Português | English

Cartas

ESTA ECLÉSIA VIRTUAL!

ESTA ECLÉSIA VIRTUAL!

-----Original Message----- From: ESTA ECLÉSIA VIRTUAL! Sent: quinta-feira, 30 de outubro de 2003 18:34 To: contato@caiofabio.com Subject: Mantenedor para o Site Boa Tarde Caio, Já me apresentei a você a mais ou menos um mês atrás. Alguns irmãos que gostam muito de sua literatura me apresentaram a você; foi com eles que aprendi a gostar do jeito que você baila com as palavras. Recentemente mudei para outra cidade a fim de trabalhar numa grande multinacional como Analista de Sistemas na Setor de WEB da empresa (Desenvolvimento de Site, Internet, Intranet e Aplicativos em Browsers). Tenho 26 anos, e até os meus 18 anos (acho) congreguei nas Assembléias de Deus. Depois de alguns anos voltei a congregar em uma comunidade cristã (igrejas em células); falaram que eu tinha chamado pastoral (eu cresci ouvindo isto das pessoas, mas no intimo nunca tive certeza). Não tenho estas neuras...tem jovens que não podem ouvir isto que já atropelam tudo e todos por um lugar no púlpito; pra mim pastorado vai mais além, e é coisa séria. Estas coisas e tantas outras que vi, vivi e ouvi, me afastaram do meio evangélico; embora encontre com todos quando vou a minha cidade; sou muito conhecido por lá, devido a meu passado na igreja. Eu comecei a pregar nos púlpitos com +- 9 a 10 anos; comecei tocar saxofone na banda de música com 13; já dá pra imaginar o que eu passei na bléia durante minha adolescência. Eu sempre gostei da forma como a graça abraça e amplia simplificando as coisas... Quando conheci suas literaturas vi que estava certo, mas quase ninguém me entendia. Era visto como rebelde. Aos 18 anos de idade, estava deixando tudo pra ir pro seminário. Tava deixando família, estudo, minha vida; e a "Igreja nem aí"... Me deram a passagem. Pra juntar uma grana eu vendi meu computador e tinha garantia, por boca, que a igreja pagaria a mensalidade, nada mais. Na hora de comprar as passagens, pensei em tudo que eu estava vendo, os obreiros da minha igreja nem sequer me deram uma “palavra”, quem dirá acompanhamento espiritual. Fiquei pensando. Afinal estava deixando minha vida pra traz... Resultado: desisti. Depois disto nunca mais voltei a igreja. Parei de dizimar e ofertar; em compensação também, nunca mais tive prosperidade. Agora, anos depois, achei seu site e estou congregando nele; antes de encontrá-lo resolvi dizimar na igreja que minha mãe reúne. Mas como tenho sido agraciado por esta "Eclésia Virtual", pode contar com o meu apoio. Como diz você: Nele, Abraços ****************************** Resposta: Meu amado amigo e irmão: Paz, muita Paz! Obrigado pela sua carta e pela sua disposição de nos ajudar a manter este site, e também outros trabalhos de divulgação da Palavra que desejamos realizar. Gostei muito de seu jeitão. Gostaria de dizer a você apenas uma coisa. Você não está “prosperando” apenas porque você tem andado culpado, por mais que você diga que não tem essa “neura”. Tem um pouco sim. A maioria tem. A relação de causa e efeito entre não estar prosperando e voltar a dar o dízimo, inclusive num lugar onde você, mesmo que pudesse, não freqüentaria, revela essa “neura”. De fato, o que está havendo é que você ainda guarda uma fobiazinha acerca da questão. Quando sua confiança na Graça de Deus em Cristo crescer ainda mais, você não pensará mais assim; pois entenderá que não há nenhuma barganha a fazer. Mesmo aqui neste site, contribua com alegria e gratidão apenas porque, por meio dele, Deus tem abençoado você. Vamos nos congregar juntos, e vamos crescer juntos. Obrigado pelo carinho e pela sua disposição de ajudar. Que o Senhor dê toda paz e toda alegria a você. Que Deus prospere sua alma e seu entendimento. Que a bondade de Deus se derrame sobre você. Nele, Caio