...mas se a gente gosta do outro. Depois, então, é que vem a pergunta: e ele? Gosta de mim também? Ninguém vive bem na vida se as bases da relação não é o amor mútuo, mas apenas a unilateralidade do amor de alguém por nós. Não faça nada contra você mesma. E pouca coisa a gente pode fazer contra nós mesmos—para além de dar um tiro na cabeça—...que faça tanto mal, e cause tanto desconforto à alma, quanto se dar, casar e viver com quem a gente não ama. E repito: isto nada tem a ver com o fato da pessoa ser boa ou não, mas exclusivamente com a verdade da gente amar ou não a pessoa com aquele tipo de amor que aquela estação da vida demanda de nós. Dois velhos podem se casar para fazer companhia um ao outro. Mas duas pessoas que terão que viver décadas e décadas juntas...sofrerão horrores se o amor não houver também desejo, carinho, admiração e plenitude. Até o Rei Davi faria você infeliz se você não o amasse. Sim! mesmo o homem mais virtuoso fará a sua vida ficar “miserável” se você não o amar de fato...como homem. Receba meu carinho e minhas orações. Nele, que nos chama amigos, Caio