Português | English

Cartas

ENTRE A VERDADE E O ENGANO

ENTRE A VERDADE E O ENGANO



 


----- Original Message -----
From: ENTRE A VERDADE E O ENGANO
To: contato@caiofabio.com
Sent: Sunday, May 28, 2006 3:18 AM
Subject: um apelo... não foi à toa que te encontrei... me ajude!


Oi Rev. Caio Fabio!

 

Sou filha única de sangue, mas meu pai adotou uma crianca, minha irmã, quando eu nem nascida era; pois minha mãe não conseguia engravidar; e depois que adotou minha irmã, eu nasci.

Eu amo minha irmã apesar de ela estar fugida...; pois fazia faculdade de direito e descobrimos que ela não pagava a faculdade há um ano, e usava o dinheiro pra outras coisas. Agora tá com um filho e abandonada. Meus pais não a perdoaram...  Mas... enfim... que Deus a guarde!
 
Minha convivência com minha irmã sempre foi meio ruim, pois havia uma disputa entre nós... Eu nunca aceitei o fato de meu pai ter adotado alguém. Eu era egoísta... me arrependo pelo mal que, às vezes, tenho feito a ela; e talvez em parte eu tenha culpa no que aconteceu com ela, pois eu já a humilhei muito...

Mas Deus conhece meu coraçao e sabe que não tenho mágoa de ninguem... nem de minha irmã, a quem eu amo.

Nascí católica. Quando eu adolescente meu pai se elegeu para um importante cargo político em nossa cidade, e o senhor sabe como é a politica. Meu pai sempre foi muito honesto e batalhador... e foi se meter nisso. Largou a advocacia para ser político, e na minha cidade estavam ameaçando os filhos de um político que era ligado a ele; então uma amiga minha estava indo estudar em  outra cidade e eu pedi ao meu pai que deixasse eu ir também. Ele ficou meio assim... pois eu era uma menina... mas deixou eu viver e aprender; pois meu pai nunca me proibiu de nada; mas em tudo eu quebrei a cara!

Foi assim que ele me educou... Para mim foi a melhor coisa, mas foi dolorido. Pois bem, fui morar nessa cidade, num pensionato-nobre: roupa passada, quarto arrumado, refeições diárias e 30 meninas morando juntas... Eu estava adorando tudo aquilo. Fiquei lá uns 3 anos... Eu sempre fui muito precoce... Fui morar sozinha aos 13 anos e convivi com pessoas mais velhas, de 18 a 25 anos, que tinham acabado de entrar na faculdade, e eu na oitava serie. Lá aprendi muito!

Depois fui morar sozinha num flat. Eu e minha cachorra; e estudava no melhor colegio da cidade, mas estava indo mal...; pois só pensava em shopping e balada; e faltava aula... Então resolvi falar pro meu pai que iria mudar de colegio... e ele deixou na boa. Fui para um mais fácil, e lá conheci uma galerinha sanguessuga... Até então achava que eram meus amigos, mas só iam na minha casa pra comer, ou fugir dos pais; pois eu morava sozinha; e pegar minhas roupas emprestadas; ... e nisso comecei a namorar um menino da turma...

Namorei com ele só porque ele “se achava demais”..., e eu queria “baixar a bola dele”; e nisso comecei a arrumar o irmão dele para uma amiga; e nisso tava quase dando certo... Minha amiga com o irmao de meu namorado...; mas eu, por inveja, pensei: “Eu não eu vou ficar com o irmão dele; não vou deixar ele pra minha amiga...; eu também posso”; e disse a ela que estava gostando dele... que ela não poderia ficar com ele...; e ao mesmo tempo terminei o namoro com o irmão dele... e corri pra ligar pra ele, dizendo que tinha rompido com o irmão dele porque estava gostando dele... Ele disse “não posso, pois é meu irmão”...; e eu disse: “Não estou te cobrando nada... só você”.

E colequei em minha cabeca que ele era o homem de minha vida. E oque é “proibido é mais gostoso”...;  e fiquei no pé dele... correndo atrás... mostrando minhas qualidades e tal... Até que ficamos!...; e os pais dele não gostaram, pois eu antes namorava o irmão dele; e o pai dele é separado da mãe dele; e o irmão é filho da madrasta dele... Ou seja: o filho bastardo roubou a namoradinha do filho querido da mamãe.

E a partir daí o inferno comecou... Eu dava tudo a ele... começamos a namorar... comprava roupas de marca pra ele... e ligava 24 hrs; e ele correspondendo ao meu amor... Fazia almoco para ele e tudo; tínhamos um bom relacionamento... Isso foi em outubro. Em novembro me entreguei a ele. Antes era virgem...; e namoramos normal. Em fevereiro meu pai descobriu que eu tinha sido reprovada e disse para eu voltar para casa. E eu não queria, pois tinha minha liberdade, conta conjunta, estava no auje de meu amor, morava sozinha...; e não quis voltar. Mas meu pai é irredutível... Disse: “Vai voltar esta semana... Tô te buscando...”; e eu, desesperada, não tinha saída...

Depois de uma briga com meu namorado resolvemos casar; e no mesmo dia pegamos um ônibus rumo a minha cidade, para ele pedir minha mão em casamento...

Meu pai nem sabia que eu namorava ele... nem ele tinha avisado os pais dele que iria viajar...; e fomos lá. Ele conversou com meu pai. A principio meu pai o tratou mal...; e depois cedeu; e concordou com o casamento; pois tinha um motivo maior: iríamos casar para morarmos no Oriente.

Resumindo: casamos! Os pais dele não foram ao casório; foram só os meus... Moramos um ano em minha cidade e depois viemos pro cá... Já estamos aqui há 1 ano.


Aqui nos separamos... fomos morar separados...; mas depois me arrependi, pois morava com 2 porcas...; e pedi para voltar... Mas pensando mais em mim... E ele voltou..., pois prescisa do visto para estar aqui, e adora viver aqui.

Só sei que a gente vive em pé de guerra... não temos relação sexual há quase 6 meses...; e não tenho mais atração por ele; e ele também não “me busca”... Não tá nem ai... Acho que só quer o “Visto” mesmo... Dormimos em quartos separados; mas brigamos como se estivessemos bem....

Aqui estávamos indo numa igreja... ; mas não sei... parece que estou pior depois que fui nessa igreja... Me sinto louca... sabe? Tenho medo de Deus, de Ele me castigar... Eles me deixaram morrendo de medo de Deus... Falam que eu tenho que me libertar... Tenho medo Dele me castigar... e tudo!

Fico me perguntando se é pecado, Caio, me divorciar; é pecado?

Olha o jeito que eu vivo.... Não saio de casa... só penso em dormir e tomar remedio tarja preta pra emagrecer... Não tenho desejo sexual...; pois penso que Deus não vai gostar de me ver fazendo isso ... Em tudo morro de medo de Deus me castigar, mas tenho fé e esperança; pois diante de tudo que eu passei ainda sou forte... não fico murmurando.

Só tive que falar isso pro senhor saber porque tento esquecer dos problemas... Eu tenho muita fé em Deus; eu oro muito; e peço a Deus que me dê discernimento....

Mas se eu falar pro pessoal da igreja que te conheci atraves do seu site... sabe como vai ser; né? Tenho orgulho de você sem nem ao menos conhecer você. Quero um dia te ver ao vivo e lhe agredecer; pois quero dizer que eu estou sobrevivendo aqui no Oriente muito gracas aos seus textos; e a tudo o que sabe e prega ...

Me diz o que você descobriu... Qual é a verdade sobre mim... para eu me libertar!

Se eu contar de você na igreja eles vão falar que você é o demônio... e que tem o caminho mais largo... e que eu quero o caminho curto; e que eu quero ir seguindo você e acreditando em você...

Não me sinto bem indo na igreja... Eles só falam de pecado e demônio... Nem sabia que demonio existia... Só sei que Deus é maior e minha fé também!...

Quero sua ajuda. Tenho fé que Deus me enviou você; pois tô do outro lado do mundo... e sozinha... em parte só eu e Deus e suas palavras no site, que muito me ajudam.

Espero que você entenda!

Meu marido só sabe me humilhar e falar que sou uma pecadora... Não gosta de mim... Mas não estou murmurando... só tô te contando. Sei que tudo vai dar certo. Tenho fé em Cristo Jesus; e sei que você me ajudará!
 
Pazzzzzzzz! Graça. Fica com Deus e que Ele te abençoe grandemente!
__________________________________________

Resposta:


Minha querida menina perdida: Graça e Paz!


Disse “menina” e “perdida”, pois, sem que com isto tais palavras carreguem significados “religiosos” — é isto mesmo que está acontecendo a você.

Fico feliz do site estar ajudando você aí, mas me aflijo por ver que você ainda entendeu muito pouco acerca da mensagem que prego e que o site contém.

Vamos começar do fim. Sim, porque o Caminho que ensino não é curto; ele é apenas o único Caminho, que é Jesus. Portanto, que a “igreja” me julgue um “demônio”... que seja..; pois se chamaram a Jesus de Belzebu, como não chamariam a mim? Entretanto, senti que você mesma ainda pensa que eu ensino um Caminho mais fácil. Não! Eu não conheço nenhum caminho curto ou mais fácil. Sim, porque a Porta é Estreita e o Caminho da Vida não é um “achado popular”; afinal, Jesus disse que “são poucos os que acertam com ele”.

Continuando do fim para o começo, também quero lhe dizer que sua fé em Jesus é ainda apenas uma crença religiosa; porém sem consequências boas e práticas para a sua vida. Aliás, é essa “crença” que a “igreja” chama de “fé”, o que tem acabado com a alma de muita gente. Entretanto, tal coisa não é fé, posto que fé não é apenas uma esperança desfocada em sem conteúdo; sendo, muito mais que isto uma certeza fundada na consciência do amor de Deus por nós; confiança essa que só nos alcança quando a gente passa a conhecer o Evangelho, que é Jesus (Leia a qui no site o texto “O Evangelho é o Nome” e você entenderá o que estou dizendo).

Assim, antes de tudo, desejo estimular você a crer que você apenas conheceu o “Jesus da Igreja”, o qual é assim como você o vê: ameaçador, vingativo e pior do que o diabo. Jesus, entretanto, conforme o Evangelho, não é essa “construção-ídolo-perverso” que a “igreja” fez. E é Jesus mesmo que você precisa conhecer. E isto é urgente. Portanto, peça a Deus para abrir a sua mente, e passe a ler os evangelhos, e concentre-se no que há aqui no site; pois, se você ler a Palavra e aprender o discernimento dela que está explicitado como ajuda aqui no site, eu sei que você não terminará este ano como o começou. Você, porém, tem que iniciar este processo o quanto antes.

Sobre a tal “igreja” que tem o diabo como ator principal na vida dos crentes, saiba: ela não é um bom lugar para estar; pois, nesse caso, a libertação que ela propõe é apenas uma outra forma de escravidão. Escravidão à “igreja” e ao “Jesus apavorante”.

Entretanto, é bom dizer que seu diabo é você mesma. Sim, seu tormento é você e mais ninguém. Saber disso já a ajudará em muito.

Agora vamos ao princípio de sua carta.

Ora, você disse que “era” egoísta, e que nunca aceitou sua irmã adotiva, e que em parte ela saiu de casa por sua pressão e opressão. Mais além disso você, com todo egoísmo, diz que não “guarda mágoa dela”, como se ela é que tivesse oprimido e humilhado você. Ou seja: seu egoísmo continua tão intenso que você se faz vítima até de quem você magôa e oprime. Isto sim é egoísmo e cegueira total.

Não sei se você percebeu que você, na sua tentativa de sempre se agradar, conforme a educação “mimada” que você recebeu em casa, acabou por se tornar a principal vítima de você mesma. Sim, porque você “tornou” sua irmã uma “bastarda”, acabou por fazê-la não suportar mais estar em casa..., até fugir. Em lugar disso, você agora era dona de tudo (a única “filha de sangue”); e decidiu ir morar sozinha (afinal, os problemas políticos de seu pai lhe foram muito “bons”, visto que você mesma disse que gostou de ter tanta liberdade já na pré-adolescência).

Na experiência de morar na república e depois no flat você acabou por fazer pior do que sua irmã. E mais: terminou manifestando tanto seu “mimo-egoísta”, que escolheu um namorado como quem compra gado; e, depois, trocou-o por um “meio-irmão” do bicho (e isto depois de ter “arranjado” uma namorada, amiga sua, para ele...— o Gado 2). E conclui que a mãe do Gado 1 ficou zangada porque você o trocou pelo Gado 2, que não era “puro sangue”. Assim você também conclui dizendo que a mãe do Gado 1 ficou zangada por ter visto o “bastardo” ficar com você.

E mais: tudo isto aconteceu apenas porque você, como se sentia dona da vida, e poderosa, num surto de menina mimada, resolveu que porque você “podia”, deveria tê-lo. Assim, por tal declaração, você me disse que você sempre fez não só o que pôde e pode, mas sempre faz o que quer.

Ora, sem saber, você, pela maldade do egoísmo, acabou por salvar sua amiga do marido que hoje é “seu”; sem que ele nunca tenha sido de fato seu marido. Afinal, você sabe que nunca o amou, e que apenas o usou; e a raiva ou descaso que “seu marido” sente hoje, é em razão dele ter “conhecido” você e a ter desprezado. Sim, porque ele hoje “usa” você para ter o “Visto” apenas porque você o usou e o usa; como na realidade fez com tudo e todos desde o início. Ora, até mesmo a razão que você apresentou como “arrependimento” em relação à volta para ele, após a sua separação aí no Oriente, já se mostrou desde de o início como algo extremamente egoísta outra vez: “Eu vivia com duas porcas...” Não tinha anda a ver com ele e seu casamento, mas com as “porcas”.

Sua “criação”, a qual você diz que foi boa para você, de fato foi uma desgraça. Desgraça inicialmente pelo fato de seus pais, orientais, terem dado mais valor à genética do que ao amor. Desse modo, a sua irmã adotiva foi usada por eles também; pois, uma vez que você nasceu, e começou a ficar descontente com a presença de sua irmã, eles mesmos dês-adotaram a menina; a tal ponto que ela fez o que qualquer moça abandonada faria.

O caso dela é mais que natural; o seu, porém, é uma aberração desafetiva. Prova de tudo o que estou dizendo é que você aprontou mais que sua irmã, e foi perdoada e mimama por seus pais; ela, porém, não foi perdoada; e não o foi porque seus pais, por sua causa, preferem tê-la longe; a tê-la por perto criando “stresse” para a filhinha genética.

O problema é que aquilo que se semeia se colhe. E ninguém foge disso. Se alguém semeia egoísmo, colherá esgoísmo; se alguém usa o outro, por outros será usado; se alguém fere com ferro, com o ferro será ferido; se alguém semeia descartabilidade, descartável será; e se alguém faz o quer e o que pode, sempre que pode, haverá também de ser objeto de toda sorte de usos... como acontece com você agora.

Assim, tentando viver para agradar a si mesma, você acabou por, em seu grande egoísmo, salvando aqueles a quem você prejudicou!

Graças a Deus sua “irmã-não-adotada” não ficou perto de vocês; e com filho ou não, sendo mãe solteira ou não, está melhor longe desse egoísmo familiar, do que se tivesse ficado e se alimentando das doenças de sua casa. O mesmo se pode dizer de “sua amiga”, de quem você “roubou” o namorado... jogando um charme de mulher sem carater sobre ele... e isto apenas porque “você podia”. Isto sem falar que o irmão de “seu marido” é outro felizardo; pois, tendo sido escolhido para namorado pelas razões mais vís, teve a benção de ser trocado; e, hoje, deve dar Graças a Deus por não ter ficado ao seu lado.

Quanto ao “seu marido”, já que tudo começou na base do “uso”, não há razão para que ele, em tendo discernido sua alma e suas razões, não se comporte como se comporta. Assim, ele se sente usado desde o início; e, em minha opinião, creio que você, por uma questão de dignidade, deve a ele esse “Visto”. É o mínimo de “remuneração” que você deve dar a ele por tudo antes; e, agora, por salvar você das duas “porcas”.

Por falar em “porcas”, saiba: o porco não é aquele que deixa a casa suja e mal arrumada, mas sim aquele que faz da vida do próximo um chiqueiro. Desse modo, não fique zangada comigo, mas quem fez o trabalho de “porco” esse tempo todo foi você.

E você me pergunta se é pecado se divorciar?

Ora, pecado é viver como você tem vivido, usando as pessoas, e, até mesmo nesta carta, tentando me usar; posto que primeiro você fala mal da “igreja”, diz que eles me chamam de “demônio” (e sei que chamam mesmo!) — para então me sugerir que eles acham que eu ensino a Porta Larga e o Caminho Curto; que é o que você egoisticamente deseja. Ora, mesmo que inconscientemente você estava me dando as “dicas” de graxa que você precisa; e não buscando, de fato, a Palavra da Graça que sua alma necessita para deixar a graxa e aprender o que é vida.

O que tenho a dizer a você?

1. Que seu diabo é você mesma. Embora essa “igreja” só fale em diiabo, tal repercursão é assim tão grande em você apenas porque você tem sido uma diaba em tudo o que tem feito. Até mesmo essa ida para o Oriente foi pura manipulação.

2. Que seu egoísmo não “era”; ao contrário, ele “é”. Ou seja: está ainda mais que vivo. E saiba: ninguém, absolutamente ninguém, nem no céu, nem na terra, e nem debaixo da terra, é feliz sentindo e vendo a vida como você a sente e vê. Portanto, caso você não aprenda o Caminho do Evangelho segundo Jesus, sua vida irá de infelicidade em infelicidade para sempre. E mais: nem Deus poderá ajudar você se você não se arrepender de quem você tem sido, e do modo manipulador como você, já desde tão nova, tem manipulado todos à sua volta. E os sanguessugas que você conheceu foram apenas seres que se identificaram com você por você ser exatamente como eles são; talvez até mais do que eles. Isto porque o caminho do enganador é enganar e ser enganado, conforme ensina o Evangelho.


3. Você perguntou, indiretamente, sobre sexo. Se, casada ainda, enquanto dá o “Visto”, pode “ter” alguém; digo “ter” porque uma menina que tem seu sentir, nunca dá nada, mas sempre tem... possui. Ora, sexo é uma maravilha apenas para gente boa e que não quer usar ninguém. No seu caso, sinceramente, até que você se converta à Graça de Deus e abandone esse caminho de mimo e manipulação, creio que quem quer que se relacione com você será profundamente infeliz. E sexo por sexo é pecado mesmo! Entretanto, como já disse, o pecado mesmo é viver com a visão psicológica que você tem da existência; pois, por tal modo de ver e ser é que você está como está; e, caso não mude, ficará muito pior. Ora, por tal razão, sugiro que você não procure ninguém. Não antes de você achar a si mesma, pois você ainda está completamente “perdida” em relação sentido da vida.

4. Dê o “Visto” ao “seu marido”; e liberte o rapaz de você mesma. Não o trate como marido, pois ele sabe que não é. Tente começar por se tornar amiga dele. Peça perdão a ele por tudo o que você fez; sim, por todas as manipulações e usos. Além disso, escreva para sua irmã, com sinceridade, e peça perdão a ela por ter infernizado a existência dela. Também escreva para o “irmão” de “seu marido” e peça perdão a ele e à mãe dele por ter sido tão vil nos seus atos. E digo isto de você, apesar de você ainda ser tão novinha, apenas porque sei pela Palavra que é possível que uma pessoa jovem faça “o que é mal aos olhos de Deus”.

 
5. Leia o site todo. Faça disso uma missão espiritual para você; pois, minha querida irmã, ou você aprende de Jesus, conforme o Evangelho; e crê Nele conforme a Palavra; ou você será muito infeliz o resto de sua vida; e quem quer que com você viva apenas sofrerá.

6. Quanto aos seus pais, honre-os melhorando-os em você. Afinal, tudo o que eles não lhe deram foi “educação na justiça”; pois, caso o tivessem feito, jamais entregariam você a você mesma; e isto não apenas pela via do mimo que até mesmo expeliu sua irmã de casa; mas, também, em razão de terem dado a você as condições financeiras e de liberdade precoce que pai e mãe algum nesta vida concedem aos filhos em tão tenra idade. Ora, aceitando que você expulssasse sua irmã de casa, e fazendo todos os seus desejos, eles acabaram por criar uma monstrinha... Feliz foi sua irmã, que não ficou sob tal teto... feito de egoísmo e preconceito.


Quanto ao mais, caso você sobreviva a esta carta, então, haverá outras; nas quais espero encontrar você sem manipulações e genuinamente arrependida.

Entretanto, saiba: Deus disciplina a todo filho a quem ama. Portanto, caso você creia que falo também pelo Espírito de Deus, aceite o que lhe digo; e, sem ressentimentos, creia em mim. Todavia, esse “creia em mim” que lhe falo não tem nada a ver com “transferir” fé para a minha pessoa, mas sim para a única Pessoa que é digna de fé: o Senhor Jesus. Ora, é da parte Dele que lhe falo; e o que lhe digo é amor; pois, sem que você recebesse esta carta de amor em Cristo, saiba: sua existência seria uma desgraça para sempre!

Após ter feito tudo o que lhe disse; e após ter dado o “Visto” ao moço, separa-se dele; pois, nesse caso, você estará apenas fazendo bem a você mesma e a ele; que não merece ser mantido num casamento que nunca existiu; tendo sido apenas um relacionamento de “negócios”, só que de natureza psicológica.

Por enquanto fico por aqui. Mas saiba: não tenha medo de Deus; mas o tema. Creia que esta carta-dura foi amor Dele por você; do contrário, sua vida seguiria fugindo dos “porcos”, embora onde quer que você passe, a porcaria quem faz é você mesma.

Você gostaria de casar com uma pessoa como você? Creio que não! Deus, porém, ama você como você; e ama você para fazer de você quem você pode ser Nele!

Receba meu carinho e as minhas palavras como amor de um irmão que sabe, da parte de Deus, que o que você escolheu como caminho, não conduz à vida.


Nele, que disciplina a todo filho a quem ama,

 

Caio