Português | English

Cartas

ESTE É O ENIGMA DA GRAÇA

ESTE É O ENIGMA DA GRAÇA

Amado Pastor, Desde segunda pela manhã, ao entrar no site como de costume, que eu e minha esposa choramos uma dor estranha. A dor de saber que alguém que amamos tanto está passando por mais um “grande vale”. Sei que Deus é a tua Graça e consolador. Neste momento não temos palavras ... só intercedemos .... Ontem a noite “abracei” o Enigma da Graça e chorei mais uma vez ... Quando li este livro pela primeira vez, louvei a Deus pela sua vida e por tudo que Deus estava me ensinando e falando comigo. Abaixo reescrevi alguns trechos que estão marcados em meu livro. Foram palavras suas que confortaram muito minha alma ..... Te amamos. Nonato e Maristela ____________________________________________________________ “Agora, Jó pode servir a Deus por nada. Ele atingira a percepção de que a única recompensa da vida é o conhecimento de Deus, não de ouvir falar, mas mediante a experiência de Deus, não como discernimento teológico ou filosófico, mas como encontro com Aquele que fala, e trata o perplexo que se sente injustiçado com a esmagadora manifestação de Sua Presença, que assusta e, ao mesmo tempo, acolhe em paz o perplexo, oprimido pela sua própria dor e pelas dores opressoras causadas pelos amigos! Nesse ponto, pouco é necessário, ou mesmo, uma só coisa! E feliz é aquele que escolhe essa “uma só coisa” que muda a vida e dá significado a ela, pois, sem significado, nada mais significa, e a insistência numa existência sem significado enlouquece a alma! E pior que isto: após uma tragédia, quem não tem esse “horizonte-vertical” em Deus, pode acabar com a própria vida; seja pelo auto-envenenamento de amargura; seja pela incapacidade de sorrir depois que se viu a vaidade de tudo; ou seja ainda porque, mesmo sem saber, responde à vida com o mau humor de ser quem o fizeram pensar que ele seria! Jó, todavia, tratou a si mesmo e seu coração de uma outra forma. A amargura não se tornou senhora de seu ser. O encontro com trágico o libertou das seguranças falsas e da mediocridade das bênçãos que se entendem como afirmação de Deus à bondade daquele que a pratica. Somente depois disso, o possuir se torna uma experiência de des-possuir, e põe o homem na posição de viver desimpressionadamente apenas e tão somente pela fé. Afinal, Jó conheceu Aquele que, em estando presente, mesmo na perplexidade, deixa no coração uma paz-certeza que explica tudo! E isto não é estoicismo, mas a convicção de que o que é, é!!” (O Enigma da Graça, pág 285) ____________________________________________________________ “Entre os humanos – mesmo após a história de Jó haver sido contada – quase nunca se pensa que os males de um homem podem ser proporcionais à sua luz e não às suas trevas; que suas dores podem ter equivalência com a doçura de seu coração e não com suas amarguras; e que sua tragédia possa ser apenas uma temporária vingança do mal contra suas excessivas bondades!” (O Enigma da Graça, pág 64) ____________________________________________________________ “E a experiência da Graça só é completamente vivida como tal no dia da des-Graça.” (O Enigma da Graça, pág 64) ____________________________________________________________ Resposta: Meus amados, nossos corações sabem, a cada dia mais e melhor, sobre essa doce consolação que vem da Graça, cujo “enigma”, de fato, é a fé. Um beijo, Caio