Português | English

Cartas

ESTOU ENTRANDO EM DESESPERO PARA SABER QUAL É O MEU DOM

ESTOU ENTRANDO EM DESESPERO PARA SABER QUAL É O MEU DOM

-----Original Message----- From: ESTOU ENTRANDO EM DESESPERO PARA SABER QUAL É O MEU DOM Sent: terça-feira, 14 de outubro de 2003 10:53 To: contato@caiofabio.com Subject: PASTOR, QUAL É O MEU DOM? Mensagem: Pastor Caio, Como é bom vê-lo na ativa. Você fez muita falta. Suas idéias, suas pregações, seus livros tanto me ensinaram e edificaram! Gostaria de desabafar um pouco e perguntar o que devo fazer: Nasci numa família evangélica tradicional. Desde criança participei dessa igreja. Mas o tempo passou, e tantas denominações existem hoje, que eu me pergunto qual seria a melhor a seguir. Tenho 31 anos e apesar de tanto tempo na igreja ainda hoje não sei exatamente qual é o meu dom. Como posso servir ao Senhor da melhor maneira? Tenho buscado o Espírito Santo de Deus como pregam os pentecostais. Gostaria de ir atrás de profecias para saber qual a vontade de Deus para mim. Mas por ser de uma igreja tradicional, não sei bem ao certo se esse é o caminho, e não tive coragem ainda. Oro sempre, leio a Bíblia, mas porque não consigo ouvir claramente a voz de Deus, como os pentecostais? Porque Deus não me revela qual é o meu dom? Às vezes acho que Ele esqueceu de dar um dom a mim..(rs). Quando tenho algo para resolver, oro a Deus, pedindo para que Ele fale comigo em sonho, dizendo o que devo fazer sobre alguma questão, mas Ele nunca falou comigo em sonho... Sinto sede de e fome de Deus, não sei como posso fazer para senti-lo bem perto. Se converso isso com alguém do meu meio tradicional, eles dizem que o Espírito Santo já está comigo, e que esses pentecostais mentem quando falam com toda certeza que ouviram a voz de Deus, ou que Deus falou isso ou aquilo. Será que realmente é mentira??? Eu sei que há muitas mentiras realmente neste meio, e como saber se ao ouvir uma profecia, por exemplo, ela realmente vem de Deus?? Estou confusa. Mas o que sei é que gostaria muito de ser assim cheia de Deus, com dons e talentos para trabalhar para ele. Não sei se consegui passar o que está aqui dentro de mim. Estou cansada do tradicionalismo que vivi até hoje. E não falo isso da minha igreja não, falo de mim, pois "eu" sou tradicional, mas estou cansada. Este tradicionalismo, não tem preenchido mais a minha vida. Queria ter uma vida mais próxima de Deus. Espero sua resposta! Um forte abraço, ****************************** Amiga querida: Paz e Bem! Toda “igreja” é tradicional. Até as recém criadas já tem seu próprio script. Antigamente as “igrejas” eram “tradicionais” ou “liberais”, ou “pentecostais”. Hoje, muitas viraram “franquias”. Desse modo, mesmo que tenham sido abertas ontem, já nascem tradicionais pelo modus operandi da franquia à qual se “submataram”; isso é mais que submeteram! Os nomes mudaram, mas o espírito é o mesmo. Sobre se as “profecias” são verdadeiras eu diria o seguinte: 1. O dom de profecia existe, e é manifesto como palavra de exortação, edificação e consolação, conforme I Co 14. 2. Existem também palavras proféticas, no sentido da revelação dos segredos dos corações dos homens e também como anuncio de certas manifestações de um futuro. Mas, honestamente, depois de ter sido criado no meio evangélico e de ter sido pastor trinta anos—circulando de uma ponta a outra do espectro da “igreja”—, eu digo a você que para cada 100 profecias que ouço, 4 ou 5 são passíveis de serem levadas à sério como profecia. Portanto, há um industria da profecia, assim como há uma industria da necromancia e da adivinhação. Quanto ao seu “dom” quero dizer o seguinte: 1. Ao invés de ficar querendo saber qual é o seu dom, por que é que você não se dedica a fazer o aquilo que você gosta? E que você faz bem? 2. Provavelmente você esteja tendo esse conflito apenas porque gostaria de ter o “dom” dos outros. E, então, fica frustrada por não carregar em si mesma o dom que você vê em outros, e admira. 3. Um dos grandes problemas no meio pentecostal é a inveja dos dons espirituais. Desse modo, fica um monte de gente querendo ser olho quando foi feito para ser pé. 4. Eu nunca quis saber qual era o meu dom. Quando me converti comecei a dar testemunho de Cristo. Foi só isto que fiz. Além disso, em silencio, orava incessantemente pedindo a Deus que me desse sabedoria, conhecimento e discernimento. Quanto ao mais, eu apenas fazia a minha parte, livremente e sem me comparar a ninguém. Assim, tanto pregava na esquina, na rua, na escola e nos papos, como também lia—lia muito, tanto a Palavra como bons livros. 5. O mais aconteceu sem grandes expectativas. Ou seja, minha amada: Let it be! Pare de neurose carismática e sirva a Deus com carinho. O mais vai se arrumar dentro de você. Ao invés de ficar querendo saber qual é o seu dom, saiba: você é o dom! E por último, quero apenas dizer que seu problema, de fato, é outro. Você está é cansada de ser evangélica, religiosa, e fria em seu coração. O que você precisa não é saber qual é o seu dom, mas conhecer o “dom inefável”, Cristo; e mergulhar no amor de Deus, que excede a todo entendimento, a fim de que você seja tomada por toda a plenitude de Deus. Portanto, o problema não está fora de você, mas dentro. E a questão dos dons é apenas o pretexto inconsciente que você elegeu a fim de não lidar com algo mais profundo. Chegou a hora de você experimentar a Graça de Deus, e não mais a religião. Você precisa é abrir a Palavra e começar a lê-la com carinho, pedindo ao Espírito que lhe dê revelação. Enquanto isto, pare de orar pedindo dons. Ore buscando sentar no colo de seu Pai, e desejosa de banhar-se nos rios da Vida em Cristo. Quando você começar a viver assim, nessa Graça, você descobrirá o tamanho e a importância dos dons; e saberá que eles são importantes, e que cada pessoa em Cristo não só tem um dom; mas, sobretudo, você saberá que cada um de nós é um dom de Deus ao mundo. Dom é Graça! Quando você descobrir que Graça é de graça, descobrirá também que o dom já está em você. Um beijão, Caio