Português | English

Cartas

MINHA IMENSA GRATIDÃO

MINHA IMENSA GRATIDÃO



 

 

 


----- Original Message -----
From: MINHA IMENSA GRATIDÃO
To: Caio
Sent: Tuesday, March 21, 2006 11:26 AM
Subject: Agradecimentos e coisas assim

Oi Caio,
 

“E um deles, vendo que estava são, voltou glorificando a Deus em alta voz.” (Lucas 17:15)


 
Amigo Caio, como é bom escrever-te.  Faz alguns anos que venho a seu site.  Desde quando havia “só” umas 2 centenas de cartas...Comecei por lá enquanto eu mesmo ainda tinha a alcunha de “seminarista”.  Agora já não mais.  Nem isso nem aquilo.  Apenas “eu, caçador de mim” como diria o Milton Nascimento.
 
Teria tanta a coisa a lhe dizer... tantas que gostaria de compartilhar... é que eu, como tantos outros, entro em seu site diariamente e isso trás uma proximidade maravilhosa.  Como você escreveu a muito tempo atrás, entro ali para tomar meu café matinal.  Também de ouvir suas pregações, ler seus livros... eita, coisa boa!  Ixi, mas você não é responsável por aquilo que cativou rsrs... eu respondo por mim.  Mas é bom tê-lo como amigo, ainda que seja um amigo distante.  Mas a Graça nos une.
 
Essa é uma carta de agradecimento.  Resolvi escreve-la agora porque ontem, dia 15 de março de 2006, encerrou-se mais um ciclo em minha vida.  Foi ontem que mudamos (eu e Erica, minha esposa) de município e esse foi o ápice de uma série de ondas, tsunamis e rios que passaram em nossa vida.
 
E tudo começou – para o meu bem, libertação e evangelização (no sentido bom da palavra, ou seja, tornar-se alguém somente do e para o Evangelho) – com a leitura de seu site.  Aquilo que havia em mim achou voz aqui e tomou carne, músculos, pele, movimento e ânimo: Vida.
 
Desde a primeira idiota carta que lhe escrevi (óh, céus!), passando pelas duas onde lhe retratava meu drama até os contatos telefônicos, sou muito grato (fora muitas outras que lhe escrevi...).
 
Agradeço pela forma consciente e dolorida que me respondeu a primeira; pele jeito paternal e amigo que me respondeu as outras e pela maneira pastoral e carinhosa que comigo falou ao telefone...valeu amigo.
 
Depois que aqui entrei tudo mudou. “Caí” (na visão “deles”), mas caí pra cima (na Visão dEle). E quanto digo caí, digo que caí de onde estava, caindo bem pra caramba!  Caí (ou fui caído) de todos os cargos que tinha.   Caí daquela forma quadrada de olhar a vida, os outros, minha esposa, familiares e amigos.  Caí do medo do “mundo”.  Caí de julgar o outro.  Caí da “igreja”.  Caí também no conceito do local onde congregava-me.  Caí feio dali!  Mas que queda boa essa heim?!
 
E foi ali que minha queda, como tinha que ser, foi maior.  Ao final chamaram-me para uma reunião onde eu deveria fazer algumas “considerações” sobre o que vinha escrevendo (ah, sim, foi depois que comecei a lhe ler que tive a vontade de criar um site (e depois um flog) que a mim serviu de terapeuta, meio de expressão (pois não tinha onde e nem com quem expressar-me totalmente)).  Pois bem, já cheguei lá com minha carta de pedido de desligamento em mãos assinada por mim e minha esposa (sim, minha esposa!...).
 
 
Hoje estamos desligados da “igreja”, perdemos boa parte dos “amigos”, mudamos de município (estávamos onde estávamos por causa da “igreja”), ela mudou de emprego, não é mais “ministra de dança” (eca!) e já damos nossos primeiros passos de dança (agora uma dança alegre e despretensiosa) na night.  Estamos melhores, digo, mas felizes e leves, com certeza!
 
Já estava me reunindo com um grupo a 1 ano mais ou menos e agora vamos aumentar a periodicidade dos encontros (duas vezes ao mês, pois era apenas uma).  Estou muito animado com este grupo.  Este grupo não tem nenhuma pretensão, digamos, no sentido igrejeiro da coisa... queremos apenas nos reunir como amigos, conversar uma boa conversa com base no Evangelho, ter alegres momentos e por aí...  Espero que muitos possam somar a nós para compartilharmos sobre a delícia do Evangelho.
 
É isso amigo, muito poderia ainda lhe escrever, mas é isso um pouco de tudo que gostaria de compartilhar.
 
Afinal essa é uma carta de quem, passada uma longa e tenebrosa tempestade, volta para agradecer por tudo.  E reafirmar que caminhamos juntos.
 
E dizer que amo você.
 
No Caminho, onde caminhamos agradecidos por tamanha Graça, sobretudo.
 
Beijos no coração e nas bochechas.
 

Vando
 
_____________________________________


Resposta:

 

Meu querido Vando: Graça e Paz!

 

Deixe que os mortos enterrem os seus mortos. Tu, pois, vai; e prega o Reino de Deus!

 

Lamentei que você não tenha podido vir ao Encontro da Estações do Caminho, e recomendo a você que faça contato com o Marcelo Quintela, da Estação do Caminho em Santos, e receba as instruções dele sobre como proceder para ter todo o material do Encontro, bem como sobre como preparar-se para receber a Video Conferência semanal.

Agora é não ficar “reativo” e nem “protestante” em relação à “igreja”.

“Os do Caminho” são pró-teste, pró-experiência, pró-vida, pró-transformação da mente, pró-contínua-metanóia, pró-perdão, pró-conversão, pró-alegria, pró-reciclagen da dor em amor grato, pró-céu, e pró-próxima vinda do Filho do Homem.

Assim, essa página “igrejal” está virada; e há muito a ser feito; e os obreiros da seara estão cada vez mais reduzidos em número; visto que o que cresce é o Império dos Lobos.

Portanto, quem desejar o pastoreio do Lobo, que o tenha; e quem ouvir a Voz do Pastor, que o siga.

Quanto a você, reuna o grupo com vontade mesmo, e parta para dentro; pois há muita gente aflita, desgarrada e sem amizade em fé; existindo em profunda solidão; e tudo porque os filhos de Deus não se re-unem.

Seja pastor de todos os que o procurarem; e ensine-lhes a Palavra. O mais, meu amigo querido, o Espírito Santo fará.

Além disso, não deixe de motivar os do Caminho que com você se reúnam, a serem generosos, abertos, e livres de preconceitos e juízos; bem como, estimule-os orarem uns pelos outros, e também com imposição das mãos, pois, Deus haverá de confirmar a Palavra através de sinais que se seguirão, conforme a promessa de Jesus.

Receba meu beijo, carinho e orações!


Nele, em Quem nós todos somos um só povo, e reino de sacerdotes, sob o Seu Sacerdócio, segundo a Ordem de Melquizedeque,


Caio