Português | English

Cartas

ESTAMOS FALINDO NOS NEGÓCIOS

ESTAMOS FALINDO NOS NEGÓCIOS

-----Original Message----- From: ESTAMOS FALINDO NOS NEGÓCIOS Sent: sexta-feira, 23 de julho de 2004 10:06 To: Pr. Caio Fabio Subject: NOS AJUDE, POR FAVOR. AGUARDAMOS SUA RESPOSTA. Meu querido pastor Caio, Obrigada pela sua ajuda. Deus seja louvado pela sua vida, que tem sido benção sem medida para nós, que nos refrescamos com seus escritos nesse site que, com toda certeza, digo: é instrumento usado por Deus para salvação de muitos. Pastor, estamos vivendo numa fase difícil: eu e meu esposo. Desesperança, angústia, tristeza. Tantas coisas. Estamos passando por uma dificuldade financeira muito complicada. Já estivemos em outras, mas essa tem nos castigado mais. Literalmente falando. Foram investidas nos negócios que deram errado, dinheiro perdido. No começo, ainda preocupados, orávamos, entregávamos tudo nas mãos de Deus. Mas nada acontecia. Mas, sempre tínhamos a esperança de que algo novo Deus iria fazer. Na igreja, orações sem cessar a nosso favor. Mas o tempo foi passando e nada aconteceu. Hoje, tivemos que vender nosso carro, estamos com dívidas em alguns bancos, nossas contas estão atrasadas, nossa empresa está afundando. Estamos tendo que procurar outra casa para morar, pois, não estamos conseguindo pagar o aluguel. Não que nós deixamos de orar, continuamos. Mas estamos desesperançados. O Sr. consegue imaginar nossa aflição? Nos questionamos, porque Deus não se manifesta para nos ajudar. É uma angústia sentir esse silêncio de Deus. Não queremos, de maneira nenhuma, pecar contra Ele. Nós o amamos. Mas é uma tristeza profunda que nos assola. Pastor, por favor, nos dê uma palavra. Deus o abençoe, Beijos, Lu _________________________________ Resposta: Amada amiga: Paz e Confiança! Conheço as agonias de uma falência gigantesca. E sei como fica o coração. Já vi um pequeno "império" de coisas boas ruir, bem adiante de minhas próprias impotências. E mais: fiz de tudo para reverter o quadro—só Deus sabe como tentei—, até que vi que a mão de Deus estava em tudo aquilo. Era um outono necessário...velhas folhas tinham que cair...mas sempre há novas estações no aguardando. Mas não fácil! Tive que despedir quase quinhentas pessoas, fora os contratados para serviços prestados. Uma multidão. Isso sem falar em ter que fechar portas que até então tinham sido benção para uma nação inteira. Mas Deus me fez andar por todo aquele caminho...andando e chorando... E o pior: tudo ali era fundamental não para mim, mas para as vidas das milhares e até milhões de pessoas que eram atingidas pelo que fazíamos como ministério para elas. Então, o coração se desespera, pois não consegue mais imaginar como é a vida sem aquela vidinha que a gente construiu. É aí, mais um vez, que o justo tem que viver pela fé...mesmo que não tenha nada diante de seus olhos que lhe sinalize esperança da parte dos homens. Nessa hora aparecem os abutres. Cuidado com eles. Sim, eles vivem à espreita de alguém que esteja em estado falimentar e aparecem com falsas promessas, isto para tentar arrancar da pessoa mais dinheiro, sob o pretexto que conseguirão trazer capital. Tudo engano. Tudo mentira. Tudo esquema. Fuja deles! O que vocês têm de fazer agora é o seguinte: 1. Orem a Deus entregando tudo nas mãos Dele. Somente Ele sabe o que é bom para as nossas vidas. Hoje, por exemplo, sou grato a Deus por ter me livrado de tudo aquilo que eu tentei proteger como pude, e por cujas tentativas paguei altos preços pessoais. Até que entreguei, cri, e deixei ficar nas mãos Dele. 2. Cuidem do que vocês ainda têm, do negócio em si. Mas comecem a olhar outras coisas...pequenas soluções...pequenas possibilidades de sobrevivência. Não fique paralisada esperando o mundo acabar. Comece outra coisa...simples...provisória...apenas para garantir o pão e a moradia. E agradeça no processo. 3. Não se angustie com as "perdas". Compute as perdas como ganho para alcançar algo melhor. Nesta vida, a maioria das vezes, o melhor só nos alcança quando o que tínhamos nos é retirado. 4. Aquiete seu coração em confiança, e creia que Ele não vai deixar vocês sozinhos nesta parada. No entanto, requer-se confiança. Comece a praticar a confiança como gratidão que você verá como vai fazer bem ao coração. 5. O que de pior acontece a uma pessoa em falência nos negócios é a culpa de pensar nos erros que cometeu. Ora, erros todos cometem. Uns falem, outros não. Mas culpar a si mesmo, não ajuda; pois apenas drena a energia para o trabalho, sem falar que gera uma terrível insegurança. Reúna suas energias para produzir, não para lamentar. Nessa hora a drenagem de energia que é esgotada no ralo do desespero é tão grande, que se fosse reunida, daria para se criar muitas outras coisas. 6. Leia Eclesiástes 11, e veja como se deve semear em todas as direções. Estarei orando por vocês! Me mantenha informado! Nele, em Quem temos a certeza do pão de cada dia no dia de hoje, Caio