Português | English

Cartas

FIQUEI TRANSTORNADO E TRISTE--Jáder Borges

FIQUEI TRANSTORNADO E TRISTE--Jáder Borges

----- Original Message ----- From: Jáder Borges To: cafecomgraca@caiofabio.com Sent: Saturday, April 24, 2004 11:43 AM Subject: FIQUEI TRANSTORNADO E TRISTE Mensagem: São Paulo, 24 de Abril de 2004 Querido Pr. Caio. Bom dia. Querido irmão, volto a entrar em contato, desta vez para expressar milha dor solidarizada à do irmão. Não sabia que o querido havia perdido um filho recentemente. Estávamos todos na sala pastoral nos preparando para o culto da manhã, quando alguém comentou: “faleceu um filho do Rev. Caio, vítima de atropelamento”... Confesso ao irmão que aquela informação foi um choque para mim, pois também sou pai (de duas meninas). Fiquei mal; fiquei tão transtornado e triste que, de uma certa maneira, dei graças a Deus por não pregar aquela manhã, pois, sinceramente, não sei se reuniria condições para tanto. Só queria chorar. Sinto muito, irmão; e sinto muito pelo irmão. Passei aquele domingo recluso e a semana também me foi difícil. Entrei no seu site; li seus artigos a respeito e fui muito confortado por suas palavras e posturas. Não negando a sua dor, mas recebendo conforto do Alto (só podia ser), para escrever como escreveu e dizer o que disse. Sigo orando pelo irmão, a quem muito admiro e devo. Devo mitos momentos de edificação na Palavra, quando o irmão subia ao púlpito e falava com coragem e profundidade. Sou um dos milhares e milhares a quem o irmão edificou e influenciou. Agora estou aqui, pastoreando os jovens da IP Vila Mariana. Deixei São José dos Campos no último dezembro e agora estou por aqui, tentando ser pastor e amigo de um grupo muito querido de jovens e adolescentes. Muitos desses adolescentes e jovens bem podem ter a idade do seu filho Lukas, e durante alguns dias fiquei como que sobrepondo a imagem do seu filho na vida deles, trazendo sobre a minha vida grande responsabilidade, do tipo: “o que eu teria para dizer para o Lukas, uma semana antes do ocorrido?” Teria palavras de incentivo? De conforto? De paz? Assim, procurei agir com aqueles jovens, procurando desafiá-los cada vez mais a mamar e servir ao Senhor com alegria. Daqui a pouco estarei saindo com os jovens para Atibaia, para um tempo de confraternização e de estudo na Palavra, na chácara de um irmão querido da igreja. Oro e espero no Senhor, poder falar com esse grupo de cerca de 50 jovens, palavras que aqueçam o coração. Bem, pr. Caio, creio que já falei demais. Agora é hora de ir parando por aqui. Receba, por favor, o meu abraço, pois sinto que os seus dias ainda são muito difíceis. Se puder juntar o meu abraço à sua dor, nessa hora, por favor, considere-o. Desejando-lhe um dia de paz, por aqui vou encerrando. E, em São Paulo, se o irmão e amigo precisar de algo, por favor, conte conosco. Nossa casa é sua casa. Precisando de alguém para buscá-lo no aeroporto; oferecer-lhe teto, etc., some a nossa casa à sua lista de casa de amigos, ok? Ficando por aqui, no Senhor, Jader ____________________________________________________________ Resposta: Querido Jader: Graça, Paz e Alegria! Obrigado pela sua carta tão limpa, meiga, sincera, simples e que disse tudo! Nós estamos todos bem, Graças a Ele, que sempre faz infinitamente mais do que tudo aquilo que pedimos ou pensamos. Nós estamos neste mundo para viver e crescer. E como este mundo é caído, é nas tribulações que a alma aprende a se aparentar com o espírito; ou seja: ficar alma mais pneumática. Cada dia descubro mais o significado do “Esconderijo do Altíssimo”, e discirno um pouco melhor o que é viver “na Sombra do Onipotente”. Esse “lugar” é a Graça de Deus! Quando a gente se entrega ao amor de Deus todo medo desaparece, e, então, confiante, você diz ao Senhor: Ele é o meu refúgio e a minha fortaleza; o meu Deus, em quem confio. Porque Ele te livra do laço do passarinho, e da peste perniciosa. Ele te cobre com as suas penas, e debaixo das Suas asas encontras refúgio; a Sua verdade é escudo. Então, você não mais temerá os terrores da noite, nem a seta que voa de dia, nem peste que anda na escuridão, nem mortandade que assola ao meio-dia. Sua certeza é que ninguém que você ama tombará no descuido do Pai; nenhum dos Seus está fora do Refúgio. Mil poderão cair ao teu lado, e dez mil à tua direita; mas tu não serás atingido. Isto apenas porque fizeste do Senhor o teu refúgio, e do Altíssimo a tua habitação. Por isto, nenhum mal te sucederá, nem praga alguma chegará à tua casa. Portanto, mesmo na morte você não vê mal, pois, pela morte, em Cristo, pode-se ser livre do mau. Afinal, a morte e a vida são nossos em Jesus. Desse modo, mesmo ante o catastrófico você anda sem neurose. Isto porque você sabe que aos Seus anjos Ele dará ordem a teu respeito, para te guardarem em todos os teus caminhos. Sim, os anjos de Deus nos susterão nas suas mãos, para que não tropecemos nas pedras de tropeço. Ora, isto mergulha a gente em confiança e certeza de invencibilidade. Afinal, não somos nós que nos garantimos. Ele é o nosso guardião. Desse modo é que se pisará o leão e a áspide; calca-se nos pés o filho do leão e a serpente. Nesse lugar do Refúgio todas as coisas passam a cooperar para um Bem Maior, visto que Deus mesmo diz: Pois que tanto me amou, eu o livrarei; pô-lo-ei num alto retiro, porque ele conhece o meu nome. Quando ele me invocar, eu lhe responderei; estarei com ele na angústia, livrá-lo-ei, e o honrarei. Com muitos dias de paz fartá-lo-ei, e lhe mostrarei a minha salvação. É nesse lugar onde tenho vivido e andado sem medo e sem susto. Mesmo quando o telefone toca no meio da noite. Afinal, em relação aos meus, eu sei, em Cristo, que nem a morte e nem a vida poderá separá-los do amor de Deus que está em Jesus. Sobre como lidar com a moçada, além de muitos textos que há aqui neste site, sugiro-lhe um que acabei de escrever, intitulado AME A QUEM VOCÊ VÊ. Obrigado pela hospedagem, e pelo calor de sua casa, mais que sentido em suas palavras. Nele, que é o nosso Esconderijo, Caio