Português | English

Cartas

NA “CASA DO PÃO” SEM PÃO!...

NA “CASA DO PÃO” SEM PÃO!...

 

----- Original Message -----

From: NA “CASA DO PÃO” SEM PÃO!...

To: "Caio Fábio" <contato@caiofabio.com>

Sent: Saturday, October 17, 2009 6:15 AM

Subject: Falar com Caio Fábio

Mensagem: Caro Caio.

Não sei como começar, mas que a Paz do Nosso Senhor Jesus esteja com você.

A mim parece hipocrisia começar assim - dada minha condição, que exporei adiante -, mas prefiro.

Releve, peço.
O caso é que tenho vivido uma vida desgraçada. Casei-me novo, fui traído; separei-me, casei-me de novo.

No novo casamento, fui eu o traidor...

Por isso, resolvi te escrever... Pra falar nem sei o quê, mas falar algo. Talvez seja por você ter passado por um período de "dores" (por favor, perdoe-me por tocar nessa ferida, mas careço do contexto).
Não me interessa sua vida pessoal e nem o rótulo que dão às suas dores. A isso prefiro me referir assim: dores. E escrevo por causa das minhas dores...
Casado, apaixonei-me por outra (uma daquelas pessoas que te vê apenas como um cifrão - não é vingança, acredite -; tive uma filha com esse alguém..., que morreu. No velório da nossa filha, soube da nova gravidez, que resultou no nascimento de uma filha, hoje com três anos.
Durante a gravidez, tentei abortar. Cheguei a ir ao Rio de Janeiro, mas, felizmente, não foi possível a "cirurgia"...
Após o nascimento dessa minha filha, a mãe dela me abandonou e foi morar com uma pessoa...

Em tempo: eu, casado, tinha um relacionamento extraconjugal, pra que vc entenda...
Sofri absurdamente porque amava a mulher absurdamente. Ainda não me recuperei de todo: ainda tremo se penso nela e, lá no fundo - não vou ser hipócrita! - sonho em um dia tê-la novamente em meus braços. Esse sentimento, há que se dizer, é reprimido a contento - a mulher, literalmente, acabou comigo, pôxa!. Em todos os sentidos ...
Agora, o outro lado da história: sou casado com uma pessoa maravilhosa, uma verdadeira serva de Deus. Congregamos nas Assembléia de Deus do Belém. A despeito do rumo que tem tomado a igreja, ao menos aqui, em nossa cidade, o pastor é um servo de Deus, que não mercantiliza a fé. É uma exceção, realmente.

Então..., minha esposa é maravilhosa. Mas não é bela, sobretudo se comparada à outra. Mas me ama, me respeita, e ficou do meu lado quando estava nas "dores" ... Foi minha amiga, companheira. Chorou muito, sofreu muito, mas abraçou o marido a quem todos chamavam de safado, sem-vergonha, biscateiro, essas coisas...
A essa mulher eu traí e não consigo amar ... Tento, mas não consigo. Poderia amar a qualquer mulher, menos ela ... Olha que desgraça!
Somado a isso, há um outro problema que me aflige: pornografia, pornografia, pornografia. Sou viciado. Não consigo ficar sem ver, sem me masturbar, sem ficar imaginando fazer um programa com uma daquelas que minha carne considera "gostosa".
Mas é coisa que não gosto, apesar de gostar. Queria parar, amar minha esposa, ser feliz. Coisa que não consigo.
Em relação à igreja, fui excluído da comunhão - pudera, foi um escândalo daquele! -, mas há quase dois anos retornei e - é costume aqui, releve -, pedi perdão a Deus e à igreja e hoje estou caminhando. Aos trancos e barrancos, diga-se. Não leio a Bíblia e raramente oro, mas participo de um quarteto da igreja - sou barítono. Aquela vidinha hipócrita e desgraçada, com que minha alma não comunga. Mas o desejo da minha alma não tem vindo ao caso.
Eu não sei o que fazer, não, Caio. Com o adultério, perdi tudo: respeito - era uma pessoa respeitada!-, "amigos". Fiquei esquecido e parece que tenho lepra. Inclusive, há muitos que fazem verdadeiro contorcionismo pra me evitar. Isso nunca me doeu, mas agora tá doendo...
Eu queria deixar a pornografia - eu gosto muito de ver e de masturbar! -, mas isso não está me fazendo bem. Se é pecado ou não, Deus o sabe, mas está me dominando, ditando a minha forma de viver: são 5 da manhã e eu aqui, nesse computador, depois de ter assistido a uns vídeos pornôs e ter me masturbado.
Não queria essa vida... Mas não sei mais como lutar. Vi que não consigo e talvez não tenha jeito mesmo...
Amado, há alguma palavra que possas me dar?
Ainda que sejam só migalhas, me dê algo.., quando puderes ...
Minha alma tem fome e eu não consigo alimentá-la... 
Tenho tudo de que preciso. Mas não tenho nada...
Queria ter um pouco.
Só um pouquinho mesmo!
Já bastaria ...
Abraço
____________________________________
Resposta:

 

Mano querido: Graça e Paz!

 

A grande vitima disso tudo é sua mulher, a mulher mesmo, a que cuida, ama, perdoa, estimula, crê, valoriza, ampara, suporta e diz: Vamos, pois a vida pode ser melhor!...

Mas ela está “bloqueada” por você e para você...

Sim, pela história religiosa, pelo modo e o meio no qual vocês se conheceram...; sim, pelo namoro culpado e cheio de proibições sexuais [que colaram nos seus olhos e sensibilidades em relação a ela], pela associação que você faz dela, da sua esposa, à “igreja”; sim, você se bloqueou em relação a ela porque para você [...] ela é a “mulher da igreja”; ou seja: você sente que não pode amá-la tanto quanto sente que não pode e nem consegue amar a “igreja” [...] que a ela dá face, não porque assim seja, mas porque assim se tornou para você...

Seu conceito de “gostosa” não confere com ela, que é feia, que não é gostosa, que não sabe dançar, que não ginga, que não geme até à loucura, que não sabe propor, que não sabe dar..., que não sabe truques de circo sexual...; pois, para ela era proibido saber..., era pecado desejar..., era do diabo aquele sentir... — segundo o “treino” dela na “igreja”...

Para mim você é o típico “evangélico” contemporâneo...

Ou você pensa que você é uma exceção na sua “igreja”?...

Não, mano, você não é... A diferença é que você foi “pegado”... Somente isso... Mas lá está cheio de “você”... Sim, pra todo lado...

No meu livro “Sem Barganhas com Deus” [aqui no site você faz o download gratuito dele] trato do fenômeno que se instala na alma humana como compulsão sexual [entre outras...], justamente em razão do peso da Lei e da Moral que decorre da Teologia Moral de Causa e Efeito pregada pela “igreja”, pelo Cristianismo, não pelo Evangelho...

Sugiro que você faça a leitura do livro o quanto antes, pois, por ele, você se entenderá bastante; e, quem sabe, poderá iniciar um processo de esvaziamento de si mesmo em relação a tais pulsões que tendem a aumentar nos ambientes das muitas proibições ou do sexo como premio do diabo aos homens...

Quanto mais culpa, repressão e proibição [...], mais tara, mais tesão ensandecido, mais loucura, mais descontrole, mais entrega da alma às sombras, mais desejo desenfreado, mais infantilismo objético, mais satisfação de menino, mais fome de mendigo, mais capricho como direito adquirido pelos anos de proibição...; e, sobretudo, mais sexo como vingança inconsciente... Sim, vingança contra a “igreja” [hipócrita], os pastores [fariseus], a religião da mentira, e tudo mais...

Sua pulsão sexual é ódio, é vingança, é raiva, é vontade de tirar o déficit que você julga [inconscientemente] que a “igreja” impôs a você...

Em você, no seu “drama”, não há amor, mas apenas culpa...

Seu desejo pela outra [a amante que lhe gerou filhas que não ficaram, a mesma que traiu você], não é amor e você sabe disso... Sim, é apenas paixão carnal; posto que seu sonho seja comê-la de novo; ou seja: “tê-la em seus braços...” Mas é somente isto...

Você nunca amou até hoje... Aliás, você não sabe nem o que é isto... Daí confundir tesão com amor... Daí pensar que transadas do século dizem alguma coisa a mais que animalidade expandida declara...

Você está escravo dos cheiros, dos líquidos e das molhadeiras genitais do tesão... Somente isto!...

Mas nas suas memórias não há vida... Sim, você não aludiu a nada que não tivesse acontecido entre as paredes de um quarto de sexo escondido...

Assim, sua carta fala de tesão de adolescente de “igreja”...

Sim, o que digo é que tais manifestações são de infantilismo emocional total...

Tomara que a “outra” volte [...] e dê mais uma arrebentada legal em você... Talvez assim você aprenda...

Quanto à sua mulher, ela merece mais que pena...

Em nome de Jesus, se você não a ama, então, deixe-a livre [...]; mas não a use apenas para cuidar de você, como uma governanta de luxo...; pois, isso sim..., mano, grande é a sacanagem!...

Quanto à prostituição, à pornografia, etc... — estarão sempre com você até que você aprenda a amar de verdade, e até que você deixe de ser tão infantil emocionalmente, tão adolescente, tão menino nas aflições genitais...     
Você precisa mesmo é encontrar Jesus na vida!...

Você é do Belenzinho, mas não é de Belém, da Casa do Pão [que é o significado do nome Belém em hebraico]... Sim, você é da Casa da Proibição, não da Casa do Pão...

Ora, na Casa da Proibição que não serve o Pão, todo desejo reprimido vira compulsão...

Entretanto, se quer mesmo a minha ajuda, leia o site, todos os dias, assista a Vem e Vê TV todos os dias, e leia o “Sem Barganhas” o quanto antes...

Aqui no site recomendo a você que escreva no campo de Pesquisa do site as palavras promiscuidade, pornografia, prostituição, traição, sexo, etc... — e você encontrará tudo o que precisa, se é que você de fato almeja o que necessita com urgência... Portanto, vá, baixe e leia o livro...

Mas pelo amor de Deus, não pratique como pena tamanha maldade sobre a sua mulher!...

O que você sente é engano e mentira... Mas você não tem o direito de fazer dela a escrava de seu mentir...

Esta é a diferença entre meninos e homens...

Proponho que você leia o “Sem Barganhas” e que também se exponha ao site e ao nosso canal na web, a Vem e Vê TV..., por um mês... Se ao final nada tiver melhorado em sua consciência, então, por favor, libere a sua esposa...

Digo isto com pesar, mas sei que ela preferirá não ter você de verdade [...] a ter você de mentirinha...

Receba minhas orações!

Nele, que somente liberta na e pela verdade,

 

Caio

18 de outubro de 2009

Lago Norte

Brasília

DF