Português | English

Cartas

NAMOREI UM MINISTRO DE LOUVOR, ME ENGRAVIDOU...AGORA QUER TE

NAMOREI UM MINISTRO DE LOUVOR, ME ENGRAVIDOU...AGORA QUER TE

-----Original Message----- From: NAMOREI UM MINISTRO DE LOUVOR, ME ENGRAVIDOU...AGORA QUER TESTE DE DNA Sent: sexta-feira, 27 de fevereiro de 2004 11:05 To: contato@caiofabio.com Subject: O MEU PASTOR ME DISCIPLINOU...MAS FICOU COM ELE Mensagem: Bom Dia ! Na verdade não sei como começar e nem como dizer. Sou convertida a mais de 7 anos, mas buscar a face de Deus e estar mais próxima dele fazem uns 4 anos. Eu estava em uma igreja onde eu realmente amava as pessoas os pastores e tinha sonhos de ministério com os jovens, que era de alcançar outros jovens através do louvor e da adoração através de teatro e da arte. Não estávamos muito firmes nesses propósitos, mas queríamos fazer algo diferente para evangelizar as pessoas. Não tínhamos instruções e nem apoio do pastor, mas tínhamos um sentimento por Deus e pelas vidas, era isso que nos dava motivo maior. Apesar de todas as dificuldades e da falta de apoio da igreja estávamos caminhando e isso nos fazia feliz. Principalmente eu que tinha me encontrado naquele meio. Mas Caio, algo de muito terrível aconteceu comigo, eu freqüentava aquela igreja há mais de 3 anos, e então no ano passado uma família se tornou membro da igreja; os filhos desse casal são músicos e eles estavam afastado do Corpo de Cristo; o mais velho estava afastado porque a antiga igreja dele o afastou do ministério de louvor porque ele se separou da esposa...os pais se afastaram porque não aceitaram a forma como trataram seu filho e brigaram com o pastor; os outros dois irmãos se decepcionaram com o ministério de louvor e não quiseram mais ficar na igreja. Até que "infelizmente" eles encontraram a igreja onde eu era membro. Tudo estava acontecendo na minha vida, estava estudando no cursinho para estudar Direito da USP; estava liderando a equipe de louvor dos jovens e ensaiando uma peça musical para evangelização; me dava super bem com a minha família; estava sem dívidas; meu trabalho estava super bem; eu era uma pessoa muitíssissimo feliz. Bastaram três meses para que a minha vidinha mudasse. O mais velho se interessou por mim; seu divórcio não tinha saído; ele morava com a esposa na casa dos pais dele, e a separação aconteceu em fevereiro; e começamos a namorar em Junho de 2003. Era o que eu achava que faltava na minha vida: uma pessoas para casar... uma pessoa que me valorizasse e que me amasse. Caio, me enganei profundamente... Os pastores se apegaram muito àquela família; afinal o louvor precisava muito de pessoas "capacitadas" tecnicamente; um pouco antes deles entrarem na igreja muitos jovens, os únicos presbíteros e alguns membros saíram da igreja...e ninguém sabe o porquê. A igreja mais do que nunca precisava dos serviços deles...a coisa ficou num estado...que só a família Xumes prestava...o resto era resto. Os filhos da família (os rapazes) dormiam direto na casa dos pastores... eles almoçavam e jantavam juntos todos os dias...saiam juntos...e era um grude enorme. Os pastores não vão na casa de ninguém...mas quando a família Xumes os convidava...eles iam. A igreja estranhou esse comportamento...mas fazer o quê? parecia que eles estavam sob o encantamento daquela família. Na terceira semana de namoro com o filho mais velho (29 anos), ele me levou para um motel; ele disse que eu era a melhor mulher que existia; ele disse que me amava; e que ele sentia uma forte atração por mim jamais sentida antes; e que ele não conseguia ter um namoro comigo se ele não me “tocasse”....um medo terrível se instalou sobre a minha vida e então fiquei com muito medo de perdê-lo... então eu disse “sim”...e acabou com a minha vida no exato momento que eu coloquei meus pés naquele motel imundo. A minha aliança com Deus foi quebrada... O rapaz me agredia muito psicologicamente; e toda as vezes que ele me levava ao motel ou algo do gênero...eu chorava muito "depois"; meu coração doía...algo gritava dentro de mim...e ele ficava com raiva da minha choradeira na hora "h"...e depois também. Ele não queria mais que eu fosse no culto dos jovens e nem que eu me aproximasse deles...e principalmente dos meninos... Conclusão: ...larguei tudo o que eu estava fazendo com eles; todos os ensaios; todos os planos...eu nem podia conversar com eles que ele brigava comigo; dizia que eu tinha que ter prudência...e que agora eu estava namorando com ele...e as pessoas não podiam me ver conversando com os jovens...principalmente com os meninos que eu tinha amizades de anos. Me afastei da minha família porque ele dizia que ela não prestava, que a minha mãe queria o meu mal, e que minha irmã tinha inveja de mim...e queria ele para ela. Dizia que o meu pai não se esforçou para dar o melhor para nós... Entrei em uma dívida calculada em quase R$ 2.000 reais...ele dava aulas de música e ganhava pouco...então eu tirava o dinheiro do aluguel e dava para ele colocar de gasolina e para comer...e a conta do telefone em dois meses veio em R$ 800,00 reais...ele dizia que não podia ligar para mim... então eu tinha que ligar para ele; quando estávamos juntos ele só queria sexo. Então não conversávamos muito; ele nunca fez carinho em mim, e nem pegava na minha mão; então sobrava o telefone para conversar, e muitas vezes eu ligava de madrugada para ele chorando, dizendo que a minha vida tinha acabado, e que se não tinha outro jeito para namorarmos...Ele dizia que Deus nos perdoava e que tínhamos que agüentar essa barra juntos...e que eu tinha que ser forte e mulher...e deixar de ser criança...e agüentar a barra...e que casaríamos cedo...e que todo essa dor iria passar. Larguei o cursinho porque ele queria me ver todos os dia e todas as noites; quando eu revidava ele acabava com o meu psicológico e brigava comigo. Dizia que eu não gostava dele e que eu não era mulher, e que eu precisa crescer...que a vida não era do jeito que eu pensava...e fazia um carnaval. Todos os dia eu chegava 0:00 ou 2:00 ou 3:00 da madrugada. Eu trabalhava igual a um zumbi; não raciocinava mais...emagreci 3 Kilos...não tinha mais prazer em comer, em fazer nada; minha vida era em função dele. Os pastores apoiavam o nosso namoro...ajudavam...diziam que ele era a melhor coisa que apareceu na minha vida...mal sabem eles o que ele fazia comigo. Resumindo:...perdi tudo...Com três meses de namoro eu engravidei...fui chamada de prostituta pela família dele e os pastores apoiaram, (não sei porque); fui chamada de destruidora de lar e de ministério. Não rolou casamento, fui desmenbrada da igreja e estamos separados..e ele quer fazer um teste de DNA...porque ele fala que esse filho não é dele. Na mesma semana que eu fui desmenbrada da igreja ele voltou a liderar a equipe de louvor; os jovens meus amigos não me procuram mais por causa dele...e ele está lá na casa que eu ajudei a construir com tanto amor. Como isso doe, para mim. O meu afastamento da comunhão com Deus e com os meu irmão; hoje faze 3 meses que tudo aconteceu; não consigo sentir raiva dos pastores...por terem virado as costa para mim; não tenho raiva dele, e nem dos meus amigos. Mas eu não consigo entender como eu pude entregar a minha vida nas mão de uma pessoa como aquela...e deixar o meu Deus longe de mim. Está sendo difícil voltar; está sendo difícil acreditar; estar sendo difícil deixar os meus sentimento de amor e saudades daquele igreja para trás. Nunca vou deixar de amar a Deus, mas o que é a igreja? O que são os pastores? O que aconteceu com a minha mente em apenas 3 meses? eu que era uma menina cheia de planos, sonhos, alegria, perspectivas... e agora o que me restou foi uma vida preciosa crescendo dentro de mim, da qual eu serei responsável espiritualmente e maternalmente. Não sei para onde ir, sei que me sinto 100% melhor depois que ele e a igreja não fazem mais parte da minha vida. Às vezes fico querendo buscar o porquê de toda essa virada. Na verdade contei essa história porque sei que você também passou por momentos de angústia. Apesar de não saber nada do assunto, mas como é servir a Deus e acontecer essas coisas? Sei que o caminho da volta para Deus é o arrependimento; e isso eu tenho feito; me arrependido de tudo e declarado para Ele a minha dependência e tenho visto a condição miserável em que me encontro. Na verdade não quero respostas, queria apenas entender o que aconteceu comigo. Que Deus te abençoe **************************** Resposta: Querida amiga: Você não quer respostas,mas não resisti! Há um carta aqui no site intitulada “Não Vos Prendais a Jugo Desigual Com os Crentes”. Leia-a. Ela serve para você! No mais, minha querida, eis o que lhe digo: 1. Procure uma outra igreja. Sei que seus vínculos de amizade estão todos lá. Mas já deu para ver que lá há dois pesos e duas medidas...e que disciplina é apenas para mulher...e pobre. Sai daí...isso não é igreja...é leilão ministerial. 2. Quanto ao moço...é mais um cafajestinho evangélico. Este é o termo. Ele só queria “usar” você. Você se apaixonou e ele viu que tinha você nas mãos. Usou-a e descartou-a...coisa de cafajeste. E canalhas também “dirigem louvor”. É um gigolô de menininhas crentes. 3. Peça o teste de DNA. Ele vai ter que arcar com as conseqüências de ter engravidado você. Você já carrega as conseqüências de ser mãe sem querer...e de um canalha que não tem coragem nem de admitir que fez um filho. Ele terá que saber que há conseqüências. Portanto, não alivie. Ele pediu um teste? Pois um teste ele terá. 4. Não se engane mais com fachadas ministeriais. Os palcos cristãos estão cheios de malandros como ele. 5. E saiba: seu pecado está perdoado. E seu maior erro foi ter aceitado os “termos” desse bobalhão. Da próxima vez deixe o cara mostrar quem é. Mas não fique pensando que sua vida acabou. Ela ainda nem começou. Agora chegou a hora de você ser de Deus por Deus. Não desanime e nem ponha a culpa em Deus. A “igreja” é que cria essas circunstancias...pela omissão...e quando age...é com discriminação. Me escreva contando o desenrolar da situação. Estaremos orando por você! Nele, que é o seu marido, Caio