Português | English

Cartas

NÃO AGUENTO MAIS...

NÃO AGUENTO MAIS...

-----Original Message----- From: NÃO AGUENTO MAIS... Sent: segunda-feira, 29 de dezembro de 2003 21:53 To: contato@caiofabio.com Subject: S.O.S!!!!!!!!!!!!!! Amigo Caio, PAZ!!! Saiba que tudo o que aqui foi escrito, vem de um coração angustiado, aflito, procurando alguém que fale sobre o verdadeiro Evangelho de Jesus, e “creio” ter encontrado... ...Não sei como começar, mais infelizmente sei como vou terminar... Amo a Deus. Fui batizado, sei que sou uma nova criatura em Cristo Jesus. Hoje tenho 28 anos. Infelizmente vejo e convivo em torno de uma cena lamentável naquilo que deveria ser o alívio para todo o fardo, todo o jugo da humanidade, e a solução para todo o mal: as Boas Novas reveladas por Jesus a humanidade. Mas não é essa a nossa realidade. Vejo e engulo a seco uma barganha fria, barata e vazia; uma forçada troca de favores, uma obrigação imposta a um Deus que nos ama; o uso da Lei do Velho e tão precioso Testamento, para justificar abusos; um estupro na Sagrada Escritura!! Paulo vomitaria?... e como... Vivo no meio de uma perseguição desenfreada. Os dons de profecia!! Vejo homens e mulheres querendo o status de faixa-preta em profeta! Que nojo! Tenho que presenciar histórias como a de um amigo meu que foi com uma parente dele a um desses “concentrado de histéricos”, e que recebeu uma palavra de “revelação divina” que Deus já estava providenciando o casamento deles!!! (o 'espírito' que o revelou isso não sabia que eles eram um casal de irmãos de sangue...). Já passei por alguns estábulos, e vi mais união, mais afeto, mais respeito e mais verdade nos animais que lá estavam...que nos nossos ajuntamentos. Hoje, pra mim, é vergonhoso e humilhante freqüentar uma “igreja” e ser “obrigado” a escolher um dom (de preferência o de Profeta...); caso contrário, eu estarei com um 'espírito' de revolta, e outro de rebeldia perante a minha igreja... Tenho sido pressionado a andar uniformizado e participar de infinitas campanhas mensais em busca da tão cobiçada prosperidade... Não agüento mais!!! E olha que só tenho três anos de Convertido!!! Aonde encaixo nisso tudo as passagens de 1 Corintios 13? Não se prega mais o amor ao próximo! A própria vida de Jesus? Aonde fica? Só se fala em Campanhas de Prosperidade! Campanha do Óleo Ungido, Do Sal de Israel e do Pãozinho na Chapa, da Campanha da Casa Própria e da Chave de Ouro do Peugeot do Fogo Santo!!! Socorro!!!!!!!... E as palavras de Tiago 2:14-18, Mateus 6:19-20, 6:25-34, que tanto mexem com a minha alma? Aonde eu coloco esta atração, este desejo tão forte nas passagens citadas? será que sou eu que estou errado? Não devo me preocupar em auxiliar os necessitados? Será que tudo o que foi revelado nos Evangelhos e no livro de Atos pertence apenas ao passado? Será que naquela época as igrejas também pareciam com programas de auditório? e Pedro como um 'animador de excelência' também segurava os espectadores para a hora certa em que deveriam falar em línguas, dar as ofertas, levantar as maozinhas...?... E o meu 'pastor'? Um belo dia acordou, e teve a brilhante idéia de mudar de Pr. para Ap. (agora é apóstolo), e não pense que sou membro da Universal... Bem, termino uma carta rápida e confusa, como eu; não sei como vai ser, mais sei como deveria... Apenas continuo, meu amigo Caio, crendo... Um forte abraço, ***************************** Resposta: Meu amado irmão: Graça, Paz e Comunhão! Muita gente me pergunta o que eu penso que deveria ser feito para que algo novo acontecesse com a “igreja” a fim de que ela retomasse sua essência. Minha resposta é a seguinte: O impossível. Portanto, não tem que ser tentado, pois, implicaria num auto-aniquilamento que a “igreja” jamais suportaria—pois jamais suportou. Creio que o que se deve fazer é revolucionariamente simples: A Igreja é feita de gente. Há prédios onde ainda há igrejas que se reúnem. Mas já são poucos esses lugares onde dentro, além de gente, há crentes na Graça de Deus, conforme o Evangelho. Na maioria das vezes o que chamamos de“igreja” é uma negação daquilo que a Boa Nova propõe como comunhão humana. Não havendo um Lugar Bom, onde a Palavra da Vida seja ensinada, melhor é que as pessoas passem a se reunir em casas de amigos para orar, ler a Palavra, louvar com singeleza de coração, partir o pão, meditar, e ensinarem-se umas às outras conforme o dom de cada um e; ninguém deveria ser nada nesse grupo, exceto de acordo com o dom da graça recebido. Isto, digo, se não houver um Lugar que saiba que é apenas um Lugar, não o Lugar! Foi assim que a Igreja viveu até o quarto século. Não tenho nada contra os templos. Gosto de templos e de bons cultos públicos, e sei a importância que eles têm. Mas do jeito que as coisas andam, está ficando brabo pra quem deseja coisa séria. Esse “modelo” que está se instaurando no nosso meio com força cada vez maior, o N.T. não conheceu e nem ensinou. Em tempos como os nossos—com tanta facilidade de comunicação também a distancia—, não existe razão para que grandes irmandades de comunhão fraterna não sejam criadas. Isso, repito, com ou sem a existência de um Lugar-Templo. Se houver, como disse, ótimo. Se não houver, melhor será do que “isso” que aí está. E você pergunta: Qual o poder que tem essa igreja discreta? O reino dos céus é como o fermento: vai crescendo desde dentro, até levedar toda a massa. O marketing não é a projeção da imagem, mas a vida singela, bondosa e generosamente humana que cada um viver. “Se vos amardes uns aos outros o mundo crerá”—prometeu o Senhor. Evangelização sem amor é proselitismo religioso, e apenas mais um negócio da religião! Mesmo as coisas que começam boas podem virar um movimento ou uma onda de vaidades humanas, e acaba tudo em pouco tempo. Quem não gosta dessa igreja que é Igreja são os políticos—que precisam do rebanho reunido em grande quantidade—, e os pastores que se alimentam do culto ao gigantismo de seu próprio ministério visível. Sugiro isto como único caminho que vejo no Novo Testamento. As demais formas de expressão são religiosas carregam o papel de fenômeno histórico. Ora, elas jamais acabarão. E ninguém tem que lutar contra elas. Quando servem ao Reino é uma maravilha. Mas quando não servem, é uma desgraça! Não há mais razão para se ter surpresas a esse respeito! Quanto mais os irmãos se sentirem irmãos conforme a simplicidade da fé, mais revolucionária será a Igreja. E mais livre do ataque do Dragão ela estará—conforme o Apocalipse (12:13-18). Portanto, saia daí e procure uma comunhão de amor e fé. Ainda há Lugares Bons. E se você não encontrar esse Lugar, certamente não conseguirá deixar de encontrar os irmãos: eles estão em todo lugar! Quem conheceu a Jesus já não perde a fé por causa dessas coisas! Sei que você vai encontrar o melhor caminho! Conte comigo como irmão de jornada! Nele, que não deixou sós, Caio