Português | English

Cartas

LÁGRIMAS NO AMOR DE DEUS

LÁGRIMAS NO AMOR DE DEUS

Meu amado Caio, Nem imaginei que estaria lhe escrevendo de novo, no mesmo dia... e às 4 da manhã. É que, sem sono, entrei outra vez no seu site e, dentre vários textos, li, rapidamente, a carta da Viviane Lima (“Bagunça no Céu” – Gil e Lukas estão lá”). Meu querido, fui subitamente tomado por um incontrolável e – estranhamente – alentador acesso de choro! Minha mulher e filha estão viajando, portanto tive toda liberdade de dar vazão às lágrimas e aos soluços sem nenhuma restrição. Ah, como é doce chorar-soluçar-sorrindo-grato assim!... Estranho, mas é possível chorarmos por fora enquanto sorrimos por dentro e vice-versa – e tudo ao mesmo tempo! Que maluquice, não?... Que bom saber que ”nada que é humano é estranho a Deus"! Foi um pranto agridoce, como a língua que apalpa o dente dolorido... Prazer-dor-amor se misturam... Estranho amálgama... Não dá pra explicar... Sabe, meu caro, hoje (digo, ontem, quinta de manhãzinha, pois sou notívago; durmo e acordo tarde), acordei assustado de um sonho nebuloso, no qual eu e Claudia, minha esposa, chorávamos abraçados e ansiávamos, como nunca antes, pelo céu, por estar no céu, porque, não sabíamos como, tínhamos “perdido” nossa maravilhosa filhinha Vivian, de 4 anos de idade (recém-completados no dia 12 de maio, como o Ciro). No sonho, eu não só sabia o que a mãe dela sentia, como também SENTIA o que ela sentia, e o somava ao que eu mesmo, o pai, sentia... Dor-amor-flagelação-consolação duplicados... E estávamos, literalmente, sequiosos, des-esperados-esperando pelo céu! Ah, como ansiávamos pelo céu! Meu Deus, que sede de eternidade! Acordei sob o impacto desse sonho... E fiquei impactado durante várias horas. Tive um dia esquisito, improdutivo profissionalmente... Mas... passou. E hoje, pelo nosso calendário, é sexta, 21. E “amanhã será um lindo dia (....) mesmo que uns não queiram, será de outros que esperam ver o dia raiar”... E sempre será assim porque já é (isto aprendi com você). Não sei como terminar, amado, por isso termino por aqui. Um grande beijo, Fausto PS: Obrigado por me fazer chorar lágrimas quentes-salgadas depois de uma eternidade sem chorar de verdade... Só Abba, o Papaizinho do Céu, pra fazer isso por mim, por seu intermédio.