Português | English

Cartas

EU VIAJEI COM VOCÊ

EU VIAJEI COM VOCÊ



----- Original Message ----- From: EU VIAJEI COM VOCÊ To: contato@caiofabio.com> Sent: Thursday, April 07, 2005 8:53 PM Subject: Viajando com Você Oi, Amigo Caio! Eu estava na Universidade onde faço graduação, que pra começar se intitula "UniverCidade". É até engraçado. Mas o que quero falar é que devido a minha aula de hoje (07/05/2005) ter inicio apenas as 20:40, fiquei em um laboratório, somente lendo e relendo várias palavras contidas em teu site, sem me preocupar com o que iria ler, sem ter a preocupação de extrair algo para pesquisa, esboço, noticias...; apenas lendo como se estivéssemos em uma conversa intima... entre nós e Deus. Sim, Ele está em todas as palavras e frases de cada coluna; seja em Artigos, ou Reflexões, em Informativo, Caminho da Graça... Ele se faz presente em tuas palavras de forma simples, porém envolvente e atraente. Comecei a desfrutar desse tempo... não estava a fim de estudar..., ou de pesquisar nada em relação a nenhuma matéria do curso. Só queria ouvir você através da leitura... Viajei em suas viagens, caminhei e suas histórias, naveguei e nadei contigo em Copa, mesmo com tubarões; andei de avião (só viajei uma única vez de avião, literalmente), fui a Manaus com você na infância, chorei, senti a dor no peito devido a falência de um ser que foi envolvido em um dossiê; e amarguei as noites e os dias que não passavam em cinco e eternos anos de tua existência... Sorri com o nascer da Hellena, vibrei com a criação do site, de um portal que surgiu, através de um disfarce (risos)... Me emocionei com o relato da vida do Sergio Luiz no caminho pelo Caminho no Caminho da Graça... Senti a saudade da Igreja de Betânia... Viajei com a sua Toga e a Menina... Me enchi de ternura com Lukas... e me vez refletir sobre uma mensagem sua que relatava sobre a viúva de Naim a dor da perda... e o encontro da algria com Cristo... São momentos dificílimos... Mas Jesus traz paz mantendo vivo o amor que tens pelo teu amado Lukas... Então... por todo esses momentos... percebendo que talvez nunca nem cheguemos a nos conhecer, ou trocarmos um “Olá! Como vai meu mano?!”—é por isso somente que lhe escrevo nesses momentos que antecedem a aula, sabendo até mesmo que irá demorar alguns dias ou até meses para que você venha a ler sem compromisso de reposta. Sim, esse é um relato de momentos agradáveis em tua companhia. Um abraço virtual meu mano Caio Fábio. 20:46 _____________________________________________ Resposta: Minha querida mana no Reino: Graça e Paz! Uma coisa maravilhosa desse meio de imprimir o ser e a alma, aqui nesse registro vivo e diário—que é o site—, é que você vai fazendo amigos sem saber; além de que, muitas vezes, você fica querendo bem a nomes-almas de pessoas que você nunca viu, mas que impactam você, exatamente conforme você acabou de fazer comigo, pelo seu modo de propor sua leitura do site como uma viagem. Toda semana eu passo em frente à UniverCidade, e, agora, também saberei que ali tem um laboratório que serve de esquina, sofá, capela ou Catedral para você. Meu desejo neste espaço virtual é ir deixando pegadas espirituais e humanas que possam ser úteis a outros. E minha certeza é que mesmo quando eu já não estiver aqui, na Terra, muita gente de outros tempos e gerações, ainda virão aqui, e se conectarão em outros laboratórios, cybers, trabalhos, casas, hotéis, ou quaisquer outros lugares, em qualquer parte do mundo, e em várias línguas; e acessarão, e serão edificados, e farão uma viagem espiritual e existencial à semelhança do que você fez. Naquele sonho da Toga, a Menina e a Catedral, uma das insistências da jovem que me advertia quanto ao que era importante ou não, era a sua insistência em que eu olhasse para uma nova geração. Basicamente tudo o que tenho feito visa plantar sementes do reino no coração de uma nova geração. Por isso, muito me alegra saber que a maior parte das pessoas que aqui se conectam têm idades entre 18 e 34 anos, na sua maioria. Mas o contingente dos que estão entre 21 e 28 é imenso. Os caminhos de Deus são muito estranhos! Às vezes eu não consigo acreditar que a minha vida mudou tanto, e que, do ponto de vista espiritual—ou seja: eu ontem ou eu hoje—, eu prefiro infinitamente mais ser quem me tornei em Cristo; apesar de todas as dores e dificuldades. Hoje eu tenho muito mais tempo de observar a mim mesmo e as pessoas. E tenho também muitas outras ‘entradas’ na vida, que antes eu não tinha. Perdi espaço religioso mas ganhei muito mais espaço na vida mesma. O que sinto é que Deus me deu liberdade. Muita liberdade. E muita confiança no fato de que Ele está comigo. Com tal liberdade veio também uma grande vontade de ensinar todo o conselho de Deus, conforme o discirno no Evangelho. Coisas que desde há muito eu cria e discernia, mas não falava, com o famoso medo de escandalizar. Viajar pelos intestinos de muitas coisas e instituições religiosas e seus líderes, no curso dos anos, foi me revelando quem era e quem não era para ser escandalizado; e, sobretudo, o que era e o que não era escândalo, do ponto de vista de Jesus; e, mais ainda: fui aprendendo quem deveria ser de fato escandalizado, para o seu próprio bem, ainda que só bem depois reconheça isto. Hoje me sinto livro para dizer qualquer coisa na qual eu realmente creia, e sem nenhuma preocupação com interpretações de terceiros, pelo simples fato de que sei que o que digo, mesmo nos temas e áreas mais inusitados, têm seu alicerce no Evangelho da Graça de Deus. O Evangelho é minha liberdade. E só quero a liberdade que no Evangelho eu puder ter, posto que o que passar ou ficar aquém disso, não gera liberdade, mas escravidão à escravidão; ou, sua outra versão, que é escravidão à libertinagem. Obrigado por ter se dado ao trabalho de ler também acerca da pessoa humana que tecla essas linhas aqui todos os dias. Em cada texto ou resposta eu estou ali, com a emoção da hora, do dia, do assunto, e das vibrações que sinto. Nunca pensei que eu pudesse um dia olhar para a tela de um notebook e ter a certeza de sentir o que está acontecendo com as pessoas que estão lendo as coisas que escrevi naquele dia. E o maravilhoso é que recebo o retorno imediato pelos e-mails que me chegam. Enfim, só estou dizendo a você algumas coisas acerca de como me sinto porque vi que você não estava interessada apenas em informação, mas também na narrativa existencial de uma vida. Que Deus abençoe muito você, e que a ilumine em sua pós-graduação. Nele, em Quem há a Uni e que se pode Ver como Cidade, que é a Nova Jerusalém, Caio