Português | English

Cartas

MINHA VIDA HOMOAFETIVA!

MINHA VIDA HOMOAFETIVA!

 

 

 

 

 

----- Original Message -----

From: MINHA VIDA HOMOAFETIVA!

To: contato@caiofabio.com

Sent: Tuesday, May 27, 2008 12:10 PM

Subject: Minha vida homoafetiva

 

    A paz do Senhor meu Pr Caio Fábio, se assim o posso chamar...

 

Minh'alma hoje chora, sinto como se meu espírito estivesse dilacerado pelo monstro chamado vida.

 

Sou o primeiro a me converter em uma família absolutamente desestruturada. Vivi ocupado com ministério, dirigindo grupos na igreja, estudando, aos 21 já era formado em Bacharel em Teologia e hoje aos 22 estou no 3° período de Pedagogia.

 

Vivi tentando ocupar minha mente para fugir de minha tendência homossexual. Decidi me abrir para a família, meus irmãos diziam já saber, por mais que eu seja muitooo discreto, mas para minha mãe foi um susto terrível.

 

Desde janeiro deste ano  estou vivendo sem esta culpa. Mas sou pregador itinerante com viagens, muitos convites surgem de várias partes, congressos, cruzadas,  festividades.

 

Tinha um ministério que dirigi durante três anos; quase cem almas vi se convertendo ali; inclusive na maioria em minhas mensagens.

 

Amei um rapaz e por isso larguei tudo para viver esse amor, porém não correspondido. Decidi não desistir do sonho de amar alguém como eu, mas cada vez que me arrisco e sofro.

 

Já amei muito uma menina durante cinco anos, só que quando as coisas se tornaram quase que oficiais contei o que realmente havia dentro de mim e assim terminou a relação.

 

Hoje não sei mais o que faço, toda vez que encontro alguém para amar só me amam por um tempo e depois dizem ser errado e eu que fico com o sofrimento.

 

Não sou promiscuo. Nunca fiz sexo em minha vida. Apenas quero ser amado e me sentir completo. Por mais que as almas ainda venham ao meu encontro, seja no ônibus, na academia ou andando na rua, quando me param às vezes e, do nada, me perguntam: Você é cristão?

 

Nossa sempre fico imaginar o porquê disso...

 

Não pretendo exercer ministério. Não quero isso, pois sei que o ser humano é muito cruel.

 

Prometi à minha mãe que ela terá os netos que tanto sonha, só não sei como.

 

Queria muito me casar na igreja, mas tenho medo de não dar conta do recado depois.

 

Não sei o que faço se insisto em amar alguém ou viver no celibato.

 

Sei que na época de Cristo o que mais existiam eram culturas gays, mas nunca vi o Nosso mestre falar nada a respeito, e quando disse sobre Sodoma e Gomorra nada declarou sobre a sexualidade exacerbada deles, mas apenas da falta de hospitalidade.

 

Se ao menos Cristo estivesse a falar, nada para mim importaria, seja a opinião de Paulo como a de todos sobre o assunto.

 

Por favor, me ajude. Não sei mais o que fazer. Moro sozinho há uma semana, pois não agüentei o peso dentro de casa.

 

Estou apenas visitando igrejas por mais que não me sinta fora da comunhão de Cristo pela Graça...

 

O que faço? Tento casar? Vivo o celibato e volto a pregar? 

 

Luto contra isso batendo novamente minha cabeça na parede toda a noite?

 

Continuo a tentar amar alguém que me complete?

 

Deus vai me castigar se não voltar a pregar?

 

Sei que os seres humanos vivem mais com perguntas que respostas, mas se puder me ajudar com algumas delas, ficarei grato eternamente!

 

Um abraço de quem muito o admira, pelo poder da palavra acima de tudo!

 

Deus te abençoe hoje e sempre!

_____________________________________________ 

 

Resposta:

 

 

 

Meu mano amado no Senhor: Graça e Paz!

 

 

 

Posso avaliar a sua dor. Jamais serei insensível a ela. Sim! Peço ao Pai que jamais me deixe ficar pedrado para a dor de meu próximo, seja ela qual for.

 

Jesus falou do assunto quando falou dos “eunucos”.

 

Ele disse que uns nascem eunucos. Ou seja: sem a tendência natural ao desejo, a potencia, ou a afetividade heterossexual. Isto sem falar que em alguns casos alguns nascem sem o próprio órgão sexual ou nascem hermafroditas, fisicamente falando.

 

Ele também disse que outros são “feitos eunucos” pela ação dos homens. Ora, no passado isto poderia ter a ver com a castração de escravos para o serviço nos haréns reais ou simplesmente para que se tivesse alguém em casa servindo em tudo, porém, sem o poder de procriar ou de se relacionar sexualmente com as “mulheres da casa do senhor”. Além disso, a palavra de Jesus inclui aqueles que foram tão usados desde a infância que se condicionaram àquele tipo de sensação sexual que lhes foi causada pela imposição cruel de outros. Ou, ainda, em razão de que a psique de tais pessoas, pelo abuso, tornou-se presa à arquitetura psicológica da homossexualidade.

 

Por ultimo Ele falou dos que não sendo eunucos, a si mesmos fizeram-se eunucos pelo desejo de dedicarem-se inteiramente ao Senhor. Aparentemente este foi o caso de Paulo, por exemplo.

 

Ora, Ele conclui que nem todos estavam “aptos para este conceito”. Todavia, alguns estão capacitados a entenderem e a praticarem tal entendimento.

 

Conheço muitos homens de Deus sem qualquer afetividade heterossexual, mas que decidiram, por amor ao Reino de Deus, viverem sem sexo; ou seja: tornarem-se eunucos pelo Reino.

 

Sim! São muitos os que assim assumiram a vida, a despeito de suas tendências naturais a amarem apenas aqueles que são do mesmo sexo.

 

Alguns dos homens mais celebrados no mundo da fé real e genuína que, seja por serem homossexuais afetivamente, ou por não terem qualquer desejo sexual por mulheres, optaram por ficarem como foram chamados por Deus. Ou seja: sem homem e sem mulher.

 

O que não se pode é casar para dar filhos à mãe. Não! Jamais. Afinal, a pessoa com a qual se venha a casar tem o direito de saber que o candidato à marido não gosta de mulher. Do contrário, é um casamento fundado em mentira e em traição silenciosa.

 

Se você nunca teve relações sexuais, e se consegue continuar assim, melhor será para você. No entanto, jamais case com uma mulher [seja você homossexual ou heterossexual] sem amor e sem desejo.

 

Neste mundo caído há muitas renuncias a serem feitas, não apenas nesta área, mas em muitas outras. Na realidade não há caminho com Deus sem renuncias, e, aquele que não admite isto com alegria, apenas fará sacrifícios.

 

Assim lhe digo o que está no espírito do que Jesus disse acerca dos eunucos:

 

1.       Se você puder viver sem sexo, viva. Pois, a alternativa, por mais pacificado que você seja ou esteja, é inferior ao que o chamado do Evangelho propõe como vida.

 

 

2.       Se você só sente afetividade pelo mesmo sexo, então, por favor, não case com nenhuma mulher apenas dar satisfação social ou à sua mãe.

 

3.       Se você ama a Palavra e o anuncio dela, então, opte por tornar-se eunuco por amor ao Reino de Deus.

 

 

4.       Se você acha que não consegue “se segurar”, então, creia no Evangelho como Graça para a sua vida e para a de todos os homens, mas, assim mesmo, não se faça “pregador”, pois, como você mesmo disse “a humanidade é cruel”, especialmente a “desumanidade” dos religiosos.

 

5.       Se você, todavia, ama a pregação da Palavra mais do que a tudo, então, ame a pregação mais do que a tudo e fique como está. 

 

Tenho amigos que todo mundo respeita, pois, são pessoas respeitáveis, e, nesta área, alguns deles escolheram fazer renuncias por amor ao Reino de Deus.

 

Espero de coração que o que lhe disse não lhe seja um fardo, mas um conselho de amor que possa ser vivido por você com submissão alegre à bondade de Deus.

 

Ou seja: tudo o que lhe disse não é um mandamento, afinal, Jesus mesmo disse que “nem todos estão aptos para tal conceito”. Todavia, sei que o que lhe disse é o que de mais elevado um homem amante do Reino pode escolher.

 

Nada do que lhe disse carrega juízo. Entretanto, chega a você como uma elevada proposta de vida e de escolha. Porém, somente você pode decidir.

 

Receba meu beijo com todo carinho e amor, pois, como disse no inicio, posso imaginar a dor que você carrega; e mais: também sei que a alternativa não lhe poupará de dores ainda piores.

 

Nele, que ama os eunucos, todos os eunucos, os assim nascidos, os assim feitos, e, sobretudo, os que por amor assim se fizeram,

 

 

 

Caio

 

28/05/08

Jerusalém

Israel

No dia em que volto ao Brasil