Português | English

Cartas

ESTOU NA GOELA DA TENTAÇÃO!...

ESTOU NA GOELA DA TENTAÇÃO!...

 

----- Original Message -----

From: ESTOU NA GOELA DA TENTAÇÃO!...

To: contato@caiofabio.com

Sent: Thursday, May 21, 2009 4:32 PM

Subject: POR FALAR EM TENTAÇÃO

 

Caro Caio, Graça e Paz em Jesus!

 

A propósito de seu texto "O FIM DE TODAS AS TENTAÇÕES!... – GLÓRIA AO DIABO? ", estou num momento que parece uma encruzilhada.

Desde que mergulhei no Evangelho do Reino, estudando e aprendendo (com forte auxílio dos seus toques e sacadas) e tenho experimentado uma Paz que jamais pensei que poderia sequer existir quanto mais vivê-la, a verdadeira Paz de Cristo Jesus, descobri também (óbvio!) que nada há que esteja oculto e que escape aos olhos de Deus e que Ele conhece o nosso coração.

 

Estou vivendo um momento de tentação!...

 

Colega de trabalho ... garota bonita, casada como eu, que me atrai demais...

 

Enquanto estou em casa faço minha contrição e percebo o caminho errado, mas quando estou no trabalho parece que minha defesa cede e fico rendido, como se bastasse um chamado dela.

 

E o pior é que, um olhar aqui, outro ali, de repente a coisa sai do controle...

 

Esse é o medo e a encruzilhada, porque entendo que se trata de uma tentação em uma área ainda fraca da minha vida; e encruzilhada porque sei que tenho que escolher entre dois caminhos, o largo e o estreito; e sei que este último é o que conduz à única Vida que vale a pena ser vivida.

 

O fato é que não quero perder a Paz que sinto e que tem refletido em todas as áreas da minha vida, de modo que hoje vivo como nunca vivi.

 

É como aquela música: "Pode cair o mundo, estou em Paz".

 

Caio, como Paulo disse: o que faço (nesse caso, o que às vezes tenho vontade de fazer) não o aprovo,mas, o que quero, isso não faço.

 

Um abraço fraterno de que não te conhece, mas tem a petulância de se julgar teu amigo.

 

Fique na Paz!

_____________________________________________ 

 

Resposta:

 

Cova profunda é a boca das mulheres estranhas; aquele contra quem o SENHOR se irar, cairá nela.

 

Meu mano amado: Graça e Paz!

 

Há uns tempos atrás, sem a consciência do Evangelho da Graça, você já teria ido...; posto que hoje sejam a Paz e o Bem do Evangelho os poderes que contêm você na decisão até aqui assumida de não fazer nada.

 

Sim, sem paz você já estaria rolando na cama dela, e levantando do leito tomado de um excitamento de macho, mas sem nenhuma paz na vida.

 

O meu livro “Sem Barganhas com Deus” é minha melhor recomendação de ajuda para você. Leia no site, em Download.

 

Provação a gente agüenta...

 

Tristeza a gente suporta...

 

Tentação, porém, a gente não brinca com ela... Se possível foge dela... Mas quando não dá para fugir, a gente nem olha...

 

Então alguém diz:

 

Mas se evitar não piora?...

 

Ora, a Sabedoria de Provérbios indaga:

 

“Colocará alguém fogo junto ao seio e não se queimará?”

 

Tentado, Jesus encarou tudo na Palavra e na consciência...

 

Mas quando pôde, saiu para comer e voltou ao fluxo normal da vida...

 

A tentação maior é a dissimulação da confissão da tentação ao outro, como se pela confissão o outro fosse nos ajudar!

 

Assim, vejo todos os dias pessoas que se enganam contando ao objeto do desejo que desejam a pessoa, pedindo perdão e ajuda, e, assim, pela via da “piedade”, realizam a “peidade” de ventar o desejo...; e o que era antes apenas uma troca de olhares, se torna, em geral, uma confissão de desejo; e, também de modo quase unânime, o outro, o desejado, diz que não pode ajudar, pois, sofre do mesmo mal...

 

Então os dois se engatam...

 

E pra desengatar, meu irmão, muitas vezes somente quando a existência joga um balde de água fervente sobre o cio de cão e cadela que acomete a ambos... Entretanto, por vezes, já é tarde demais para impedir a calamidade que daí decorre...  

Provérbios 2

1

¶ Filho meu, se aceitares as minhas palavras, e esconderes contigo os meus mandamentos,

2

Para fazeres o teu ouvido atento à sabedoria; e inclinares o teu coração ao entendimento;

3

Se clamares por conhecimento, e por inteligência alçares a tua voz,

4

Se como a prata a buscares e como a tesouros escondidos a procurares,

5

Então entenderás o temor do SENHOR, e acharás o conhecimento de Deus.

6

Porque o SENHOR dá a sabedoria; da sua boca é que vem o conhecimento e o entendimento.

7

Ele reserva a verdadeira sabedoria para os retos. Escudo é para os que caminham na sinceridade,

8

Para que guardem as veredas do juízo. Ele preservará o caminho dos seus santos.

9

Então entenderás a justiça, o juízo, a eqüidade e todas as boas veredas.

10

¶ Pois quando a sabedoria entrar no teu coração, e o conhecimento for agradável à tua alma,

11

O bom siso te guardará e a inteligência te conservará;

12

Para te afastar do mau caminho, e do homem que fala coisas perversas;

13

Dos que deixam as veredas da retidão, para andarem pelos caminhos escusos;

14

Que se alegram de fazer mal, e folgam com as perversidades dos maus,

15

Cujas veredas são tortuosas e que se desviam nos seus caminhos;

16

Para te afastar da mulher estranha, sim da estranha que lisonjeia com suas palavras;

17

Que deixa o guia da sua mocidade e se esquece da aliança do seu Deus;

18

Porque a sua casa se inclina para a morte, e as suas veredas para os mortos.

19

Todos os que se dirigem a ela não voltarão e não atinarão com as veredas da vida.

20

Para andares pelos caminhos dos bons, e te conservares nas veredas dos justos.

21

Porque os retos habitarão a terra, e os íntegros permanecerão nela.

22

Mas os ímpios serão arrancados da terra, e os aleivosos serão dela exterminados.

Provérbios 5

1

¶ Filho meu, atende à minha sabedoria; à minha inteligência inclina o teu ouvido;

2

Para que guardes os meus conselhos e os teus lábios observem o conhecimento.

3

Porque os lábios da mulher estranha destilam favos de mel, e o seu paladar é mais suave do que o azeite.

4

Mas o seu fim é amargoso como o absinto, agudo como a espada de dois gumes.

5

Os seus pés descem para a morte; os seus passos estão impregnados do inferno.

6

Para que não ponderes os caminhos da vida, as suas andanças são errantes: jamais os conhecerás.

7

Agora, pois, filhos, dai-me ouvidos, e não vos desvieis das palavras da minha boca.

8

Longe dela seja o teu caminho, e não te chegues à porta da sua casa;

9

Para que não dês a outrem a tua honra, e não entregues a cruéis os teus anos de vida;

10

Para que não farte a estranhos o teu esforço, e todo o fruto do teu trabalho vá parar em casa alheia;

11

E no fim venhas a gemer, no consumir-se da tua carne e do teu corpo.

12

E então digas: Como odiei a correção! e o meu coração desprezou a repreensão!

13

E não escutei a voz dos que me ensinavam, nem aos meus mestres inclinei o meu ouvido!

14

No meio da congregação e da assembléia foi que eu me achei em quase todo o mal.

15

¶ Bebe água da tua fonte, e das correntes do teu poço.

16

Derramar-se-iam as tuas fontes por fora, e pelas ruas os ribeiros de águas?

17

Sejam para ti só, e não para os estranhos contigo.

18

Seja bendito o teu manancial, e alegra-te com a mulher da tua mocidade.

19

Como cerva amorosa, e gazela graciosa, os seus seios te saciem todo o tempo; e pelo seu amor sejas atraído perpetuamente.

20

E porque, filho meu, te deixarias atrair por outra mulher, e te abraçarias ao peito de uma estranha?

21

Eis que os caminhos do homem estão perante os olhos do SENHOR, e ele pesa todas as suas veredas.

22

Quanto ao ímpio, as suas iniqüidades o prenderão, e com as cordas do seu pecado será detido.

23

Ele morrerá, porque desavisadamente andou, e pelo excesso da sua loucura se perderá.

20

¶ Filho meu, guarda o mandamento de teu pai, e não deixes a lei da tua mãe;

21

Ata-os perpetuamente ao teu coração, e pendura-os ao teu pescoço.

22

Quando caminhares, te guiará; quando te deitares, te guardará; quando acordares, falará contigo.

23

Porque o mandamento é lâmpada, e a lei é luz; e as repreensões da correção são o caminho da vida,

24

Para te guardarem da mulher vil, e das lisonjas da estranha.

25

Não cobices no teu coração a sua formosura, nem te prendas aos seus olhos.

26

Porque por causa duma prostituta se chega a pedir um bocado de pão; e a adúltera anda à caça da alma preciosa.

27

Porventura tomará alguém fogo no seu seio, sem que suas vestes se queimem?

28

Ou andará alguém sobre brasas, sem que se queimem os seus pés?

29

Assim ficará o que entrar à mulher do seu próximo; não será inocente todo aquele que a tocar.

30

Não se injuria o ladrão, quando furta para saciar-se, tendo fome;

31

E se for achado pagará o tanto sete vezes; terá de dar todos os bens da sua casa.

32

Assim, o que adultera com uma mulher é falto de entendimento; aquele que faz isso destrói a sua alma.

33

Achará castigo e vilipêndio, e o seu opróbrio nunca se apagará.

34

Porque os ciúmes enfurecerão o marido; de maneira nenhuma perdoará no dia da vingança.

35

Não aceitará nenhum resgate, nem se conformará por mais que aumentes os presentes.

Provérbios 7

1

¶ Filho meu, guarda as minhas palavras, e esconde dentro de ti os meus mandamentos.

2

Guarda os meus mandamentos e vive; e a minha lei, como a menina dos teus olhos.

3

Ata-os aos teus dedos, escreve-os na tábua do teu coração.

4

Dize à sabedoria: Tu és minha irmã; e à prudência chama de tua parenta,

5

Para que elas te guardem da mulher alheia, da estranha que lisonjeia com as suas palavras.

6

¶ Porque da janela da minha casa, olhando eu por minhas frestas,

7

Vi entre os simples, descobri entre os moços, um moço falto de juízo,

8

A formatação do texto está ruim? Clique aqui para que o sistema tente ajustá-la.