Português | English

Cartas

EU ESTAVA NO APOCALÍPSE DAS IGREJAS!

EU ESTAVA NO APOCALÍPSE DAS IGREJAS!

-----Mensagem original----- De: fernanda santos Enviada em: segunda-feira, 21 de junho de 2004 10:46 Para: cafecomgraca@caiofabio.com Assunto EU ESTAVA NO APOCALÍPSE DAS IGREJAS! Mensagem: Muitíssimo querido pastor Caio, Estava na jornada teológica sobre o Apocalipse das Igrejas (em Recife). Na primeira noite fui dormir sorrindo; na segunda, chorando, e , desde então, tenho alternado noites de sono profundo e de insônia profunda, também. Mas o que queria lhe dizer é outra coisa. Quando eu o vi pela primeira vez, eu não sabia que o senhor era "o pastor Caio Fábio". Para mim, era "um pastor", o Caio Fábio. Decerto que eu tenho pouco mais de 4 anos de convertida. Mas faz uns quatro meses que o vi pela primeira vez. E lembro que pensei: “Engraçado, como esse homem se mostra um pecador carente da Glória de Deus! Aleluia, ele é igual a mim! Então, é possível se reconhecer um pecador e ter paz com Deus!” Claro que eu não estou falando de viver em paz com o pecado e reconhecer Deus, mas de ser-estar salva todos os dias. Ah, pastor, há quanto tempo eu não era salva todo dia! No seminário o senhor falou sobre "cair para cima". E eu queria lhe dizer que é claro que já ouvi falar que "o pastor Caio Fábio caiu", mas não tenho idéia do que aconteceu, não tenho lembranças a respeito disso. E na verdade não tenho curiosidade. Tenho apenas a vontade de lhe dizer que a "sua queda" não pode ser diferente da minha, ou melhor, das minhas. Eu caio todos os dias, pastor, o senhor acredita, não? Das mais diversas formas...(e eu não estou falando das formas perversamente perceptíveis, mas das santamente insinuantes, silenciosas)... todos os dias, e o Senhor me levanta. Curioso isso. Eu reconheço que caio, até mesmo quando aparentemente estou de pé. E é assim que eu sou levantada... Mas não quero complicar muito essa mensagem. Quero ser simples nesse agradecimento e dizer que não faço a mínima idéia da maneira como o senhor pregava antes da tal "queda", mas, agora, esse episódio que eu não sei nem qual é, fala das minhas quedas e revela o meu Salvador. E eu também não sei se o que eu vou dizer é biblicamente certo ou cristã-mente adequado, mas sua queda me levanta, o Jesus que é, e age em você, e me regenera! E certamente não só a mim... Obrigada. Meu profundo carinho e respeito. ____________________________________________________________ Resposta: Minha querida Fernanda, Obrigado pela sua carta carinhosa, sincera e lúcida. Você não complicou nada, apenas demonstrou estar entendendo cada vez mais o significado de andar na Graça de Deus. Essa história de "fulano caiu" é loucura de quem pensa estar em pé. Portanto, a advertência de Paulo só tem a sua aplicação na vida daquele que pensa estar em pé. É uma advertência contra a presunção do juízo e da arrogância. A minha queda aconteceu em Adão, não há oito anos, quando me divorciei. Desde que conheci Jesus sou um ser caído que foi restaurado pela Graça de Deus, e que vive um contínuo processo de regeneração interior, pois o meu homem interior se renova de dia em dia. O resto é conversa de quem tem a presunção de estar em pé, coisa da qual eu, pela misericórdia de Deus, sempre estive livre. Meu pai me deu um nome próprio muito próprio, pois quando digo quem sou, sempre digo quem sou: Caio! Carregando um nome desses tem-se que andar no mínimo com a consciência de quem você é. Ou seja: se entregue a mim mesmo...eu caio! Cair, todavia, no Novo Testamento, não é ser fraco e admitir a própria incoerência. Cair é pensar que pela justiça própria se pode agradar a Deus. Isto é "cair da Graça"! Assim, esse cair é justamente a presunção de estar em pé, pois esta sempre tem seu fundamento na arrogância de pensar que o homem está em pé quando é senhor de seus próprios caminhos e comportamentos, sem saber que o mal é intrínseco e habita a essência do seu ser. Portanto, os que dizem que alguém caiu, eles mesmos estão fazendo a confissão de já há muito terem decaído da Graça, pois, quem conhece a Graça, não comete tal insensatez, visto que sabe que se caminha em paz, é apenas porque está sendo levado no colo da Graça de Deus. O resto, Fernanda, é neurose de justiça própria, e é a própria confissão da queda como poder de estar em pé. Só quem entende isto é que começa a encontrar conversão verdadeira. Este é o ponto de partida para se andar na Graça de Deus. Receba meu carinho e minhas orações! Nele, em Quem todas as quedas contribuem para o bem dos que o amam, Caio