Português | English

Cartas

MALDIÇÃO HEREDITÁRIA E ESPÍRITOS FAMILIARES

MALDIÇÃO HEREDITÁRIA E ESPÍRITOS FAMILIARES

-----Original Message----- From: PASTOR METODISTA PERGUNTA Sent: domingo, 9 de novembro de 2003 23:54 To: contato@caiofabio.com Subject: MALDIÇÃO HEREDITÁRIA E ESPÍRITOS FAMILIARES Mensagem: Caro Caio: Graça e Paz! Li seu artigo sobre "Malditas Maldições" e gostei muito. Me serviu de base para um estudo na igreja. Não obstante, paira sobre mim uma dúvida que busco resposta há anos. Como interpretar o texto de Êxodo 20:5,6? Será que posso dizer que a maldição existe até que a pessoa se converta? Daí em diante ela estará livre, caso contrário pode sofrer dos chamados espíritos familiares? Durante a época do seminário tive aula com um professor que quando se formou em 1988 no Seminário Presbiteriano do Sul em Campinas, você foi o paraninfo, mas nem ele me deu uma resposta "convincente", mesmo sendo conhecedor das línguas hebraicas. Aguardo resposta! Um beijo no coração ************************* Resposta: Meu amado irmão: Graça e Paz! Meu querido amigo: sem Cristo toda alma está sujeita à tudo o que é mal; e este mundo só não é o próprio inferno em sua plenitude porque a Graça de Deus reina em misericórdia sobre toda a Terra. Portanto, tudo de ruim é possível a quem não crê! Leia o texto Êxodo: Não as adorarás e nem lhes darás cultos; porque eu, o Senhor teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a iniqüidade dos pais nos filhos até a terceira e quarta geração daqueles que me odeiam, e uso de misericórdia com milhares de gerações dos que me amam e guardam os meus mandamentos. Portanto:é isto que a Lei estabelecia! Entretanto, mesmo durante a vigência da Lei, o que reinou soberana sobre ela mesma foi a Graça. Esta é a tese de Paulo. As promessas da Graça foram feitas a Abraão antes do regime da Lei. E a benção se estabeleceu sobre Abraão e sua descendência exclusivamente pela fé: “Ora, Abraão creu em Deus e isto lhe foi imputado para justiça”. Creio que não preciso ser exaustivo nesta afirmação, visto que essa é a tese única de todo o pensamento de Paulo, em todas as suas cartas; sem falar que é disso que trata também a epístola aos Hebreus. “O fim da Lei é Cristo para a justiça de todo aquele que crê”—e isto é tudo. Apenas duas perguntas: 1. Você tem um único exemplo para me dar de alguém na Bíblia que não tenha sido justificado pela fé? 2. Você pode me dizer se o que fez o “terrível Manasses” encontrar misericórdia diante de Deus foi a sua própria justiça na lei, ou foi seu arrependimento e fé na Graça de Deus? Há exemplo mais grotesco no Velho Testamento de um perdão mais chocante que o daquele concedido ao assassino de seus próprios filhos, bruxo malvado, idólatra contumaz e pagão insaciável? Manasses conheceu a mais pura Graça durante o regime da Lei. E por que? Ora, porque creu Naquele que justifica ao ímpio que Nele crê! Agora, meu amado, leia o texto de Gálatas 3: 8-14: Ora, a Escritura, prevendo que Deus havia de justificar pela fé os gentios, anunciou previamente a boa nova a Abraão, dizendo: Em ti serão abençoadas todas as nações. De modo que os que são da fé são abençoados com o crente Abraão. Pois todos quantos são das obras da lei estão debaixo da maldição; porque escrito está: Maldito todo aquele que não permanece em todas as coisas que estão escritas no livro da lei, para cumpri-las. É EVIDENTE que pela lei ninguém é justificado diante de Deus, porque: O justo viverá da fé. Ora, a lei não é da fé, mas sim de toda a sua própria prática, pois que diz: O que fizer estas coisas, por elas viverá. Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se maldição por nós; porque está escrito: Maldito todo aquele que for pendurado no madeiro! Isto para que aos “gentios” viesse a bênção de Abraão em Jesus Cristo, a fim de que nós recebêssemos pela fé a promessa do Espírito. Meu amado, essa discussão é mais séria. Não é sobre Maldição Hereditária; é sobre se a Cruz de Cristo é ou não é. Não dá para se seccionar a questão. Aos que pretendem fazê-lo, Paulo diz e eu com ele: “Vós vos colocastes outra vez sobre a maldição da Lei; da Graça decaístes!” Portanto, diga sem medo e com fé a todo aquele que crer em Jesus e na obra consumada por Ele na Cruz e na Ressurreição, que o fim da Lei e de suas Maldições, é Cristo, para justiça de todo aquele que crê. E foi assim antes mesmo da Encarnação—leia Hebreus 11—, visto que o próprio Manasses—nosso terrível exemplo—alcançou absolvição, perdão e cancelamento das maldições que pendiam sobre ele, exclusivamente pela fé—e, repito: isto antes dele mesmo ter consciência da Cruz histórica. A Graça sempre reinou sobre a Lei, visto que esta veio depois, e se estabeleceu numa aliança que tinha nos filhos de Levi os seus guardiãs; nós, porém, fomos feitos herdeiros de Deus segundo uma outra ordem e pacto, visto que nosso Sumo Sacerdote foi assim estabelecido não segundo a lei dada aos filhos de Levi por Moisés, mas segundo a Ordem de Marquisedeque. E mais: o próprio mundo em ignorância é beneficiário da Cruz. Jesus é nosso Advogado, e não somente nosso, mas ainda do mundo inteiro, segundo o apóstolo João. Esta é a Ordem de Melquisedeque! É nela que se beneficiam os que não são filhos de Abraão nem segundo a carne e ainda não segundo a fé. Deus está livre no mundo, salvando a todos de conhecerem os rigores da mais indescritível desgraça! A Cruz de Cristo é maior que toda a criação, daí poder beneficiar a toda criatura—mesmo aquelas que ainda vivem em ignorância. Meu amigo, o que passar disso é Maldição! A maldição agora é calcar aos pés o Filho de Deus, negando-lhe a eficácia absoluta da obra plena por Ele realizada na Cruz e na Ressurreição. Portanto, hoje, corre maior risco de maldição aquele que soube e não creu; não aquele que não sabendo, creu nas suas próprias invenções. Daí eu dizer: quem corre o maior risco de conhecer maldição hoje são os cristãos. Esses que sabem da Cruz, mas preferem viver confiando na Lei. E para saber disso, ninguém precisa saber línguas originais, basta crer no que está dito, e não ficar morto pela força esterilizante da letra. E mais: aqui acabam todas as demais manifestações malignas. Manasses ficou livre das conseqüências espirituais de suas bruxarias apenas porque creu. Que espíritos familiares poderão perturbar aquele que creu no Espírito da Graça? Antes de se crer, não é preciso nem haver espíritos familiares para perturbar. Basta a forças das heranças psicológicas e culturais. Freud explica! Um beijão, Caio