Português | English

Cartas

GENTE BOA FICA ENROLADA?...

GENTE BOA FICA ENROLADA?...

 

----- Original Message -----

From: GENTE BOA FICA ENROLADA?...

To: contato@caiofabio.com

Sent: Thursday, April 23, 2009 10:49 AM

Subject: AMOR X MORTE ESPIRITUAL

 

 

Bom Dia Pastor Cai Fabio,

 

Conheci seu site através de uma amiga, então resolvi lhe escrever.
Vou lhe contar um pouco de minha historia para que possa entender e passar sua opinião a respeito,certo!?

Bom Pr. Sou evangélica desde o berço. Passei sete anos em um ministério onde conquistei com meu esforço e dedicação alguns cargos na igreja.
“Comecei a fazer a obra ainda cedo e preocupada com a obra de Deus deixei muitas coisas de lado, a começar pelos meus estudos,” minha vida era igreja” .Com o passar do tempo fui crescendo até chegar aos meus 18 anos de idade, onde na igreja mesmo conheci um rapaz , como ele estava na recente naquele ministério ficamos bons amigos  e foi onde ele me revelou sua historia e seu passado, ficamos bons amigos , após  um determinado tempo ele disse que estava gostando de mim como mulher. Na verdade não fiquei surpresa porque ele já mostrava isso, mais como não havia nenhum interesse da minha parte continuei amiga e fiquei na minha,

Como já havia dito ele me contou de seu passado, onde ele era casado, usuário de drogas.
Daí tirei minhas conclusões  e vi que não tinha nada vê comigo pois sempre fui muito comprometida com a obra, nunca nem tinha namorado , e ele não tinha da vê comigo, éramos totalmente diferentes.

Bom após ele ter me revelado que estava gostando de mim, passei a estudá-lo ver seu comportamento como era seu relacionamento com os pais (que por sinal também não era um dos melhores) ver se realmente ele queria uma mudança de vida etc.
Passado tempo comecei a reparar que por traz de um homem todo tatuado com a vida toda conturbada cheio de problemas, havia um homem com sentimentos e buscando por uma mudança. Comecei a olhar pra ele com outros olhos. Na minha casa somos três. Minha mãe minha irmã e Eu.
Comentei varias vezes com minha família sobre ele, até então normal. Até que um dia ele me pediu uma chance para que pudéssemos namorar.
Então após ter conversado com minha família. Aceitei!
No mesmo dia compramos alianças mandamos ungir, e foi benção pura.
Na semana seguinte já conhecia todos da família dele que me aceitaram de uma forma muito legal.
Ele era um homem cheio da marcas da vida, eu sem noção de nada.
Ele ficou firme na igreja, passou a trabalhar na obra, passou a fazer estudos da bíblia na igreja, tava com a corda toda até que algumas pessoas começaram a julgá-lo pelo seu histórico no passado, e começaram a não concordar com meu namoro pelo fato de sermos bem diferentes.
Bom eu enfrentei com maturidade no começo, ele já não achou certo e ficou muito triste com a historia.
Como estava na frente da obra fiquei chateada com alguns comentários e acabei terminando com ele e optando pelo ministério.
No começo ele ficou firme na igreja continuo fazendo a obrar. Passado tempo ele foi ferido dentro do ministério pela língua de algumas pessoas lá.
Foi onde ele caiu no mundo voltou para o vicio das drogas, e logo em seguida começou a se envolver com uma menina totalmente mundana. 
A gente tinha contato sempre tentei trazer ele para igreja mais nunca tive um retorno. Até um determinado dia que fui a casa dele a pedido de sua mãe, almocei lá e acabei passado a tarde toda junto a ele e a família. Bom final da tarde ele me levou em casa e acabamos voltando ( ele já não estava mais com a menina ).

Bom todos ficaram feliz, pois  eu tinha ficado muito triste com o termino do namoro, fiquei mal, cheguei até ir para o hospital.
Nossa o namoro tava maravilhoso ficamos firme na igreja e não  ligava mais para os comentários dos outros.
No decorrer do namoro passamos a ter mais intimidade, onde ele começou a me tocar.
No começo pra mim era desesperador, pois sempre sonhei ter um relacionamento dentro dos costumes que tinha aprendido, mais já estava com 19 pra vinte anos e meu corpo estava passado por mudanças também.

Não demorou muito tempo até que começamos a ter relações, eu na frente da obra sem saber o que fazer entreguei todos os ministérios que tinha posse. Bom, praticamente optei por uma vida no pecado.

Mais meu coração não estava feliz com aquela situação, mais também não sabia o que fazer a respeito.
Eu estava extremamente machucada e com medo de perdê-lo de novo, ele era muito carinhoso e não tinha reclamações dele.
Até que um determinado dia ele me liga de madrugada falando que tinha feito algo e que estava muito triste e que queria me ver, isso 4 horas da manha. Fiquei bem assustada por que não imaginava o que seria então acordei minha mãe e pedi que ela me orientasse ela disse que era pra eu recebe-lo e ver o que tinha acontecido. (Minha mãe e irmã eram de outro ministério)

Bom, recebi-o na minha casa ele estava tremendo sujo e dopado de drogas, ele me contou o que tinha acontecido pediu pelo amor de Deus que eu não terminasse com ele,
contei pra minha mãe a situação ela disse pra ele tomar um banho e deitar no meu quarto.
Bom foi isso ele teve uma recaída, perdoei.
Resumindo logo em seguida soube que o meu namorado tinha engravidado uma menina
Aquela do começo, e que ela tinha feito um aborto onde teve algumas complicações, ele não tinha me contado fiquei sabendo através de outros.
Daí pra mim foi o fim,terminei e mesmo assim fiquei sofrendo mesmo sabendo que ele não era a pessoa dos meus “sonhos”.
Bom cinco meses depois voltamos, eu tinha saído do meu ministério e tinha passado para o ministério da minha mãe e irmã.
Ele foi junto comigo.
Um mês depois ele me traiu. Terminei, mais sofri muito e ele voltou às drogas.
Passou 3 meses e ele pediu que eu voltasse com ele pois ele estava se acabando nas drogas e que eu precisava ajuda-lo de alguma forma.
Então o levei a igreja onde ele se reconciliou e ficou firme onde esta até hoje sem álcool sem drogas, e creio que liberto para gloria de Deus.
Agora deixando ele de lado, o meu problema é a santidade pois estamos a quase dois anos juntos e seguidos “ no pecado “ não sei como me livrar dessa situação, mais já nos acomodamos e por mais que a gente tente não conseguimos, isso tem acabado comigo.
Estou na igreja da minha mãe quase dois anos e ainda não consegui me adaptar a igreja, não tenho vontade de participar de nada, e por isso não me cobro tanta santidade, pois dentro da igreja vejo pessoas em pecados “ bem maior que o meu “ e ainda mais fazendo a obra.
Não que eu me importe com isso, pois cada um paga conforme seus atos o no dia final Deus cobrar isso de cada um.
Mais praticamente estou morta espiritualmente pois nem abrir a boca pra louvar consigo, já sofri muito com namoro, família , entre outras coisas e nada me tirou da presença de Deus. Vejo-me hoje em uma situação de desanimo total. Vou à igreja normal, converso com algumas pessoas, mais parece que tenho medo de me envolver.
Parece que nunca vou ser ativa na obra como era antes.

Estou namorado ainda com ele, esta nos nossos planos casar e constituir uma família normal.
Mais para isso preciso ter a certeza de que ele esta curado , pois não quero correr mais riscos.

Até agora o namoro tem sido bom, apesar de não estar totalmente satisfeita, pelo fato de não termos santidade.
Mais quanto a isso também não posso só culpa-lo pois tenho participação nisso também. Também acabo me conformando um pouco por não ser a única, pois a maioria das meninas na minha idade tem uma vida assim, ou pelo menos já passou por situações do tipo.
Meu namorado já mudou muito do tempo em que o conheci, creio que isso já é a mão de Deus.
Já conversamos varias vezes de santidade, mais cedo ou tarde caímos, já estamos sem moral. Fico envergonhada por não ter tanto domínio sobre meu corpo.
Outra coisa varias pessoas confirmaram que Deus tem uma grande obra nas nossas vidas e que teríamos um ministério onde pregaríamos para usuários de droga, ele tem chamado também , desde pequeno antes do desvio , ele sonhava em ser Pastor como seu irmão. Confesso que com a experiência que tive com ele, de certa forma de aproximou de Deus, pois sempre oro faço votos para cura e libertação dele, pois é algo que almejo muito. Mais também o pecado esta sempre presente.

Bom, Pastor..., é isso; ou pelo menos mais ou menos isso.
O que me aconselha?

Fique na paz do Senhor Jesus!
E Deus o abençoe cada dia mais.

____________________________________________

Resposta:

 

Minha filha: Graça e Paz!

 

Você é uma boa menina, e não há nada de errado com sua vidinha, exceto em razão do que fique apenas muito complicado em razão da penetração da “igreja” nas questões da sua existência...

De fato, por mais generosos que sejamos, temos sempre que admitir que um passado cheio de problemas pode ser a certeza de um presente conflituado e de um futuro perturbado; não importando se trata-se de gente boa ou não.

Refiro-me ao seu namorado...

Sim, pois gente boa também tem problemas e pode gerar muitos problemas.

Problema não é privilégio de gente mau/caráter. Aliás, os problemas do mau/caráter são fáceis de discernir, e até de se livrar, a menos que a pessoa tenha um fetiche suicida... e ame ser mal-amada...

Problema difícil é o do cara gente boa; que não vive para sacanear ninguém, mas que carrega a dor do auto-boicote na própria existência...; como é o caso da pessoa que se torna dependente química, por exemplo.

Entretanto, não é porque as intenções sejam boas que o resultado tenha que ser bom... [A PARÁBOLA DOS FILHOS “SIM” E “NÃO”]

Boas intenções não geram necessariamente nada de bom...

Na realidade, com todo amor, digo a você o seguinte:

1.    Ele pode ser muito legal, mas se você não quer chamar a certeza de problemas para o resto da sua vida, termine com ele e dê um tempo... Sim, um tempo para você e para ele. Um tempo para ficar distante e ver... Um tempo para o tempo... Sim, para que o tempo exerça o seu poder de fazer as coisas se revelarem...

2.    Sua culpa não é real. Você está se sentindo mal por ter transado com ele, quebrando seus sonhos e também os ditames da “igreja”. Mas não é Deus quem está convencendo você de culpa; é  sua consciência de “igreja”; é o seu “super-ego” comunitário; com seu poder mais poderoso de culpar do que o diabo possui.

3.    Não creio que as coisas ruins aconteceram por que vocês transaram, mas sim porque ele é um rapaz confuso e angustiado... Transar ou não transar deve ser, em um adulto, uma decisão de sabedoria, mas não de culpa ou medo. Portanto, não há um padrão para se definir pecado sexual com essa fixidez de crente... Por vezes, sexualmente falando, uma mulher peca transando até com o marido; com o marido que ela não ame; com o marido que ela apenas use; com o pagador das contas...

Assim, recomendo a você não a leitura de umas cartas minhas [como parece ter sido o seu caso], mas sim a leitura do site todo.

Se você ler o site, logo verá a insipiência de seu conflito; e logo amadurecerá para ver o que tem e o que não tem valor; assim como aprenderá a não “forçar a barra” com nada e ninguém; assim como aprenderá a entregar, a não se agarrar ao osso, a não prender ninguém...

Leia:

SEXO ANTES DO CASAMENTO

QUERO ESCOLHER CERTO COM QUEM CASAR

CASAMENTO E LIBERDADE

O QUE É JUGO DESIGUAL NO CASAMENTO?

QUE OS CASADOS SEJAM COMO SE NÃO O FOSSEM

SEXO ANTES DO CASAMENTO É PECADO?

CAIO, DIGA-ME O QUE É IMPORTANTE SOBRE CASAMENTO!

CASAMENTOS DE CRISTAL E CASAMENTOS DE BARRO

CASAMENTOS PARA SEMPRE?

AS DROGAS DO ÊXTASE: HEDONISMO E LUXURIA

AMO A JESUS, MAS NÃO CONSIGO LARGAR AS DROGAS

NÃO AMO O MEU NOIVO, MAS AMO O AMOR DELE POR MIM

 

Leia os textos acima e medite neles... É apenas a sua introdução no site. Vá fundo.

Receba meu amor e orações.

 

Nele, que ama a quem ama as coisas do amor e da verdade,

 

 

Caio

23 de abril de 2009

Copacabana

RJ