Português | English

Cartas

MEU FILHO E UM GURÚ

MEU FILHO E UM GURÚ

 

 

 

 

 

 

----- Original Message -----

From: MEU FILHO E UM GURÚ

To: contato@caiofabio.com

Sent: Saturday, May 12, 2007 10:04 AM

Subject: MEU FILHO E UM GURÚ

 

Oi Caio,

 

O que você diria se seu filho de 20 anos escrevesse assim para um guru?

 

OLÁ!!! SUAS FOTOS ME TRUXERAM MUITA PAZ. Talvez você tenha sido meu pai em outra vida. Tenho 20 anos. Gostaria que o meu pai fosse assim, bem espiritualista como você é, porque eu sou assim também. Eu busco minha paz pela meditação e orientação de grandes mestres como Buda, Shiva, e meu pai me recrimina muito por isso. Sou muito criticado e proibido por pensar tais coisas, porque meu pai é evangélico. Se você fosse meu pai eu teria mais liberdade de expressão com relação a isso..mas...quem sabe na próxima vida né?... Muito prazer, namastê!!!

 

 

Me sinto culpado por tudo. Ele foi criado na igreja. Aqui em Porto Alegre tá cheio disso. Sou um mineiro perdido aqui.

 

Socorro!

 

____________________________________________

 

Resposta:

 

 

Amado amigo: Graça e Paz!

 

 

Já morei nessa ilha, já comi esse coco sem água, já me afoguei nesses sustos, já me alaguei nessas lágrimas, já me culpei de todas as culpas, já pensei que eu tinha o poder de ser o responsável por tudo, já me ofereci como sacrifícios de bodes e de touros por tudo e todos, já me dei por morto, já me sepultei sem esperança, já me disse que tudo era minha culpa, já tudo! — Para, então, devagar, bem devagar, descobrir que não tinha tanto poder, que não possuía tanta determinação sobre outros, que eles não eram diferentes de mim, e que se os amava, o Pai muito mais amava a eles. Assim, descansei. Carreguei minhas próprias culpas e fiz meus próprios auto-exames. Vi o que era meu. O que era de outros. O que era de cada um. O que não era de ninguém. Enfim... Já vivi para ver que a Promessa se cumpre e que o Senhor conhece a todos os que Lhe pertencem.

 

A conversa de seu garoto com o guru é uma grande tiração de onda de um menino. Só isto. Óbvio que ele também declara que o mundo evangélico do pai é raso, sem espiritualidade, sem meditação, sem silencio, sem calma com Deus e com ele.

 

Denuncia e pede ajuda!

 

Aprenda sem neurose com o que for verdade. Mas não se ofereça para ser o responsável por tudo, pois, você não tem todo esse poder meu irmão.

 

Cada um leve a sua própria culpa e faça sua reflexão. Mas sem desespero. O garoto só está tirando uma onda. Se ele for tratado com carinho e sem confrontação, tudo poderá ser conduzido sem traumas, e com bons resultados.

 

Faça sua parte, que é ser um pai também no espírito e na oração e na vida com Deus. Ele, seu garoto, acha você, vocês, rasos. Deixe sua vida com Deus brotar com naturalidade e verdade.

 

Com toda amizade e orações!

 

 

Nele, em Quem nossos filhos são gerados para a vida e paz,

 

 

 

Caio

 

12/05/07

Lago Norte

Brasília