Português | English

Cartas

MEU MARIDO DEU UM BEIJO NUMA MENINA! NÃO CONSIGO PERDOAR!

MEU MARIDO DEU UM BEIJO NUMA MENINA! NÃO CONSIGO PERDOAR!



----- Original Message ----- From: MEU MARIDO DEU UM BEIJO NUMA MENINA! NÃO CONSIGO PERDOAR! To: Sent: Friday, January 28, 2005 6:57 PM Subject: DENTRO DO ÔNIBUS... Graça e paz pastor Caio! Obrigada por mais uma vez responder querido! Meu esposo me fez uma revelação que está doendo e luto a todo momento para esquecer... Primeiro farei minha breve introdução para que entenda. Namoramos 3 a distância. Ele no seminário teológico e eu com a minha faculdade. Sempre fomos um casal feliz que sonhava com o casamento. Quando ele havia concluído o 4ºsemestre, voltou para as férias e noivamos. Foi o noivado dos sonhos. Nós estávamos definindo nossas vidas e o início de tudo parecia a transferência de um seminário para outro. Optamos pela mudança por motivos de ordem financeira. Então chega mais uma despedida dolorosa, onde nos veríamos, como sempre nas férias. Quando ele chegou a uma certa localidade, me ligou perguntando se devia prosseguir a viagem. Eu disse que sim, pois Deus estava conosco e que Ele daria forças para continuar. Nessa localidade, embarcou uma moça que sentou ao seu lado. A viagem ainda seria muito longa. Foram os dois conversando durante muito tempo. Eis que chega a noite e ele pega no sono. Quando acordou, a moça estava com seu rosto muito próximo, olhando-o fixamente e o puxou para um beijo. Se beijaram, ficaram, suas bocas, suas línguas foram uma só... Ele se esqueceu de mim naquele momento, de tudo que sempre fomos, de que eu o esperava fiel, de que eu estava orando para que chegasse bem. Havia se esquecido principalmente que levava meu coração com ele, pois ainda chorava sua despedida... Pastor, meu mundo desabou... Ele mentiu por 2 anos dizendo que nunca havia me traído... Ele se arrependeu do que fez, me pediu perdão dizendo que me amava. Disse que o perdoava, mas o escuro daquele ônibus tem sido meu pesadelo todos os dias desde então...Imagino como foi cada movimento que os impulsionavam para o próximo sentir de lábios, cada olhar que trocaram, até quanto tempo durou o doce sabor da traição, interrompido pelo lembrar de mim... Ele me ama, eu sei, e por amá-lo estou travando uma luta contra a dor que sinto... Meu amigo, existe uma maneira, uma fórmula para deletar a traição? Me sinto eternamente grata por me ouvir... Que Deus o abençoe por ajudar vidas... ____________________________________________________________________________ Resposta: Minha querida amiga: Graça e Paz! Não! Vivendo do passado não há meios de se deletar nada. Afinal, é no passado que tais coisas estão, e é também nele que você está vivendo, sempre “tocando” a mesma fita, com as mesmas cenas, e com todas as suas próprias contribuições e acréscimos ao que aconteceu. Na realidade a gente esquece algo assim não porque “esquece”, mas porque perdoa. Ora, o perdão é o elemento divino que dissolve as emoções de qualquer traição a fim de que se possa perdoar e acolher o outro. Sua carta também fala muito de você. Sim, de como você “sente muito” também em razão de você mesma. Na realidade “você” é o centro do problema, pois, é você que sente por você, e se indigna por você, e acha que foi um abuso a você, e lamenta que ele tenha “esquecido” de você por um “momento”; e chora o fato de você ter em seu currículo—feito de um noivado de sonhos—um episódio desses! Se você ficou sabendo, é porque ele contou. E, se contou, queria ficar livre disso em relação a você. Contou e se ferrou. Duvido que compartilhe mais qualquer outra coisa com você. Sim, ele sente que nunca deveria ter contado, pois, de certo, pensa ele, caiu numa esparrela. Se ele não quisesse as coisas limpas entre vocês, jamais teria contado, você jamais ficaria sabendo, e a vida continuaria normal... Não o recompense pela verdade com a amargura! O que aconteceu poderia ter acontecido no meio da noite, num ônibus, dependendo das circunstancias, até mesmo com você! Aliás, o modo como você fica “vendo” o ocorrido revela muito de sua “imaginação” sobre esse tipo de assunto. Portanto, revela muito de como você pensa nisso. E mais: revela como você faria se estivesse naquele ônibus. A gente sempre julga com as medidas de nossa própria medida interior. De tal modo que uma coisa fica grave na mesma medida de nossa gravidade, e que, muitas vezes, também revela como “faríamos” se fossemos o outro. Assim, pare de ficar beijando a menina pelo seu marido. Ele só beijou uma vez..., mas você beija todos os dias... e o faz lembrar de novo do que fez. Você também falou que ele fez isto “enquanto você o aguardava fiel”. Parece até que você ficou com raiva de algo mais... Soa como se você estivesse arrependida de sua fidelidade! Saiba: a gente tem que ser fiel por causa de nós mesmos, não do outro. Quem é fiel por causa de si mesmo, esse perdoa muito mais facilmente. Mas aquele que é fiel como barganha com o outro—tipo: sou fiel, então seja!—, esse não sabe perdoar; e, muitas vezes, fica com tanta raiva que fica querendo “dar o troco”. O que você tem que decidir é se quer acabar seu casamento por causa desse beijo. Se quiser, acabe logo; e arrependa-se depois. Mas se não quiser, e souber que ele de fato ama você—como parece ser o caso—, então, pare com isso. A maioria das vezes esses ciúmes e raivas são fruto do orgulho. Você deve ser muito orgulhosa, daí tanta dor raivosa. É claro que dói. Quem gostaria de ter isso como emoção? No entanto, a coisa é mais básica. Esta feito. Aconteceu. Já faz tempo. A vida continuou e estava tudo bem. O seu marido, então, na inexperiência em relação a você, achou que se contasse melhoraria as coisas. Contou e dançou. Nunca mais confiará... à menos que você dê a ele a segurança do perdão. Do contrario, jamais dirá nada... seja sobre isso... seja sobre qualquer outra área da vida. Para acabar com seu casamento não precisa fazer mais nada além de não deixar isso onde isso pertence: no passado... Mas saiba: se você não entregar esse seu orgulho a Deus, e abraçar a dádiva do amor e também oferecer perdão, seu casamento já acabou; posto que seu marido não agüentará muito tempo estar sob o seu juízo implacável! Entregue a Deus. Faça amor com seu marido. Não recapitule o ocorrido. Deixe o amor curar vocês. É somente assim que vejo chance de haver um bom futuro para vocês. Pois, do contrário, a amargura, a raiva, a inveja e o orgulho acabarão com o casamento de vocês! Pense no que lhe disse, e me escreva com calma. Mas responda: Será que esse episódio, e sua reação a ele, não fala de seu orgulho imenso e de sua inveja dele ter sido infiel enquanto você era fiel? Sim, para quem você é fiel? Para você mesma ou para algum outro? Sua fidelidade tem barganha? Me responda! Nele, que nos perdoa todos os dias, e nos manda fazer o mesmo, Caio