Português | English

Cartas

ME DIZIAM PRA ESPERAR NO SENHOR. APANHEI 15 ANOS!

ME DIZIAM PRA ESPERAR NO SENHOR. APANHEI 15 ANOS!

-----Original Message----- From: ME DIZIAM PRA ESPERAR NO SENHOR. APANHEI 15 ANOS! Sent: sexta-feira, 19 de dezembro de 2003 14:25 To: contato@caiofabio.com Subject: Me ajude!!!! Prezado Caio, Preciso muito de sua ajuda, pois minha mente anda atormentada. Vou tentar resumir minha historia. Me casei muito nova, com apenas 18 anos. Eu estava afastada da igreja quando casei. Mas após o casamento eu retornei. Só que meu casamento foi um total desastre, pois ele bebia muito, me traía constantemente, me tratava muito mal, e não cuidava das necessidades do lar. Eu não agüentei mais, e decidi me separar... Mas a pressão da igreja era grande. Me diziam que eu tinha que “esperar no Senhor”, e com isto se passaram 15 anos; e nada mudou. As traições continuavam, eu tinha crises de depressão, por varias vezes pensava em suicídio. Mas o Senhor não permitiu. Nós já não nos falávamos mais, nem tínhamos relações sexuais. Certo dia eu conheci um rapaz pela Internet, e me encantei por ele. Me apaixonei de verdade! Me apaixonei como nunca! Antes de termos “qualquer coisa” decidi me separar “de fato”. Só que ninguém sabia que este homem tinha sido a principal desculpa de tudo. Separei-me, e comecei a namorar esta pessoa; o divorcio saiu rapidamente, e comecei a namorar com ele pela internet, por carta, telegramas, e telefonemas. Nos conhecemos pessoalmente e gostei mais ainda dele. Só que ele morava em outra cidade, e ficava muito difícil nos vermos. Pastor, eu sentia grande necessidade sexual, e acabei transando com outros homens, sem ele nada saber...homens que conhecia pela Internet, e fora dela. Casamos, e até hoje não contei nada a ele. Já estamos casados há 2 anos e meio. Mas minha consciência está atormentada... Já pedi perdão a Deus por tudo o que fiz; pois hoje eu não faço mais nada destas coisas. As grandes dúvidas são: Deus me perdoou pelo adultério do meu primeiro casamento? Eu tinha que continuar casada com alguém que não amava e não me fazia feliz? Hoje sou tão feliz com meu atual marido que penso que estou sonhando. Devo confessar ao meu atual marido meus pecados do passado? e se ele não me perdoar? Que faço pastor? Peço que não me discrimine por favor, e que me dê uma luz. Que Deus abençoe ao senhor. Aguardo sua resposta. *************************************************** Resposta: Minha amada irmã: Graça e Paz! Aqui não há discriminação a nada e nem a ninguém. Estou liberto desse mal. Mesmo quando digo coisas fortes às pessoas, não há juízo moral sobre ninguém, mas apenas aquele tipo de aperto que a gente dá em quem ama. Sua carta apenas comprova a minha tese, tão repetida aqui neste site. A saber: A igreja insiste em manter casamentos inexistentes, concede aos homens o direito de bater, usar, abusar, trair, tratar mal, humilhar, descartar, etc...enquanto demanda que a mulher "espere no Senhor"—isto também enquanto a mulher é posta na posição de escrava de machos doentes e irresponsáveis, e que não são homens o suficiente para livrar a esposa de tamanho carma. Quinze anos...uma vida...ao lado de um paspalhão! Ora, depois de 15 anos de abuso não tem santa que agüente. Meu Deus! a religião sempre arranja um jeito transformar o que é ruim em algo infernal! Se você tivesse saído desse Bangu I lá atrás, possivelmente você nunca tivesse tais dores de carência e de ações equivocadas e impulsivas para sofrer como “culpa”. Bem, vamos às suas perguntas: 1. Deus me perdoou pelo adultério do meu primeiro casamento? Resposta: Que casamento? Aquele dos 15 anos de tortura? Minha querida, aquilo NUNCA foi um casamento. Só no inferno é que aquela coisa pode ser chamada de CASAMENTO. Você se refere ao Contrato de Sofrimento que você honrou por 15 anos? Minha amada irmã, aquele nunca foi o seu marido, e aquilo nunca foi um casamento. Digo isto sem temor, e com a consciência certa do que digo na presença de Deus. 2. Eu tinha que continuar casada com alguém que não amava e não me fazia feliz? Resposta: Aqui nos morros do Rio a moçada diz: "Demorô". Minha irmã, demorou. Você ficou tempo de-mais. Dá vontade de mandar a conta para quem a estimulou com mandamentos "divinos" a desperdiçar sua vida tanto tempo. Dá vontade de pedir indenização por danos morais e por aprisionamento injusto. Esqueça esse inferno contratual que um dia lhe disseram que era um casamento. 3. Hoje sou tão feliz com meu atual marido que penso que estou sonhando. Devo confessar ao meu atual marido meus pecados do passado? e se ele não me perdoar? Que faço pastor? Resposta: Minha querida, seus pecados você tratou deles na presença de Deus. De todo o coração acho que esses "sincerismos" são desastrosos. Ou você pensa que ele também não deve ter um monte de coisas que aconteceram a ele durante aquele "namoro virtual"? Até mesmo Jesus disse que havia muito o que contar, mas que nem todos poderiam suportar. Sabedoria é isto: saber dizer aquilo que edifica, não o que destrói. Pelo amor de Deus! Celebre a benção de Hoje! Não traga nenhum passado para dentro de sua vida. O passado já era, já foi. Depois que a virtualidade acabou você já o traiu alguma vez? É claro que não! Viva o dia chamado Hoje, seja mulher e amiga dele, honre-o; e não boicote o seu casamento. À você Deus diz: "Dos teus pecados eu já nem me lembro mais". Creia e viva. As coisas antigas já passaram, eis que tudo se fez novo! Seja feliz! Não boicote sue casamento. Não carregue mais nenhum culpa. Na sua história não há culpa, há perda de vida, há má assistência espiritual, há infelicidade conjugal, há carência... O resto Jesus já levou! Agora aproveite os tempos de refrigério e viva na Paz do Senhor! Receba meu abração. Nele, que nos chama ao Novo, Caio