Português | English

Cartas

EU E MEU PASTOR NOS APAIXONAMOS…

EU E MEU PASTOR NOS APAIXONAMOS…

 

----- Original Message -----

From: EU E MEU PASTOR NOS APAIXONAMOS…

To: contato@caiofabio.com

Sent: Thursday, September 17, 2009 3:10 PM

Subject: EU E MEU PASTOR NOS APAIXONAMOS…

 

Querido Caio,
Em Agosto de 2007 eu e o meu pastor nos apaixonamos... Saímos três vezes para tomarmos café e ele decidiu falar com a sua esposa acerca dessa decisão... O impedi naquele momento devido a minha mãe estar em fase terminal de um câncer e eu não queria nenhum tipo de pressão ou retaliação sobre a minha família.

Ele, determinado, disse que não poderia ficar vivendo no mesmo ambiente, pois sua ex-esposa possui um temperamento muito agressivo.
Insisti para que ele ficasse por conta de seus três filhos, cuja relação sempre foi linda!...Dessa forma aos poucos ela perceberia que ele já não estava, mas interessado em permanecer junto a ela.
Ledo engano!
Nossa vida virou um inferno, as "irmãs" da igreja se encarregaram de dar o recado, sem ao menos ter uma prova, tudo baseado no que achavam - devido a minha facilidade de comunicação e alegria para com todos, o que me dava visibilidade nos ministérios que ocupava.
Pastor, ele encerrou imediatamente as atividades na igreja, que na época estava começando e tinha em média 20 pessoas. Os irmãos não queriam o afastamento dele, pois diziam que a jezabel (eu) é quem deveria sair e não ele "fechar" a igreja.
Saímos e todos estavam com as pedras nas mãos... Ele continuou firme em seu propósito, porém difamações, mentiras e invasões permaneceram; sua ex-esposa garantiu que não teríamos paz e que ele jamais voltaria a ser um sacerdote do Senhor. Ela encaminhou "os relatórios" aos pastores da cidade e estes começaram a evitá-lo.
Minha mãe faleceu três meses depois, sem perceber toda esta dor, pois os seus sentidos já não estavam funcionando bem.
Meu pai e minha irmã o aceitaram muito bem, uma vez que ele foi até eles para dizer o quanto me amava e estava pagando um preço alto por isto, o que não o faria desistir.
os filhos continuam tendo contato com ele, saem muito juntos, há uma relação saudável (são dois adolescentes e um de 08 anos), mas me odeiam, pois para eles eu sou o motivo que os afasta do pai...eles o tinham todos os dias!
Não ligo quanto à freqüência, horário e lugar que ele está com os seus filhos, o apoio porque sei o quanto é importante para os meninos. eu tenho 39 anos, eles são adolescentes - não posso ser egoísta e infantil.
Aprecio a relação deles, gostaria de fazer parte, sei o quanto eles são especiais (fui a professora deles no Ministério)mas...não tenho o mínimo espaço.
Casamos em Março/2009 com um documento de união estável  (pois o processo de separação estava em trâmite e o divórcio só após dois anos)e fomos morar em uma outra cidade, que permite ele ter um acesso rápido aos meninos para não haver comprometimento na relação com eles e o acompanhamento também.
Mas confesso que desde o ocorrido (2007) a ex-mulher não nos deixou em paz, me perseguiu e me agrediu em frente ao meu trabalho, nos agrediu frente a casa do meu pai quando chegávamos de carro e fez um escândalo terrível onde uma enorme platéia com sede de "sangue" aplaudiu tempestivamente a cena do agressor.
Dei parte Na Delegacia de Mulher, fui no IML e achei que isso iria cessar suas perseguições horríveis.O celular não parava, mudei de nº. várias vezes, mas ela conseguia a informação do novo, e começava tudo novamente.
Após um bom tempo, começamos a freqüentar uma igreja nesta nova cidade, queríamos retomar as nossas vidas longe de todas aquelas nuvens negras, nossos corações estavam abertos para servir e almejávamos estar junto a novos irmãos e sermos úteis. Visitamos uma por quatro meses, até que o Pastor ficou curioso e perguntou por que não congregávamos ali, éramos pessoas simpáticas, talentosas, porque não ficar, dizia ele?
Então o chamamos para uma conversa pessoal, e o meu esposo contou á ele que era pastor e o que havia acontecido... imediatamente ele olhou nos olhos dele, e disse: Meu irmão eu sei o que vc está passando, porque comigo foi a mesma coisa, a única diferença é que eu não fiquei com a pessoa, terminei voltando para casa, devido ao escândalo no meu ministério. Não queria ser eu a própria libação! ainda que isto já houvesse acontecido.
Nos sentimos em paz e queridos, fomos recebidos pela igreja sem que ninguém soubesse do fato, e para que saber? Estávamos em um novo tempo!
Este assunto ficou entre nós três somente - este foi o combinado. (nem a esposa do pastor ficou sabendo, devido ao problema ocorrido com eles na mesma natureza, o que lhe causou grandes transtornos - até hj)
estava indo tudo  bem...01 ano se passou e a filha do meu esposo descobriu aonde congregávamos, informou a mãe e esta sem perder tempo foi direto a igreja conversar com o pastor, chegando lá mencionou a ele, ao presbítero e ao líder do louvor fatos mentirosos e grotescos.Falava, sem  parar e  para completar levou uma testemunha(visinha) para respaldar o que dizia.
Eles ficaram atônitos, principalmente os dois (presbítero e Líder do louvor) que não sabiam de nada, nem mesmo que o meu esposo tinha três filhos.
A história tomou uma proporção horrível, o que não queríamos que acontecesse por julgar ser coisas do passado, veio a tona da pior forma. Mentiras do tipo: pensão, bens não divididos, bigamia... foram os tópicos.
O meu esposo e eu que estávamos a frente de Ministérios como pastores, fomos completamente descartados.
E O pastor que tudo sabia? Mandou dois e-mails para dizer que era solidário e que podíamos freqüentar a igreja sem atuar em nossos ministérios (por enquanto). O meu esposo pediu uma reunião em nossa casa com a liderança para que pudéssemos esclarecer através de  documentos (provas) o que se havia dito; comprovando a ausência de juízo daquela "mulher" - que nada quis, senão nos humilhar.
Até hj estamos esperando por eles.
O meu esposo já até recebeu  um e-mail de um irmão para que ele se converta e deixe de ser uma farsa.
Ficamos tristes demais....choramos e oramos....Deus sabe o quanto queremos viver em paz com todos, assumindo nossas responsabilidades.
Uma semana depois que esta mulher fez tudo isto, a pegamos saindo de um prédio frente ao prédio que ela mora com as crianças, uma hora da manhã, após uma visita intima com um homem estranho. Estávamos ali, porque as crianças haviam  ligado dizendo que estavam sozinhas e preocupadas, pois a mãe havia saído de casa às nove da noite para comprar leite e não havia chegado...
Ela tem 41 anos, não trabalha e eu e o meu esposo estamos sempre cobrindo uma coisa aqui, outra ali, por conta de sua insanidade e desocupação; nosso orçamento familiar sempre em déficit porque ela faz questão  de criar situações financeiras para nos trazer peso.
O seu propósito de vida é nos infernizar....Ela conta histórias mentirosas, como se fossem verdades...até chora, uma verdadeira atriz...e todos se comovem e se tornam aliados nesta "causa" injusta.
Ele a conheceu com 21 anos, ele fazia faculdade, não era muito sociável, e começou a freqüentar lugares típicos para se vencer a timidez, ela era prostituta , e quando o viu insistiu em ter um relacionamento com ele, o qual tb não disse não.
Namoraram e foram morar juntos após um ano. No decorrer do relacionamento os sintomas começaram a aparecer, incompatibilidades gigantescas... Ele pensou em retomar a sua vida sem ela... Porém, um casal de gêmeos já estava a caminho... Era preciso ficar e assumir tudo.
17 anos depois ele me conheceu, eu estava divorciada a 09 anos... Eu fui conhecer a igreja e a achei muito aconchegante e simples. Chorei de alegria por encontrar um lugar tão cheio de Graça, arregacei as mangas e investi no Ministério com os Adolescentes, o qual realizava com muito Amor.
Dois meses depois admirávamos um ao outro de forma discreta e sem palavras, mas os nossos corações já mantinha o mesmo ritmo.
E assim, pastor, é a nossa história.
Estamos cansados, esgotados emocionalmente, decepcionados.
E ainda temos alguém no nosso pé, sempre aparecendo e fazendo estragos. Quando ela perde ainda mais a consciência proíbe as crianças de até mesmo atender os telefonemas do pai, jogando os filhos contra ele.
Ameaças, chantagens, vingança são os ingredientes que dão sabor a sua vida. E ainda se diz uma Mulher de Deus, a qual todos os domingos comparece pontualmente aos Cultos.
Desculpe o desabafo! Mas me sinto em "frangalhos”.
Escrevo porque creio que suas milhares de experiências possam nos ajudar.
Um grande abraço, e que Deus continue lhe abençoando poderosamente.
____________________________________

Resposta:

 

Minha amiga: Graça e Paz!

 

Eu dou testemunho de que a “moral cristã” ensinada pela “igreja” é um dos “instrumentos” mais úteis ao diabo quanto a mudar o curso da vida das pessoas..., em razão de erros “morais"; os quais, burramente..., supostamente..., somente são consertados mediante a “libação” de algum “bode ou touro”... — os quais, no caso, são os implicados humanos no que seria moralmente um escândalo...

E, assim, a fim de evitar um escândalo..., cria-se um projeto de existência que é em si um escândalo...; e que, inevitavelmente, gerará “escândalo” no futuro, posto que as decisões da “moral” são belas aos olhos que vêem, mas, frequentemente, são as sepulturas do praticante da moral como agrado a terceiros... Que é o que em geral acontece na Religião...

Ora, sempre que vejo pessoas se encontrando “fora da hora” ou “fora das circunstancias”..., me entristeço; pois, se o caso já é complicado “no mundo”, na “igreja/mundo” o caso é infinitamente pior...

É sempre lamentável a separação de um casal... Especialmente quando há filhos envolvidos... Pois, você há de saber..., o processo de assimilação, inclusão, aceitação, convívio com os filhos, caso não haja muita sabedoria e paciência, quase sempre é o que inviabiliza a continuidade feliz da nova relação... — no caso, com o pai ou a mãe de tais filhos...

A única coisa que não está errada aí é o amor de vocês, se vocês se amam... Sim, pois, o mais, mesmo com amor, não tem como acontecer sem machucar, sem ofender, sem entristecer, e sem suscitar o diabo nos homens..., quanto mais na esposa deixada!...

O que a ex-mulher dele fez, faz e fará não é problema de vocês; e nem seu...

Se ela apronta..., mas assim mesmo dá uma de viúva enquanto transa com alguém..., não é problema de vocês...

Não usem o que vocês sabem contra ela...

Falem apenas a verdade que concerne a vocês dois... O que houve de fato...

Mas não fiquem a se explicar... Pois, se o fizerem..., isto jamais terá fim. Jamais!...

Você, por seu turno, não tente ser “mãe” dos meninos, não tente se mostrar melhor do que a mãe deles, e nem faça “propaganda” de seu casamento com o pai deles...

Basta ser amiga, generosa, justa, sincera, acolhedora, séria no que seja sério; e, sobretudo, sem opiniões a dar sobre o passado do seu marido com a mãe deles; e, muito menos ainda, jamais opine sobre ela..., nem quando os “meninos” falaram mal dela algum dia...

Quanto ao “pastor compreensivo”..., saiba: ele é bonzinho...

O “bonzinho” é assim... Entende tudo... Já sofreu... Sabe como é... Mas como não agüentou ficar e levar o tranco..., então, é solidário até que isso não o implique, pois, caso aconteça, é fácil saber qual seja a decisão de um homem que não teve peito de bancar a si mesmo...

Sim, se ele não ficou para bancar no caso dele mesmo, como e por que você acha que ele iria bancar vocês?...

Jamais!...

Não há o que fazer quando o caso é este e a pessoa tem a esperança de ainda “caber em uma igreja”...

Foi errado também julgar que vocês podem andar por aí sem terem de contar logo a história toda onde quer que lhes interesse ficar... Digo isto no caso de “igrejas”...

Nas “igrejas”, no entanto, não haverá lugar para vocês...

Sempre que alguém “descobrir”..., dês-cobrirá...

Aqui no site há dezenas de respostas minhas a situações idênticas... Leia tudo o que puder com seu marido... www.caiofabio.com

O que importa, no entanto, em meio a tudo isto, é apenas aquilo que concerne aos filhos dele...

Ajude-o a não perder os filhos estando com você; pois, se você não o ajudar, e muito, devagar... ele irá se afastando, na medida em que espaços sejam criados...

Você pode facilitar tudo... E eu espero que assim você proceda...

Sim, pois é o mínimo que você pode e deve fazer...

Por hora é tudo o que tenho a lhe dizer!

Receba meu carinho em amor sincero na verdade!

 

Nele, com sinceridade,

 

Caio

19 de setembro de 2009

Lago Norte

Brasília

DF