Português | English

Cartas

MEU CASAMENTO ESTÁ MORRENDO SEM SEXO

MEU CASAMENTO ESTÁ MORRENDO SEM SEXO

-----Original Message----- From: MEU CASAMENTO ESTÁ MORRENDO SEM SEXO Sent: terça-feira, 22 de junho de 2004 23:28 To: contato@caiofabio.com Subject: AJUDE-ME! Mensagem: Olá querido Caio, Bom é ter este espaço, um ombro amigo, um porto seguro; enfim obrigada por eSte lugar onde podemos abrir nossa alma sem medo e sem máscaras. Pastor estou vivendo um momento horrível, estou angustiada, aflita, e cada dia é pior. Tenho 28 anos e sou casa há quatro, mas ainda não tenho filhos. Pastor, é muito triste dizer, mas eu não estou feliz, e não consigo fazer meu esposo feliz também. O maior problema é meu, que não consigo me entregar sexualmente por completo, entende? É estranho, porque quando namorávamos, eu tinha um "fogo", e era muito bom; não chegamos a transar, mas tínhamos um namoro com carícias muito íntimas, e para mim era muito bom. Mas quando me casei, esfriei por completo... Não entendo por que isto aconteceu... Meu marido é muito bom e paciente. Até agora ele tem agüentado, mas esta situação me corrói, me machuca, e me incomoda. Já pensei em separação, mas não consigo me ver longe do meu marido. Literalmente, não sei o que fazer! Nunca mencionei nada disso com ninguém. Sei que às vezes meu esposo conversa com um amigo sobre o assunto. Mas eu nunca tive coragem de contar esta fraqueza para ninguém; agora, apenas pra você, porque realmente estou desesperada. Com isso tudo, nossa vida parece desmoronar. Meu esposo está desempregado há nove meses, e não consegue um emprego, parece até que desistiu de viver. E sem querer, fico exigindo que ele seja o homem da casa, que ele tome posição de homem; mas, ao mesmo tempo, entendo que não estou em condições de exigir nada. Enfim, como um abismo puxa outro abismo, já não consigo orar, ler a Palavra, ter entusiasmo. Parece que não consigo ter esperança... Caio, sou muito ansiosa, e sinto que com toda esta situação fico pior a cada dia. Já não durmo em paz porque só fico pensando no meu problema, em como resolvê-lo. Por isso estou lhe escrevendo para dividir com alguém um pouco da minha aflição. Por enquanto vou parando por aqui. Tentando esperar sem ansiedade, Um grande abraço. ____________________________________________________________ Resposta: Minha querida filha: Relaxe que tudo ficará bem! Chamei você de filha não como um vício pastoral, que não tenho. Pastor é que se vicia em chamar os outros de filho, até como mania. Não é o meu caso. Chamei você assim apenas porque tenho filhos de sua idade. Até onde pude depreender da leitura de sua carta, a situação é seguinte: 1. Sexo era uma novidade para vocês. As “intimidades” do namoro não garantem nada quando a questão é sexo mesmo. “Treino é treino; jogo é jogo”. São coisas diferentes. 2. O fato de você ter vindo “virgem” para o casamento coincidiu com outras crises. Já havia a inibição natural que uma jovem casada tem, e, além disso, provavelmente, a inexperiência de ambos se acumulou para criar um pacote de timidez e estranheza na cama. 3. Essa timidez recebeu como agregamento o desemprego dele, e que deve ter mexido na cabeça dele até mais do que com a sua. Um homem desempregado, e com a esposa cobrando atitude de chefe de família, tem tudo para perder a graça—literalmente perder o rebolado. 4. Como você é ansiosa, então, tanto você perdeu o interesse sexual nele, como também a espontaneidade quando ele a procura. E ele também deve ter ficado se sentindo muito pequeno diante de ambas as situações: o seu desinteresse sexual nele, e a impotência dele em relação a não estar sendo o provedor do lar que ele gostaria de ser. Este é o quadro. E é receita para o fracasso! Portanto, eis algumas coisas simples que você precisa fazer já, isto se você quiser preservar o seu casamento: 1. Está na sua mão, literalmente, levantar a cabeça de seu marido, em todos os sentidos. Por isto, deixe essa ansiedade de lado, e parta pra cima dele, sabendo ou não o que fazer. Não fique pensando em problemas. Sexo é a hora terapêutica na qual os problemas e as ansiedades podem ser vazadas. Portanto, olhe fundo nos olhos dele, e diga: “Me perdoe pelo tempo perdido. Podemos estar duros, mas será assim que mergulharemos no nosso amor. Eu sou tua. Vem, e toma o que é teu, pois eu te quero!” E, aí, minha querida, não imponha limites. Você tem que fazer seu marido entrar no “jardim recluso” e gozar amores. Não seja passiva. Se entregue como quem também usufrui. No início poderá lhe parecer meio estranho. Mas se você fizer assim, em poucos meses, vocês dois estarão fazendo amor em qualquer circunstancia ou situação. 2. Não cobre mais de seu marido performance funcional. Apenas o estimule na questão do emprego, mas sem cobrança. Se ele é um homem responsável, ele mesmo deve estar sofrendo muito com essa situação de desemprego. E saiba: um homem nessa situação, em geral, ou perde o apetite sexual, ou perde a graça. Nesse caso, se você não o procurar com toda ternura e “fogo”, ele pode ir apagando... Ora, é nessas horas que pode aparecer uma outra pessoa, e oferecer a ele aquilo que hoje você sonega. E se o pegar no estado de “incontinência”, Paulo diz que ele pode vir a ser tentado...e ir nas águas da tentação. Daí a recomendação apostólica ser no sentido de que haja muito sexo entre os casais (I Co 7). Até porque, à essa altura, ele deve estar se sentindo um porcaria. Tire-o dessa pocilga! 3. Não caia no vício da reclamação e da queixa. Há mulheres que pensam que isto é coisa pequena para um homem. De fato, minha filha, uma das coisas que mais perturbam um homem é a chatice de uma mulher goteira, ou de uma mulher que cobra coisas. Até Sansão ficou apoderado por uma “ânsia de matar” quando Dalila ficou lhe cobrando a revelação de um segredo. Há homens que se entregam...e acabam sendo passivos...porém mortos como homens. Mas há outros que preferem a solidão à opressão de uma esposa chata. Quanto à ansiedade, saiba: se você continuar ansiosa, ficará com a ansiedade e sem o marido. Será apenas uma questão de tempo. Portanto, literalmente, levante a cabeça de seu marido, e ofereça-se como prazer e alegria para ele. Então, você verá que como conseqüência disto, provavelmente, ele consiga um emprego quando vocês menos estiverem esperando. Isto porque esse estado de impotência já é um anti-currículo para quem sai para procurar emprego. Um homem satisfeito sexualmente tem muito melhores chances de se dar bem em tudo, até na hora de fazer uma entrevista para um novo trabalho. Quanto ao mais, leia uma carta que outro dia respondi aqui no site. Ela será útil a você hoje a noite, e em todas as noites de suas vidas. Continuarei depois. Agora leia a carta que segue. ____________________________________________________________ -----Original Message----- From: O que eu posso fazer na cama? Sent: terça-feira, 21 de outubro de 2003 14:14 To: contato@caiofabio.com Subject: Sexo oral... Mensagem: Amado Caio Fábio, Quero antes de mais, ressaltar o carinho imenso que tenho por você, bem como a confiança que sinto em suas posições acerca dos mais diversos assuntos tratados neste site. Desde que me converti (cerca de sete anos), venho admirando teu trabalho, teus livros, teus vídeos e agora este site. Enfim, todo o trabalho que Deus colocou em tuas mãos e que tem sido realizado com grande eficácia. Caio, estou com uma dúvida imensa, e esta, por sua vez, está me tirando a paz. Tenho 28 anos, sou casado há 5, e até hoje não tive uma instrução satisfatória acerca de algumas ações dentro da vida sexual de cristãos. Confesso que estou imensamente constrangido em lhe perguntar isso. Espero que não seja mal interpretado em minha dúvida. Meu pastor ensinou-nos que praticar sexo oral é errado. Já sua mulher, em ensino às irmãs da Igreja, disse que o sexo oral poderia ser utilizado apenas para se criar um clima maior de excitação. Por fim, eu tenho esta dúvida, visto que algumas vezes, minha esposa e eu, praticamos esse ato. Sinto-me culpado, pela instrução do pastor e confuso pela instrução de sua mulher. Gostaria de saber se estou em pecado cometendo este tipo de ato. Tanto eu, como minha esposa, no momento do ato conjugal, sentimos, algumas vezes, desejo de praticar; achamos muito gostoso. Há alguma coisa que o recrimine? Não quero de maneira alguma pecar contra Deus. E não quero também deixar de satisfazer os desejos de minha esposa, nem deixar nossa vida sexual "cair em rotina" (ainda mais nesta área que é tão delicada). Eu peço que me ajude! Confesso que minha cabeça está como um "calderão fervendo", acerca deste assunto. Se realmente é pecado, sei que Deus irá nos libertar disto. Como tenho visto, aqui no site, o irmão tem bastante experiência, tanto pela vivência, quanto pela instrução Bíblica. Me ajude, por favor. ____________________________________________________________ Resposta: Meu querido amigo: Paz, Alegria e Prazer sem Culpa na Graça de Deus! A esposa de seu pastor está falando a verdade. Mulheres costumam ser mais verdadeiras quando o assunto é a Realidade. Pastores, muitas vezes, sentem-se na obrigação de falar por aqueles que determinam o que ele deve pensar. Daí, na intimidade e no particular, a esposa dele ter dado outro conselho. Meu querido, esse assunto foi resolvido por um solteirão chamado Paulo, o apóstolo. Ele disse que o corpo do marido pertence à mulher dele; e que o corpo da mulher pertence ao homem dela. Quando um homem encontra sua mulher e a mulher o seu homem, tudo acontece na maior normalidade. O anormal é ver casais que não se amam, não se desejam e não se gostam, transando para “cumprir as Escrituras”, e, depois, levantarem-se do leito cheios de culpa, medo e neurose. A Bíblia não conhece pudores dentro de um quarto onde dois amantes se encontram de verdade. Pecado é a objetização do sexo. É praticá-lo sem amor e sem desejo. É realizá-lo como mecânica orgânica apenas. Aí está o erro; ou melhor: o pecado do desperdício! Se seu problema é não pecar contra Deus, ouça o que Ele diz. Mas se sua questão é agradar o seu pastor; então, seja solidário a ele; e não faça nada daquilo que a mulher dele deseja experimentar. Mas Deus diz outra coisa, bem diferente. Aliás, Deus deu liberdade. Ele é quem fez todas as coisas. Por isso, bebe a água da tua própria “cisterna”, e das correntes do teu “poço”. Derramar-se-iam as “tuas fontes para fora”, e pelas “ruas” os “ribeiros de águas?” Seja tua mulher só para ti mesmo, e não para os “estranhos” juntamente contigo. Seja bendito o “teu manancial”; e regozija-te na tua mulher. Ela deve ser vista como uma cabrita amorosa, e graciosa como uma égua no campo. Saciem-te os seus “seios” em todo o tempo; e pelo seu “amor” mergulha no encanto para sempre. E por que andarias atraído pela mulher fácil, e abraçarias o peito de uma outra, até casada? Os lábios da mulher fácil destilam mel, e a sua boca é mais macia do que o azeite. Ensina a tua mulher a ser assim também: molhada e doce. Ora, isso vai, juntamente com a Palavra, te guardar da mulher que só quer uma aventura, e te salvará das cantadas da língua da mulher sedutora. Cobices no teu coração a formosura de tua própria mulher. Ensina-a a seduzir-te. Isso te livrará de ser preso pelas “orelhas” como um bobo, e pelos “olhares” da mulher que olha para todos. Pode alguém tomar fogo no seu seio, sem que os seus vestidos se queimem? Assim, incendeiem os teus beijos as roupas de tua mulher, de tal modo que lhe queimem as vestes! Não é desprezado o ladrão, mesmo quando furta para saciar a fome? Assim, se por causa de tua “necessidade” tu te deres mal, ainda assim serás maltratado pelos demais homens! Por que correrias este risco? Por que transferirias todos os prazeres para fora de tua casa? Por que teus sonhos e fantasias de alma não se realizariam com tua mulher, livremente, dentro de teu quarto? Por que “construirias” tu uma “mulher virtual”, se tens uma que é mais que real? O que não possui a sua própria mulher com o “fogo” de quem possui uma “adultera”, é burro; destrói-se a si mesmo se assim não a “trata”. Se assim não for, pode ser que ela venha a desejar uma “outra imagem”, e tu também acabarás por cobiçar o que não é teu. Come o que é teu e bebe de tua própria cisterna. Sacia-te dos frutos de tua árvore encantada. A mulher aprazível obtém honra—diz o provérbio. Desse modo seja a tua honra, também, mostrar à tua própria mulher o quão desejosa e aprazível ela é. A discrição de tua mulher tem que ser para “fora”. Mas para ti, que ela seja a mais sedutora de todas as mulheres. A mulher virtuosa é a coroa do seu marido; porém a que procede vergonhosamente é como apodrecimento nos seus ossos. Assim, ensina a tua mulher a “coroar a tua cabeça” com toda honra. Do contrário, tu terás tristezas. E tem marido que não sabe por que a mulher se torna mulher de rixas, uma goteira contínua enchendo a paciência?! Ora, elas nunca foram saciadas! Tal é o caminho da mulher adúltera: ela come, e limpa a sua boca, e diz: não pratiquei iniqüidade. Pois assim deveria ser a liberdade e a consciência de toda mulher para com seu próprio marido. Por que não usar o direito em favor do direito? Se aquilo que é torto é prazeroso, por que aquilo que é bom tem que ser culposo? Portanto, que tua mulher seja livre como aquela que come, limpa a boca, e diz: não pratiquei iniqüidade! Que tu não percas mais tempo. A Bíblia não nos ensina a perder tempo uma vez que o amor tenha sido acordado. Ao contrário. O homem apaixonado da Bíblia, diz assim: Como és formosa, amada minha, eis que és formosa! os teus olhos me seduzem; o teu cabelo é ondulante. Os teus dentes são perfeitos e limpos. Os teus lábios são vermelhos, formosos e gostosos; e a tua boca é linda; as tuas faces são coradas e cheias de vida. O teu pescoço fica lindo com os cordões e adereços que tu usas para me encantar.Os teus seios são gêmeos em beleza e são cheirosos como um mergulho entre os lírios. Aproveitarei as sombras da noite e ti escalarei, pois tu és para mim como uma montanha de perfume. Enlevaste-me o coração, minha amante; enlevaste- me o coração com um dos teus olhares, com um dos colares do teu pescoço tu me seduziste. Quão doce é o teu amor, minha mulher! quanto melhor é o teu amor do que o vinho! e o aroma dos “teus cheiros” é melhor do que o de toda sorte de cheiros comprados! Os teus lábios destilam o mel; mel e leite estão debaixo da tua língua, e o cheiro dos teus vestidos é como o cheiro da terra mais acolhedora. Tu és somente minha, ó mulher! Jardim fechado és tu; sim, jardim fechado, fonte selada—pois só eu bebo de ti e em ti bebo tudo o que gosto. Te provo como quem sente todos os sabores e sente todos os cheiros. Tu és o Éden! És fonte do jardim, poço de águas vivas, correntes de águas de delícias! Levanta-te, vento norte, e vem tu, vento sul; assopra no meu “jardim”, espalha os seus aromas sobre mim. E que assim diga a ti a tua própria mulher: Entra, ó meu amado no teu próprio jardim, e come dos meus frutos excelentes, que são todos para ti! Assim será se ela também puder dizer: Conjuro-vos, ó minhas amigas, se encontrardes o meu amado, que lhe digais que estou “enferma de amor”. Que é o teu amado mais do que outro amado, ó tu, a mais formosa entre as mulheres? Que é o teu amado mais do que outro amado, para que assim nos conjures?—são as perguntas comuns de mulheres que conheceram machos, mas não conheceram homens; que conheceram sexo, mas não conheceram o amor; que conheceram algum prazer, mas que nunca foram arrebatadas. Se assim for, que ela, a tua mulher, saiba responder: O meu amado é cândido e belo, o primeiro entre dez mil. A sua cabeça é preciosa, os seus cabelos são gostosos, são como penas de uma ave livre. Os seus olhos são cintilantes, lavados em leite, são como jóias postas em engaste na sua face. O rosto dele cheira como um canteiro das mais doces fragrâncias; e os seus lábios são como lírios que gotejam perfume. Os seus braços são firmes; e o seu corpo é lindo de apreciar; assim eu gosto de vê-lo nu. As suas pernas são fortes, parecem árvores cheias de vigor. O seu falar é muitíssimo suave; sim, ele é totalmente desejável. Assim é o meu amado, o meu amigo! Sim! assim é ele, minha amigas! Acerca dessa mulher, fêmea e amiga, o marido pode dizer: Há sessenta rainhas, oitenta concubinas, e virgens sem número pela terra. Mas uma só é a minha cabritinha, a minha mulher de confiança; ela não tem igual nem entre as filhas de sua própria mãe; ela é especial. Minha mulher é meu harém! Portanto, aprecie a sua mulher de cima a baixo, e não deixa nem um pedacinho de fora do teu gosto, apetite e paladar! Você pode e deve prová-la toda. Dos pés à cabeça. Sem reservas e sem restrições. As palavra da Bíblia podem ser todas suas na alegria de possuir a sua mulher. Quão formosos são os teus pés nas sandálias. Os contornos das tuas coxas são como jóias, obra das mãos de artista. O teu “umbigo” (no texto original: órgão genital) é como uma taça redonda, à qual não falta bebida; a tua barriguinha é como uma mesa onde como o meu pão perfumado. Os teus seios são perfeitos. O teu pescoço me encanta; os teus olhos como são limpos como piscinas; o teu nariz é lindo de ver. A tua cabeça sobre ti é como um monte altivo, e os cabelos da tua cabeça são charmosos; até um “rei” ficaria “preso” pelas tuas tranças. Quão formosa, e quão aprazível és, ó amor em delícias! Essa tua estatura é semelhante à palmeira, e os teus seios são para mim como cachos cheios de uvas doces. Disse eu: Subirei à palmeira, pegarei em seus chachos! Pois os teus seios são como os cachos da vide, e o cheiro do teu fôlego como o das maçãs, e os teus beijos como o bom vinho, que se bebe suavemente, e se escoa pelos lábios e dentes. E nunca poupe sua mulher de coisas novas. Ouça quando ela diz: Vem, ó amado meu, saiamos ao campo, passemos as noites nas aldeias pequenas e sem ninguém. Levantemo-nos de manhã para ir às vinhas, vejamos se florescem as vides, se estão abertas as suas flores, e se as figueiras e sapotizeiras já estão em flor; ali te darei o meu amor... Desse modo, meu amado, esqueça a cabecinha de seu pastor. A mulher dele parece ter muito mais o que ensinar. Pelo menos seria isso que ela gostaria, e do que, possivelmente, está sendo privada. Não proceda do mesmo modo. Fique livre, e faça sua mulher explodir de alegria. A idade da culpa acaba quando se conhece a estação do amor que não teme ser também desejo! Assim, não sou eu quem vai dizer o que você deve ou não deve fazer na cama. Posso apenas dizer a você o que você pode estar perdendo! ____________________________________________________________ Bem, o que escrevi acima o fiz para um homem. Apenas leia como mulher e você mesma encontrará o seu papel na cama e na vida. Pense em tudo o que lhe disse, e pare de perder tempo. A cura está em você. Dê a ele essa doce medicina. Nele, em quem temos liberdade para dizer a verdade sem medo, Caio