Português | English

Cartas

MEU FETICHE É VESTIR ROUPA DE MULHER!

MEU FETICHE É VESTIR ROUPA DE MULHER!

 

 

 

 

----- Original Message -----

From: MEU FETICHE É VESTIR ROUPA DE MULHER!

To: contato@caiofabio.com

Sent: Tuesday, January 06, 2009 10:58 AM

Subject: Seu conselho/ajuda

 

 

Caro Caio, bom dia!

 

Vou procurar ser direto para evitar tomar o seu tempo; na verdade, se não quiser perder o tempo lendo e me respondendo, não me incomodarei, visto que imagino ser um homem bastante ocupado.

 

Conheci o seu site e vi que costuma esclarecer pessoas... acho formidável. parabéns!

Falei que seria direto, e acabei prolongando, na verdade, uso de um codinome para falar contigo, pois, vivo em um céu/inferno.

Tenho 28 anos, nascido em lar com mãe evangélica. Sendo assim, fui para a igreja desde menino; e aprendi que lá é onde Deus está; assim, como seus dogmas e vontades, aos 20, declarei minha conversão, quando tive grandes experiências com Deus, me batizando em seguida.

 

Assíduo freqüentador de todas as campanhas, cultos, reuniões, grupos, etc...

 

Apesar de questionar algumas posturas na igreja, fiz teologia, e posso dizer que quanto mais me aprofundei, mais me afundei. Pois vi de tudo que é mais terrível onde eu imaginava ser a casa de Deus na terra; tanta corrupção, mentira, que me fez enojar do meio. Mas, respeito as pessoas que lá estão, os velhos que acredito serem verdadeiros homens e mulheres de Deus; quanto aos lideres, respeito como pessoas, mas como líderes religiosos, vixe, não suporto ouvir nada mais...


Mas, o que me faz te escrever é um problema pessoal, tipo, acreditei e li nas suas mensagens, que o evangelho é simples; e ele é Jesus. Tive o ar da graça me envolvendo, e me tornei mais humano, menos juiz, menos observador, e apenas admirador do Cristo e sua obra. Considero-me hoje mais cristão do que antes, quando olhava o mundo com o ar de "se quiser Senhor, eu peço que venha fogo do céu e queime a todos"...— e, sim, amando ao próximo como a mim mesmo.

 

Esta é minha parte de viver no céu. Hoje sou casado, tenho um bom relacionamento de amizade/amor/companheirismo com minha esposa, que aprendeu a compartilhar do mesmo pensamento que eu, e posso dizer, sou feliz.

 

Todavia, tenho meu inferno, algo que poderia eu dizer, é o espinho que tenho na carne, que solicitando ao Senhor milhões de vezes que tirasse de mim, nunca foi tirado.

 

O que te confesso não tenho coragem de falar com mais ninguém. Já tentei, mas, não sai..., pois, envolve toda uma cultura religiosa/preconceito/medo, sei lá...

 

Deixa eu parar de enrolar; o assunto é sobre sexualidade; tipo: eu sempre tive opção heterossexual, sempre desejei mulheres; tipo: me casei com uma mulher devido ao sentimento e ao desejo de estar juntinho, você sabe como é.

 

Mas tenho em minha vida uma luta pessoal. Quando tinha 11 anos, eu acho, ou menos, me interessei em usar roupas íntimas femininas; e isso foi me acompanhando, acompanhando e acompanhando... Até que cheguei aos 20, quando me converti de vez...


Lá dentro eu vivia isso, ocupava todos os meus tempos, mas, ainda assim, às vezes eu escorregava... Conseguia ficar praticamente 1 ano sem fazer isso, mas, novamente, vinha este apelo, e lá estava eu novamente fazendo o mesmo; e o problema é que um chama o outro; de forma que vestindo, desejava está com um homem. Puts! Que luta...

 

Como te disse, fiz de tudo que o mundo religioso mandava para acabar com isso; foram dias, meses, anos orando, clamando, etc...etc... para acabar!

 

Falava comigo mesmo: Vou dar um basta... e pronto!

 

Quem disse que isso adiantava?!

 

Basta passar alguns dias, e novamente...

 

Psicanalista, Psicólogo, sei lá... — não tenho coragem de procurar; até porque me considero bem entendido para eu mesmo saber de minhas lutas e problemas...

 

Mas com você, virtualmente, é mais fácil. Por isso, encontrando seu e-mail, lendo seus artigos, pensamentos no orkut, entre outros, gostaria de uma ajuda, conselho, sei lá... Ou às vezes só foi um desabafo...

 

O que você acha?

 

Qualquer coisa estou a disposição para maiores esclarecimentos. Não sei se falei o que deveria, ou como deveria, ou se fui "entrão"; só peço que se não puder falar nada, que interceda por mim, pois, minha maior vontade é que isto nunca mais me incomode, que seja um passado apagado...

 

Agradeço pela atenção.

Peço a Deus que seu ano de 2009 seja uma benção.

 

Obrigado por me ler.

_______________________________

 

Resposta:

 

 

Meu mano amado: Graça e Paz!

 

 

Notei sua frase inicial antes mesmo de ler o resto de sua carta e confissão: “Tenho 28 anos, nascido em lar com mãe evangélica.”

 

Pensei:

 

Deve ser porque apenas a mãe era da igreja.

 

Depois, no entanto, verifiquei que o único ente importante em toda a sua carta fora a sua mãe. O pai não aparece e nem se fica sabendo se você tem irmãos e irmãs. Sua esposa é descrita como amiga. Sua preferência por mulher é descrita como tendência heterossexual. Não há menção a sexo entre você e sua mulher. Etc. Mas nada disso importa, pois, o que foi escrito é o que a sua alma ditou como importante, e, assim, as omissões em tal caso são sempre mais reveladoras do que as confissões.

 

Provavelmente você, como criança, tenha visto muito a sua mãe despir-se e vestir-se, e, de algum modo, admirou e desejou a energia com a qual ela fazia isto, havendo ou não um pai ou homem para apreciar.

 

Pode ser que sua mãe seja do tipo de mulher que sente tesão em si mesma, que se admira, que se deseja.

 

Ora, isto acontece muito com mulheres que se sabem capazes de ter e dar muito prazer, mas que, por alguma razão, são ou ficam reprimidas, não sendo, todavia, capazes de matar a energia dessa auto-apreciação, a qual escapa, muitas vezes, no ato do admirar a si mesma, freqüente em muitas mulheres quando estão nuas ou vestindo-se.

 

Ora, o fenômeno acima é verdadeiro, embora eu não saiba se foi isto que influenciou você.

 

Seja como for, o que aconteceu é que suas emoções relacionadas à intimidade feminina cresceram como sedução em você.

 

É natural, ou, quase normal, que muitos meninos experimentem roupa de mulher na puberdade. No seu caso, algo fez você se sentir sedutor com tais roupas. Talvez você se veja como tendo um corpo feminino. Ou pode ser que você tenha sido elogiado na puberdade por um outro menino, e que tenha dito a você que se você não fosse homem suas formas seriam de uma menina atraente.

 

Não sei e não importa!

 

O que importa é que isso se fixou como um fetiche em você!

 

Por outro lado, a existência de tal sombra, nunca permitiu a você entregar-se por completo a uma mulher.

 

Ora, o problema é que por tal auto-limitação, a sua sexualidade vai se alimentando mais de sua sombra do que daquilo que em você é publico: o fato de você ser homem, casado e dizer que gosta de mulher.

 

Assim, o tesão aumenta na sombra e no tema da perversão, especialmente porque a sua vida sexual com sua mulher é sem pimenta e sem intimidade.

 

É por tal razão que você cada vez mais fica excitado ao usar uma calcinha ou um sutiã. Sim! Algo em você diz que você seria uma amante irresistível para um homem. E a loucura é que você sabe que é heterossexual, mas, assim mesmo, deseja dar prazer a um homem ou mesmo seduzi-lo.

 

Já ouvi de alguns homens que tiveram experiências com meninos na infância, que, não indo bem no casamento, tiveram ressuscitados os antigos tesões infantis, quando se serviam do bum-bum dos amiguinhos. Aqui neste site há várias cartas que conformam tal possibilidade psicológica.

 

Fetiche sexual não conhece saúde de nenhuma natureza. Se for fetiche será doença sempre!

 

Assim, não importa qual seja a preferência cotidiana por sexo. Na hora da sombra, na hora do fetiche, do vício, da tremedeira, todas as lógicas desaparecem, e o monstro toma o controle; isto no caso de ele ter sido alimentado por muito tempo.

 

Quanto mais segredo sobre a sombra, maior ela se tornará como sombra e monstro em nós!

 

 

O simples fato de você ter me contado já começou a aliviar você!

 

O que fazer?

 

 

1.                 Você precisa conhecer a Jesus mesmo. Você o descreveu como um cara Legal, o mais legal de todos; uma espécie de santo de devoção, que pode até fazer você orar; um ídolo do lar... — mas não como o Senhor. Você precisa deixar de pensar que O conheceu e buscar conhece-Lo de verdade, por você mesmo.

 

2.                 Gostaria que você lesse o meu site — www.caiofabio.com — e não apenas os textos que lhe enviem. No site você encontrará ajuda diária, e poderá ler os milhares de textos que nele há, os quais tratam de muita, muita coisa mesmo.

 

 

3.                 Estimulo você transar muito com sua mulher e a buscar nela uma fêmea de verdade; pois, seu fetiche precisa se expressar na direção da saúde de seu fluxo sexual.

 

4.                 Creio que você poderia iniciar um processo informal de ajuda psicoterapêutica aqui mesmo no site, escrevendo para ana@caiofabio.com Penso que será útil para você ter alguém que, sabendo, seja de confiança, e, assim, seja também seu respiradouro, até que tudo isto passe; e, creia: passará.   

 

 

Leia e releia esta carta. Cada frase diz muito. Medite em cada coisa. Não escrevo muito. Mas tudo o que digo quer dizer o que está dito e aquilo no que implica. Pense com coragem. Ande com firmeza. Decida com sinceridade.

 

 

Receba meu amor!

 

 

Nele, que nos chama a manifestarmos até as trevas, pois, manifestas, elas se tornam luz pela simples exposição à verdade,

 

 

Caio

6 de janeiro de 09

Lago Norte

Brasília

DF