Português | English

Cartas

ESTOU PARA JOGAR A TOALHA...

ESTOU PARA JOGAR A TOALHA...

-----Original Message----- From: SE MEUS FILHOS NÃO FOSSEM VIDRADOS NO MEU MARIDO, EU O DEIXARIA... Sent: sexta-feira, 12 de dezembro de 2003 12:14 To: contato@caiofabio.com Subject: O QUE FAÇO? Mensagem: Agradeço ao senhor por esta oportunidade. Me desculpe os erros, pois tenho que redigir rápido por estar no trabalho. Quero compartilhar o que tenho vivido ultimamente. Conheci, aos 18 anos um seminarista. Ele tinha desejo de concluir o seminário e se casar. Quando nos conhecemos foi tudo uma benção, pois criamos que Deus estava em nossa união. Namoramos 1 ano e nos casamos. Passamos por muitas lutas financeiras desde quando nos casamos até hoje. São seis anos de casados. Hoje estou morando com minha mãe, com meu marido e meus dois filhos... Ele está desempregado. Somente eu estou trabalhando. O diálogo está cada vez mais difícil... Ele quer mudar de casa...com razão, mas sem condições. Minha mãe ajuda a cuidar dos meu filhos, enquanto eu estou trabalhando. Ele quer mudar para uma outra região por causa da igreja, e por causa disto ele se demonstra muito nervoso, ignorante... Só não temei uma decisão radical por causa dos meus filhos, porque são vidrados nele. Não sei o que vai acontecer. Parece que não existe mais amor da minha parte. Não sei o que vou fazer... Por favor, me aconselhe!!! *********************************************************** Resposta: Minha amada irmã: Paz! Não jogue a toalha com tanta rapidez! Esse é apenas um tempo difícil, como todo mundo passa. Se existe a chance de mudar de casa, mude. Se existe a chance de ir para outra cidade onde ele possa trabalhar, vá com ele—isso no caso do salário dele ser suficiente. Se não há igrejas nas quais ele possa trabalhar, então, que ele “faça tendas”, como Paulo fez. Mas não desista assim, tão rapidamente... Sua carta foi rápida, mas não me falou de incompatibilidades essenciais, mas apenas de situações circunstanciais. Separação nunca deve ser fruto de circunstancias. Quando o são, a gente sempre se arrepende. As circunstancias mudam, e a saudade volta avassaladora. Quando um casal se separa, isso deve ser apenas e tão somente em razão de uma total falta de liga na essência. Portanto, calma. Esfrie a cabeça. Divórcio é algo tão pesado e trágico, que só é uma solução quando o que existe é pior do que qualquer alternativa interior. Chegue em casa hoje, sexta-feita, e dê um banho de paixão nele. Devore o homem. Afirme-o. Ele anda também inseguro. E já deve ter notado que você está para jogar a toalha. Ao invés de jogar a toalha, dê um banho nele! Os homens são mais fracos e carentes que as mulheres na hora em que os cenários de desenaham como nas circunstâncias que você descreveu. E, aqui, não falo como um macho sendo solidário com um outro. Não é o caso. Desejo apenas ver vocês bem. E creio que existem todas as chances para vocês virarem esse jogo. Portanto, chegue em casa, pegue a toalha, leve o bichinho pro banheiro, e dê um banho de amor nele! Estarei orando por você. Leia o site e veja as histórias trágicas de tanta gente que se separou na pressa, e depois não tinha mais como voltar. Que a paz de Cristo traga serenidade e paciência a você! Nele, Caio