Português | English

Cartas

ENFIM TIVE CORAGEM DE ESCREVER...

ENFIM TIVE CORAGEM DE ESCREVER...

-----Mensagem original----- De: Ana Cristina Enviada em: sexta-feira, 14 de maio de 2004 08:38 Para: cafecomgraca@caiofabio.com Assunto: ENFIM TIVE CORAGEM DE ESCREVER... Mensagem: Gracioso Pr. Caio Fabio, Esperei muito pra te escrever. Sempre “clico” no “Fale Comigo” do seu site, e a resposta è a mesma: “tá lotado!!!” Hoje, porém, foi diferente pra mim; criei coragem e resolvi te enviar uma mensagem pelo “Café”; talvez você demore muito pra ler, ou mesmo nem consiga fazê-lo; eu compreendo muito bem seu tempo tão solicitado pelas pessoas que passam pelo site, passam no Café…. Não tem problema….. só queria também registrar que sempre passo por aqui; e, sinceramente, adoraria participar de uma reunião do Café – como eu queria!!!! O problema é que estou há 12.000 km de distancia; e enquanto não posso visitá-lo pessoalmente, tento sempre o contato virtual. Ah Pastor! como a gente precisava desse seu “pastorado virtual”...mas real; e mais humano, impossível!!! Eu mesma, muitas vezes, precisei, e não tive a quem recorrer… Houve épocas da minha vida—como você mesmo disse: todo mundo um dia “surta” na vida—quando eu surtei também, e não queria me identificar; mas queria que identificassem uma cura pra minha alma-sem-identidade; e precisei de muita busca de Deus... Ele vem tratando diariamente dos meus traumas, dos meus medos de alma. Hoje estou num país bem distante, mas mais perto de você do que tantas vezes estive. Posso dizer que te conheci um pouquinho... você nos deixou te conhecer quando publicou «Confissões do Pastor »; livro este que eu li, reli, re-re-re-re-liiii; e enxerguei um ser humano simples, cheio de falhas, procurando acertar, mas ao mesmo tempo vivendo….e expressando uma verdade: Perfeição, só no Céu, na eternidade!!! Pessoalmente lhe vi uma única vez, quando você “pregou” na minha igreja, há mais ou menos uns 10 anos atrás. Desde aquele dia me tornei “sua fã-de-carteirinha”…. Antes disso já conhecia sua “fama” – que era de ultra-super-hiper “pregador”; fama essa a qual você sempre trata de desmistificar... Sinceramente, pastor, gostaria de lhe dizer uma coisa óbvia, que todo mundo sabe, mas eu preciso lhe dizer: Deus lhe concedeu um dom muito especial, muito maravilhoso: “tocar o coraçao das pessoas”… Já conheci muitos “ministros do evangelho”— “nasci” na igreja, conheci pessoalmente muita gente boa e ouvida—, porém, o que o torna muito especial e querido è a sua incrível capacidade de “penetrar no ser”... e decifrar códigos da alma, do espírito; hieróglifos humanos, que muitas vezes nem os mais renomados profissionais conseguem discernir… Fiquei muito contente quando soube que lhe foi conferido o Diploma e Carteira de Psicanalista Clinico, e concordo com seu tão amado e inesquecível filho Lukas: “Demorou. Foi o que você fez a vida toda”. Quando leio suas repostas à Cartas, me vem à memória minha fase infância-adolescência, onde eu vasculhava a vasta biblioteca cristã do meu pai em busca de “coisas-interessantes-evangelicas” pra ler. E dentre todos os livros encontrados, sempre “pegava” o “Minha Reposta” – Billy Graham –, onde se podia contemplar as situações mais absurdas, mais “rodrigueanas” da vida; e depois das perguntas “dantescas” vinha o aconselhamento do pastor— até “destruí” a capa de tanto ler... no banheiro, comendo, na cama. Era o meu livro-manual-do-ser-humano-evangelico predileto; e aquelas perguntas e respostas faziam parte de uma época dos anos 60,70... Pois bem, passaram-se mais de 30 anos, muita coisa mudou na política, economia, tecnologia, medicina, etc... porém, quando leio a Seção Cartas – já vasculhei as mais de 800 no site –, vejo que a alma humana não mudou; algumas coisinhas ficaram um pouquinho...ficaram mais modernas, com a internet, encontros virtuais... etc; mas a alma em si, e seus problemas e tormentos, não mudou... Suas respostas são mais que surpreendentes. São muitas vezes “DESCONCERTANTES” – no sentido literal da palavra, pois você consegue “quebrar-as-pernas” de muita gente no site; ao mesmo tempo em coloca uma “cadeirinha almofadada” onde a pessoa pode se sentar e se recompor. Muitas vezes vejo você exortar, pacificar e disciplinar simultaneamente a cristãos cheios de arrogância, intolerância, “sabedoria-do-alto”... que nada mais tem do que “ignorancia-intolerancia-do-auto (ego)”. Outras vezes choro e admiro quando vejo você apenas ouvindo o problema de alguém que só consegue “se abrir” com você, com confissões reais e cortantes, num “confessionário” conectado em rede mundial; porém tão cheio de intimidade e confiança entre você e o “paciente”! Algumas vezes choro e sinto um pouquinho de leve a dor-do irmão... Oro também; é o melhor que posso fazer. Outras vezes, pastor, me “choco” com sua Compreensão-Graça sobre a vida do “pastor-caído-que-traiu-a-esposa ”, do “pastor-torturador-dedo-duro”, da “mulher-do-pastor-que-“ama”-uma-ovelha-mulher-do-rebanho”...etc. E tem tanta coisa “cabeluda” no seu site... E nesse emaranhado todo de situações “chocantes” sempre vem uma perturbadora reflexão para nós, os “evangélicos-certinhos”. Nessas reflexões você nos instiga a fazer perguntas como: Perdão-Graça tem prediletos? Perdão-Graça é condicional? Perdão-Graça atinge somente alguns níveis de pecado do chamado povo de Deus? Perdão-Graça è somente para os “ímpios”!?, Quem “pertence ao Clube-Santo” de Jesus não tem direito ao Perdão-Graça!? Você sabe como é…. “...qual a nossa diferença do Mundo?” “…somos separados, raça eleita”...etc... Você sabe, pastor, as palavras Perdao e Graça não andam juntas para muitos « pseudos-santos »... No Clube-Santo nós ao menos dizemos que perdoamos... Nós, os “sócios-purificados” somos obrigados…”…quem confessa e “deixa” alcança misericórdia, como esta escrito em Provérbios 28:13. A questão é que misericórdia pra um “crente” muitas vezes não passa de uma palavra “boba-comum”; toda vez que o crente sente um incomodozinho, ele fala: “Misericórdia!!!”... mas se esquece justamente que por causa da atitude de Jesus expressada na palavra “misericórdia” nós não somos consumidos todos os dias; pois as misericórdias do Senhor se renovam A CADA DIA….. Então, pastor, nós “perdoamos”, è regra do “Clube”, mas só tem uma coisinhazinha pequena, né? A gente como que diz: “Por favor fulano-irmão-pecador-perdoado... mude de calçada se a gente se cruzar na rua, ok?” E lá no Céu? será que vai dar pra mudar de calçada, quando estivermos andando na calçada-de-ouro? Ah! lá no Céu não tem lembrança, Graças a Deus! Ou seja: PERDÃO-GRAÇA, (para os salvos-salvados-selvagens) são como óleo e água – não se misturam... Graça é nome de gente, né? Ou então... “Vai na igreja meu filho, não paga nada, è de graça...” Ou ainda:”Ai, esse fulano è uma graça!!!” Mas e onde fica a GRAÇA, literalmente falando, no vocabulário do cristão? Que bom, pastor, que você consegue nos fazer ENXERGAR essa realidade... “...mil vezes cair nas mãos de Deus do que nas mãos dos homens!” Ou seja: você nos mostra exatamente que as palavras Perdão-Graça estão casadas, num matrimonio indissolúvel, perfeito, sem sombra de duvida, “forever”, sem discórdia….. Não dá pra dizer que perdoa se não for “gracioso” em não “fofocar o pecado-perdoado”, não julgar o julgado, não apontar o dedo-nosso-limpo pra o irmão-no-limbo; não trocar de calçada quando aparecer o pecador-perdoado….… Não posso imaginar como te feriram todas as criticas, todas as “manchetes”, todas as “pedradas”, onde você era o Caio-Madaleno, o Caio-Cayman, o Caio-Caído, sempre o protagonista... Mas você encontrou PERDÃO-GRAÇA, e consegue transmitir isso pra quem o procura com coração sincero… E Deus nos dá coração sincero pra discernir entre o sujeito que “busca andar com Deus” e o outro que simplesmente “busca brincar com Deus” . Hoje li no seu site algumas coisas que você falou sobre sofrimento, sobre profecias de sofrimento na sua vida, sete anos de tribulações, entre outras coisas... Mas eu creio que por mais dor-saudade que você sinta hoje, Deus lhe trará muitas brisas suaves, muitas tardes com sol, e você ainda vai ser muito feliz Caio; porque Deus lhe deu o privilégio de recomeçar; e a gloria da segunda casa vai ser maior do que a primeira – não no sentido material, quantidade, mas qualidade— porque sem dúvida, hoje, você é um Caio-Cuidador, Caio-Acolhedor, Caio-Levantador pra gloria de Deus; e vergonha é de quem “cuspiu-no-prato-que-comeu”! Faz 1 ano que me casei, e vim morar aqui, com um homem maravilhoso, e que me foi dado por Graça de Deus. Meu marido é suíço e cheio de amor-graça-perdão de Jesus; por isso estou aqui… tão longe; muitas vezes super sensível, querendo ouvir “ a voz de Deus” – morrendo de saudade da família, dos amigos, do “arroz-com-feijão da minha mãe”, da “igreja”...; e, olhando o seu site, vejo Ele na sua vida. Assim, ”mato um pouco as saudades” do Brasil; e acaricio um sonho: quero muito ter filhos; e peço muito a Deus que consiga tê-los e criá-los com a consciência de amor incondicional, sempre... Se eu conseguisse, como você, passar 50% do que você transmitiu aos seus filhos, ficaria muito satisfeita. Te admiro muito Caio. Você tem sido um grande Pai, Irmao e Amigo pra todo mundo aqui!!! Foi muito bom "conversar com você"; espero que você possa me ler um dia. Um abraço, nEle. Cris P.S Tenho uma amiga da escola de línguas que é carioca, e esse ano ela vai pro Rio; vou tentar te mandar chocolate através dela; pois terei uma boa-desculpa pra essa amiga conhecer o Café; ela não é crista...espero que ela te abrace por mim. Cris ____________________________________________________________ Resposta: Querida Cris: Que essa carta lhe seja como água fresca num chão sedento de abraços brasileiros e irmãos! Sua carta falou comigo, comigo-eu-mesmo, e do jeito que sou e quero ser, para Deus e para o próximo. As feridas na casa dos irmãos foram muitas, mas todas elas estão saradas. E não foram saradas porque eu “tenha perdoado”, mas apenas porque vi que nem eles tinham nada para cobrar, muito menos eu para responder. Está Consumado! Nunca tive que perdoar ninguém porque nunca senti que ninguém me devia nada. E ódio eu devo ter sentido apenas como raiva instantânea, especialmente no tempo em que eu brigava na rua; e tinha que ser briga na hora, pois nunca consegui ficar com raiva acumulada, nem antes de conhecer a Graça. Deus tem sido amigo, como Ele é. Hoje nossa amizade cresceu muito. Sinto Seu hálito, mesmo quando estou sofrendo; é quase como se Ele respirasse em cima de mim, assim como faço com meus filhos quando estão tristes; às vezes deito em cima deles, e digo: Estou aqui. Sobre o que você falou acerca da “segunda casa”, e de como ela não será tão grande, porém mais profunda, quero que você leia como tive essa certeza ainda em meio aos escombros, mesmo que eu mesmo não visse como pudesse ser possível. Transcrevo abaixo o sonho conforme ele está contado aqui no site. Acrescento apenas que foi a Aldinha, mãe de meus filhos, quem teve o sonho, e numa época em que o inconsciente tinha tudo para ter pesadelos, não sonhos proféticos, e de tão rica simbolização. Por isto, assim que ela me contou o que havia sonhado, registrei imediatamente; pois vi que havia mais que um sonho ali. Eis o sonho: ____________________________________________________________ Em Janeiro de 1999 eu já estava separado conjugalmente da mãe de meus filhos há 10 meses. O mundo político também já havia desabado sobre mim—todo desabamento posterior foi aftershock. Naquela ocasião ouvi o seguinte sonho a meu respeito e que me foi contado por alguém que à época estava passionalmente magoada comigo. Por isto, o sonho ganhou ainda mais significado para mim. Ela contou: Era uma praça européia, com cara de coisa antiga. Eu e duas amigas nossas estávamos lá. Havia uma feira e muitas frutas. De súbito um alarido. A multidão correu. Uma grade alta impedia a passagem do povo para o pátio. Ao fundo um paredão de fuzilamento. Então entra você. Cinco de você. Você como eu te conheci aos 18 anos. Você aos 30 anos, alto, imenso, um gigante, só que nesse teu rosto havia um espelho, quem olhava para você enxergava a si mesmo. Você era o rosto de todos e todos viam seus rostos em você. Depois veio você como você hoje—janeiro de 1999. E depois de você com cara de hoje, veio você mais baixo, mais magro e muito mais sólido—apesar de sofrido. Por último veio você-seu-pai. Você velho, manso, sábio e pacificado. Vocês cinco foram levados para serem fuzilados. A praça se revoltava contra o ato. Eles apontaram para atirar. Mas você-de-hoje levantou a mão ao céu, exaltou o nome de Deus em palavras que ninguém entendeu, e trouxe a mão ao peito em solenidade. O que você não viu é que seu braço direito havia se tornado em espada e que atravessou seu coração. Uma criança ao meu lado chorava o choro de muitas gerações. E perguntava: Quem vai nos falar de esperança agora? Foi quando eu vi que você-hoje morreu para que você antes e você depois... pudessem viver. Você vai ficar um velho sábio e pacificado”—ela concluiu. Psicológica, histórica e existencialmente esse sonho tem sido profético para mim. E, à época, vindo de quem veio, pareceu-me tomado de total soberania. Seja como for, quero ficar velho e sábio. ___________________________________________________________ Continuando... Minha grande alegria foi descobrir que de todas as mídias que já usei, nenhuma delas me fez tanto bem quanto esta: a Internet. Minha privacidade não é invadida como antes, ao mesmo tempo em que tenho acesso direto e intimo com as pessoas, o que me dá muita alegria. Estamos para inaugurar o novo site, no qual teremos ainda mais chance de interagir, e criar vínculos ainda mais próximos. Hoje tudo está diferente. A vida com Deus está pacificada. Meu senso de missão é calmo. Minha pregação está livre como o respirar. E a família vive em paz e em prazer relacional. Os filhos cresceram, e são mais que amigos. E sobra carinho! De fato, você é ministrou amor para mim; e, confesso, desde ontem que ando muito carente. No dia 12 o Ciro, meu mais velho, fez 28 anos; e o Lukas era o filho mais “eventuoso” deles todos...adorava uma festa e um aniversário. Foi impossível deixar de vê-lo e ouvi-lo naquela mesa tão feliz. Então, me lembrei que ele está no lugar certo: em Casa e na Festa. Sobre a minha felicidade, acredite: eu sou muito feliz, mesmo andando e chorando...às vezes; mas sempre com uma estranha presença de bem-aventurança bem nas vísceras do meu ser! Receba todo o meu carinho, e meu desejo de que seu casamento seja como aqueles que não são, isto para que seja sempre muito bom e gostoso. Aguardo o chocolate. Ainda há por aí uns tubos de leite condensado que perecem tubos de pasta de dente? Se ainda houver, mande. Eu adoro! Nele, em Quem o Mar já não existe, Caio