Português | English

Cartas

FANTASMAS DE UMA TRAIÇÃO

FANTASMAS DE UMA TRAIÇÃO



 

 

----- Original Message -----
From: FANTASMAS DE UMA TRAIÇÃO
To: contato@caiofabio.com
Sent: Monday, June 12, 2006 1:55 PM
Subject: Preciso de sua ajuda!


Prezado Caio,


Te escrevo com muito carinho. Tenho encontrado grande força
para prosseguir neste caminho da graça. Estou em fase de aprendizado. Mas
como o evangelho de fato nos consola e traz descanso!

Não sei como nós, no decorrer dos anos, fomos trocar este Evangelho por “cisternas que não retém as águas", como diz Jeremias. Li os teus artigos Jesus é o Nome e A Diferença entre Discípulo e seguidor oculto — e fiquei encantada com aquilo tudo! Eu quero muito viver isto. Na verdade este é o Jesus que conheci e perdi em meio a tantas doutrinas novas que foram chegando e continuam chegando... — e que nos roubaram Jesus com a sua paz. Ainda bem que o Senhor não nos entrega ao lobos!

Mas este não é o principal motivo pelo qual te escrevo. Quero te pedir ajuda
para o meu relacionamento. Te escrevi uns anos atrás te contando uma situação. Eu havia terminado o meu noivado e estava me relacionado com um rapaz que estava em fase de divorcio. Na época te contei que fiquei confusa e terminei com ele e tentei voltar para o meu ex-noivo. Só que
havia descoberto depois que não era o que eu queria. Queria aquele rapaz com quem iniciara um relacionamento.Você me encorajou a assumir o meu amor por
ele a despeito de todos os obstáculos.

Graças a Deus por este conselho!

Foi o que fiz e não me arrependerei em hipótese alguma!

Tudo seria perfeito se não fosse o fato dele ainda se sentir muito magoado com a confusão daquela época. Como meu relacionamento anterior tinha durado
nove anos, haviam ficado laços que não foram tão fáceis de serem quebrados; tais
como: relacionamento com a família, além de negócios envolvendo dinheiro com o
meu ex-noivo. Por isso mesmo depois que disse para o meu ex-noivo que não
era ele e sim o outro quem eu amava —, ele não aceitou a idéia tão facilmente
e insistia muito!

Eu estava muito confusa e não fui capaz administrar aquelas emoções, não fui racional o suficiente, não soube me impor e fracassei...
 
Acabei ficando com ele (meu ex-noivo) uma vez, por pressão, dês-encargo de consciência..., não sei..., qualquer coisa que não era amor, nem paixão. E o meu namorado soube, e foi embora.

Fiquei quase louca naquela época. Depois disto cortei todo o contato com ele e a família. Meu namorado e eu tentamos voltar na época. Mas só conseguíamos ficar poucos dias juntos... E ele ia embora ainda estava muito machucado com tudo.

Eu sofro muito, mas sempre tive a consciência de talvez este seja preço que tenha que pagar por este erro.

Resolvemos reatar definitivamente em dezembro de 2004 e estamos juntos até hoje. Porém, várias vezes, aconteceu dele voltar a este assunto, e ficarmos sem nos
ver por alguns dias. Nós não conseguimos ficar muito tempo longe um do outro e
escolhemos tentar ficar juntos porque acreditamos no que sentimos um pelo
outro.

Fomos juntos no Encontro do Caminho e no segundo dia ele entrou nesse assunto e me magoou muito; chorei toda a reunião; fiquei arrasada! Ele me confessou que naquela época também ficou com a ex-mulher quando descobriu que eu não o "levara a sério". Isso me doeu muito! Pelo menos serviu para que eu me colocasse no lugar dele. Apesar de tudo resolvi perdoar, acho que no fundo eu sabia e não queria enxergar!

Ele já se divorciou há quase dois anos e diz que não tem mais nada com a ex e nem a menor possibilidade de envolvimento. Ele tem uma filha desse casamento, fato que o põe de vez em quando em contato com ela. Mesmo assim não tenho agora evidência para achar que ele anda tenha alguma coisa. Ele diz que me ama e que quer superar isso parar estas confusões todas para ficarmos juntos. Eu as vezes me sinto insegura e ainda estou chocada com este fato! Quando toco no
assunto ele me joga na cara o meu erro e eu fico sem norte. Não tenho com quem falar sobre isto e as vezes machuca muito!

Essa semana assisti a uma fita de mensagem de um pastor sobre
perdão. Eu pensei muito em mim. Se precisava perdoar os outros. Afinal eu me magoei muito e magoei os outros. Não foi só minha dor. Pude me colocar no lugar da ex dele e do meu. Orei a Deus para que ajudasse a perdoar e curasse a mim e as pessoas envolvidas. Desde então estava sentindo muita paz em meu coração.

Havia saído aquele peso, aquela angustia!

Ontem, entretanto, passei um dia maravilhoso com o meu namorado, porém a noite acabei entrando no assunto da ex dele, e ele reagiu a altura. Me jogou na
cara o meu erro e foi  embora. Me disse que eu nunca havia pedido perdão a ele.
Eu então pedi, mas ele não disse nada. Hoje (dia dos namorados) não me ligou
e desligou o celular. Não vou insistir. Sei que um dia pode ir embora para sempre ou voltar. Eu tenho procurado ficar em Deus. Estou colhendo o que plantei. Tenho pedido a Deus para que cure o meu coração e perdoe os meus desatinos e que cure as pessoas que eu machuquei de alguma forma. Tenho perdido a alegria de viver por causa dessa situação.

Eu amo essa pessoa! Mas não sei se sobreviveremos a tudo isso! Será que o
amor entre homem e mulher é capaz de superar qualquer coisa mesmo? Nesta pregação a pessoa dizia que o tempo não cura feridas, somente o perdão. Será que nos perdoar genuinamente nos ajudará a continuar? Ou essas lembranças nos
atormentarão para o resto da vida, caso insistamos? Conheces experiências de
casais que venceram coisas parecidas? Eu preciso muito que me ajude mais uma
vez!


Um abraço!

Aprendendo a andar na Graça,
________________________________________

Resposta:


Minha querida amiga: Graça e Paz!


O que aconteceu, já era. Perder tempo sobre o que já foi, em nada ajuda. O que vale é ver o que se tem, e, também, verificar se vale a pena.

Ora, você o traiu; e ele, traído, traiu você. Como ele é homem, e como todo homem sempre acha sua própria traição como tendo menos significado do que a da mulher, e, além disso, como sabe que traiu porque você o traíra antes, o sentido de justiça própria dele deve ter se exacerbado ao extremo. Como, porém, ele parece amar você (a menos que ele seja doente... e goste de ficar numa situação de traição... mesmo sem amor), julgo que agora ele expressa os tormentos das lembranças e fantasias; e, mais que isto sofre em pensar que, amando-o, você ainda se deu ao outro; e, neste ponto, entra em ação o orgulho; e também a dúvida acerca de seu amor por ele, mais do que qualquer coisa.

O problema é que você o traiu, e ele ainda não perdoou você de vez. E, para complicar, você ainda tem suas crises de ciúmes com o ocorrido entre ele e a ex-mulher, mãe de uma filha dele. Entretanto, suas crises de ciúmes, são também sua defesa contra a tão grande desvantagem que existe no encontro de contas que toda hora se estabelece entre vocês.

Assim, você também julga e se irrita com os encontros dele com a filha, apenas porque ele poderá ver a mãe dela. Na realidade, você sabe que ele não quer nada com a ex-mulher, mas convém a você sentir esse mal-estar a fim de ver se cobre sua própria culpa; sempre lembrada por ele. Afinal, já que você não pode negar que o traiu, tem que conseguir diminuir a sua culpa criando uma possibilidade de traição para ele. Assim, até inconscientemente, você dá o troco.

A questão é que você suja a água para beber depois. Fica ciumenta, a fim de criar uma causa que tire você do centro de atenções endividadas, sem perceber que o seu ciúme apenas trás para o cenário relacional, algo muito pior para ele, para seu companheiro, e para você: que é o seu caso de desistência de seu companheiro a fim de ficar com quem você dizia já não querer estar. Desse modo você o faz lembrar do que você não quer que ele lembre mais. É como o cão que corre atrás do próprio rabo.

Somente perdão genuíno e sem encontro de contas e sem ciúmes, é o que pode trazer vocês para um ambiente de amor construtivo. Mais que isto, vocês dois precisam dar um passo de fé na direção um do outro; e fazer isto confiando em Deus; e não na impecabilidade um do outro.

Sem fé e confiança nenhum casamento ferido pode ser curado, mesmo quando há amor!

Sem perdão e confiança nada poderá levar vocês sequer a um lugar “menos ruim” que o de hoje!

Mas se vocês se perdoarem, deixarem os erros para trás, e se dedicarem à confiança, quebrarão o “carma dos adúlteros”, que vem do fato de que para adulterarem um com o outro, tiveram que mentir para pessoas; e, assim, agora, juntos, acabam por transferir ou projetar sobre o outro o que cada um fez ao próprio cônjuge um dia; e que agora, como perseguição neurótica e culposa, a pessoa trás de volta a vida a fim de julgá-la.

Desse modo, o casamento da maioria das pessoas que, para estarem juntas, um dia mentiram e traíram, acaba trazendo as malandragens de antes para serem os juizes que fomentam todas as desconfianças agora.

Portanto, sem que tal ciclo seja quebrado, nada pode ajudar a pessoas com o histórico relacional de vocês!

Mas se você se empenharem nas veredas simples que aqui indiquei, sei que vocês terão chance de vencer os fantasmas que hoje os atormentam a alma.


Nele, que é Aquele que perdoa e nos manda perdoar,

 

Caio