Português | English

Cartas

EXISTE UM MODO CRISTÃO DE SE SEPARAR?

EXISTE UM MODO CRISTÃO DE SE SEPARAR?

-----Original Message----- From: William Sent: quarta-feira, 8 de outubro de 2003 12:13 To: contato@caiofabio.com Subject: EXISTE UM MODO CRISTÃO DE SE SEPARAR? Mensagem: Li numa resposta que deu a uma pessoa sobre separação... a seguinte frase: "...existe um modo cristão de se desligar..." Qual é esse modo? (dentro da doutrina!) ____________________________________________________________ Resposta: Meu amado William: Perdão É perdão! Não há doutrinas para a vida e a morte. Há vida e morte. Também não há amor sem amor. Amor É amor. Se alguém ama você do jeito que você ama essa pessoa, a relação deve ser conforme o amor que existe. Mas se você ama alguém de um modo, e essa outra pessoa ama você de outro modo, nenhuma relação confortável se estabelecerá em razão da distinção do amor que sentem. Há muitas formas de amar. Mas no casamento não se pode amar de qualquer forma, pois, se nele, há alguém amando como se espera amar e ser amado no casamento, por mais que o outro ame e possa até dar a vida para salvar o outro; ainda assim, a tal pessoa, receberá esse sacrifício como sacrifício, e não como o amor que gratifica; visto que no casamento ninguém tem que morrer para salvar o casamento, mas ambos têm que viver em razão da certeza do amor. Assim, quando duas pessoas descobrem que se amam com amores diferentes, e um dos dois se frustra com tal constatação, a única solução do amor—não da doutrina—é a libertação. Isto porque se eu amo alguém que não me ama do modo como eu espero receber amor naquela relação especial, minha mais pura consciência da Graça me manda deixar essa pessoa livre; pois quero amá-la com um amor correspondente; e, nesse caso, não tenho para dar...ou a outra pessoa não tem para me oferecer...não da forma que preciso e sei que é natural. Por isto, em nome do amor e por amor, liberto-a; a fim de que possa amá-la com verdade; e esperar que um dia essa verdade seja mais forte que qualquer mágoa do coração que se sente “rejeitado”, muitas vezes sem ter sido; visto que foi e é amado (a), só não o é com a forma de amor esperada. Amar o inimigo é uma decisão. Porém amar um homem ou uma mulher é um mistério cujas razões não são contadas pelo coração nem mesmo para aquele que ama perdidamente. Assim, mais importante que o casamento é a Verdade; assim como o amor é mais importante que a Lei; e assim como o homem é maior que o sábado. Portanto, quando não se ama como e do modo com o qual o outro espera que o amemos, a melhor saída, é a única: a verdade. Assim, há um caminho para entrar e sair quando se vive na Porta. Jesus disse que Nele a gente entra e sai e acha pastagem. Deus não está interessado em casamentos que são guerras! Posso até me separar de alguém por não amar como a pessoa esperaria que eu a amasse; mas mesmo me separando, devo lutar com todas as forças para que o divorcio seja um ato de RECONCILIAÇÃO na verdade. Espero que tenha me entendido. Nele, que ama para sempre, pois é amor, Caio