Português | English

Cartas

EM MEMÓRIA DE UM MENINO-ANJO:  Aurélio Edigard

EM MEMÓRIA DE UM MENINO-ANJO: Aurélio Edigard

Aurélio Edigard é o nome do “menino”, conforme carinhosamente dirá o Marcelo Quintela abaixo, e que, pela Graça de Deus em sua vida, na vida de seus pais (especialmente seu paizinho), depois de longa e sincera jornada, veio a encontrar maior entendimento do amor e da Graça de Deus aqui no www.caiofabio.com Ele escreveu algumas vezes, e, depois de um curto espaço de tempo, passou a ser mentorado pelo Marcelo, que é o executivo no processo de organização mínima no “Caminho da Graça”. A vidinha dele me enterneceu tanto que praticamente em todas as áudio-conferencias da radio do site eu mencionava a presença dele no Timor Leste, ouvindo ao vivo. Agora ele estará não mais ao vivo, mas vivo na verdadeira Vida! Ontem eu estava indo para Goiânia quando fui informado do falecimento do Aurélio Edigard, o qual foi alvejado por uma bala perdida que o achou. O que você lerá a seguir é um relatório existencial da correspondência dele com o Marcelo — carregada de amor, singeleza, bondade e sinceridade. De fato, sem buscar nada além de Deus, e mesmo pensando que não estava fazendo o que deveria fazer em plenitude, Aurélio Edigard acabou por realizar muito mais do que sabia. A frase retirada pelo Marcelo do contexto de uma das correspondências, diz tudo sobre tudo na vida de um homem, e diz tudo o que se precisa saber acerca da grandeza da alma do "Eu não quero chegar ao fim da vida, olhar para trás, e concluir que eu trabalhei para Deus, mas não me relacionei com Ele; que não permiti que Ele construísse em minha vida nada que significasse uma intimidade de relacionamento entre nos. " Aurélio Edigard. Ofereço estas páginas a Deus, como gratidão pela vida desse menino-anjo! Com lágrimas e gratidão! Nele, que leva o justo antes que venha o mal, e o põe na Paz, Caio Ps: em respeito à originalidade da correspondência não fiz qualquer correção. _____________________________________________ ----- Original Message ----- From: marceloquintela@uol.com.br To: contato@caiofabio.com Sent: Tuesday, November 21, 2006 2:46 PM Subject: O CAMINHO NO TIMOR LESTE "Eu não quero chegar ao fim da vida, olhar para trás, e concluir que eu trabalhei para Deus, mas não me relacionei com Ele; que não permiti que Ele construísse em minha vida nada que significasse uma intimidade de relacionamento entre nos. " Aurélio Edigard Caio, nosso menino no Timor morreu... Que tristeza, cara! Não pude responder seu último email... Ontem, deram a idade errada no jornal e o nome estava incompleto na TV, então me tranquilizei, mas hoje: http://www.estadao.com.br/ultimas/cidades/noticias/2006/nov/19/160.htm?RSS+target http://noticias.terra.com.br/brasil/interna/0,,OI1258801-EI306,00.html Abaixo, nossos últimos emails, flagrando: • o desenrolar de uma Estação no nascedouro, • a importância do site no coração dos adoecidos sinceros, • e a forma como Deus carinhosamente conduz os Seus a Verdade que Liberta, ainda q as amarras sejam profundas, conforme vcs perceberão nas estrelinhas. OBS: Amigos, não participem dessa "intimidade" levianamente, leiam devagar e com devoção, como quem sabe que na luta contra o pecado, ainda não resistimos até o sangue. De outro modo, não leia. Quem quiser ajudar, escreva sugerindo alguma ação, para que o grão do Edigard, caindo no chão, não fique ele só, mas dê muito fruto... "Pai, recebe meu irmão que Te vestiu quando Tu estavas nu; que Te visitou quando Tu estavas preso, e que alimentou teus pequeninos sem temer aqueles que matam o corpo, mas não podem matar a alma que carrega a doce revolução na mochila!" Amém!" ----- Original Message ----- From: Aurélio Edigard Gonçalves de Brito To: marceloquintela@uol.com.br Sent: Sunday, March 26, 2006 3:40 AM Subject: Pedido de informações Fala Marcelo, tudo bem? Meu nome e Edigard, tenho entrado lá no www.caiofabio.com e sido muito edificado. Tenho lido muita coisa boa, e entendido em parte a dinâmica trabalhada por vocês mediante a direção de Cristo, no entanto algumas questões tem surgido em minha mente. Marcelo, me desculpe por fazer perguntas, que acredito, podem parecer tão bobas (em anexo). No momento estou morando em Timor Leste, desenvolvo alguns projetos sociais, de alfabetização infantil, e alfabetização de adultos. Temos reunido em comunhão com um grupo de amigos, e isso tem nos feito crescer de forma maravilhosa. A vida do Caio Fábio, as suas palavras, e atitudes práticas com relação ao evangelho, muito tem nos motivado e ensinado. Um grande abraço. Edigard. _________________________ Olá, Aurélio Desculpe-me a demora em responder-te. Vc me pegou numa semana das mais difíceis e corridas por aqui. Mas, quero lhe explicar tudo da melhor forma possível, dentro das suas questões abaixo: • Querido, o que é realmente uma estação do caminho? Como funciona na pratica as estações do caminho? Uma estação é um "Caminho da Graça". Não é uma franquia, nem uma denominação, nem uma filial. É o espaço comunitário onde se desenvolve todo o conceito do Caminho segundo vc tem lido no site. Todos as Estações estão ligadas pelo mesmo espírito e com a unidade de pensamento segundo o Evangelho q temos ouvido da boca e nas palavras do pastor Caio - mentor do processo todo. Não há ligações formais no sentido estatutário. Existe um estatuto comum, mas q nos liga pelo amor, e não por obrigações regimentais. O conceito de Estação ficou bem expresso num texto que tenho lá no site chamado CRENTES E NÃO CRENTES NO CAMINHO DA GRAÇA. Veja no link CAMINHO EM SANTOS. É aquilo ali, na prática! Tem um outro texto lá q falo sobre o significado de estação: AS REUNIÕES DO CAMINHO DA GRAÇA...SÃO PRA TODOS? • Nesse momento, a visão de vocês, é apenas para o Brasil, ou abrange todo o mundo? Questionei um dia o pastor Caio sobre o mesmo tema, e ele me disse que só não é "interplanetário" pq Deus não mandou pregar senão, somente, até os confins do Mundo! Já temos Estações começando em algumas cidades da Europa... e principalmente em Portugal. • Teria como o material que você mencionou, ser enviado para fora do pais? Lógico, meu irmão. É só vc fazer o pedido para o edvaldo@caiofabio.com ou editoraprologos@caiofabio.com Não se gasta muito com o material pq foi feito com produção simples para diminuir custos Solicite o kit do encontro, e peça pra acrescentar o material q o Caio falou em Santos. • Qual a responsabilidade de vocês sobre as estações do caminho, e quais as responsabilidades das estações do caminho para com vocês? Vc fala de responsabilidade de sustento? Da vida do obreiro? Vc diz da relação tipo sede-filial? Explique melhor, pq suas perguntas em nada são bobas, como vc colocou. Ao contrário, devem ser colocadas mesmo. Mas penso q o mais importante é vc entender qual o espírito do movimento em si; o que se pretende, e que Revolução é essa que se carrega na mochila e na mente. De nossa parte, fica uma sensação de privilégio em sermos lembrados por vc, pra ajudar em Timor Leste. Faríamos isso com todo o empenho, naquilo q nos fosse possível. Tudo depende de vc nos colocar que planos possui... Fale mais. Fale de vc, e como foi conduzido a essa Missão? Vc é daí ou daqui? Um abraço forte, Na mesma Graça, Marcelo ___________________________________________ ----- Original Message ----- From: Aurélio Edigard Gonçalves de Brito To: Marcelo Sent: Sunday, April 16, 2006 4:26 AM Subject: Re: Pedido de informações Olá Marcelo. Tudo bem? Nos últimos dias, eu me dediquei a ler o que você me indicou lá no site, e também a fazer uma pesquisa mais profunda, em tudo que se referia as minhas duvidas. Encontrei as respostas lá, espalhadas nos diferentes assuntos abordados. Eu sou de Minas Gerais, meu pai (já falecido) foi pastor da Assembléia de Deus, e eu cresci no ambiente pastoral. Acredito que por ver tudo o que meu pai sofria para não se enquadrar naquilo que era praticado e imposto dentro da igreja, eu desenvolvi uma aversão à igreja, e principalmente ao ministério pastoral, sempre vi a palavra "pastor" muito próxima da palavra desonestidade, ou falta de amor. Crescer com essas sensações não é bom para ninguém, eu não queria abandonar Jesus, mas também não suportava viver na igreja, e isso foi contribuindo para que eu me confundisse todo, entrando em coisas que nunca deveria ter entrado, na busca de um sentido para minha vida. Meu pai, e as demais pessoas da liderança da igreja Assembléia, em Minas, sempre falaram que eu seria um pastor, eu tentei fugir disso, porém com o meu pai já velho e doente, eu decidir entrar para o seminário, penso que mais para agrada-lo. Ali eu conheci pessoas que muito me ajudaram, tive contato com um universo maior de informações sobre Deus, e comecei a tomar consciência que Deus não era propriedade da igreja... mas tudo isso ainda de forma muito superficial. Por estar no seminário, todo mundo imaginava que eu estava decidido a me tornar pastor, e isso acabou fluindo naturalmente dentro da igreja, muita gente me olhando como um futuro pastor. Nesse tempo, meu pai faleceu, minha irmã foi enviada pela igreja como missionária para Timor Leste, e eu me vi cada vez mais envolvido com a igreja, e cada vez mais decepcionado com as coisas que aconteciam lá dentro. Nesse contexto, eu acabei desenvolvendo um desejo de sair para missões, sempre soube que não era uma imposição de Deus sobre a minha vida, nunca tive um chamado como a maioria dos missionários, mas entendia que fora da igreja poderia fazer algo que me deixaria mais feliz e me realizaria como pessoa. Foi com essa motivação que eu me apresentei como voluntário para missões, e foi assim que eu vim para Timor. Estou aqui há um ano, hoje tenho 26 anos. Aqui eu pude enxergar muita coisa em meu coração, muita magoa, revolta contra a igreja, e também muita fuga, tudo que eu não conseguia fazer, culpava a igreja. Colocava toda a culpa de meu relacionamento distante com Deus, na igreja. Só que hoje eu entendo que eles não São culpados de muita coisa, meu pai conseguiu ter um bom relacionamento com Deus la dentro, falou o que ele sentia ser a verdade do evangelho e assumiu as conseqüências, aceitando o desprezo com a cabeça erguida e os olhos em Cristo. Mais ou menos no ano de 1999, meu pai começou a falar conosco que estava sentindo que Deus iniciaria um avivamento na terra, um avivamento que não seria produto de uma igreja, ele falava que Deus levantaria pessoas e essas pessoas mudariam muita coisa, tudo sem o aval da igreja. Eu vim para Timor trabalhar com a minha irmã. Ela trabalha na área de Saúde, visitas ao hospital, distribuição de medicamentos, atendimentos de enfermagem, está construindo uma clinica nas montanhas (a parte mais carente de Timor), e tem o desejo de montar uma casa abrigo, para atender crianças carentes. No momento, ainda não temos a casa, mas temos 12 crianças e adolescentes morando conosco, cada um com um histórico de sofrimento, porém sendo todos restaurados e em processo de conhecimento da verdade do Evangelho. Eu estou trabalhando no interior do pais, desenvolvo um projeto na área de educação, temos uma pré escola, que atende 70 crianças, todas muito carentes. Geralmente essas crianças não tem o que comer em casa, então diariamente servimos uma refeição para elas, e temos também um curso de alfabetização de adultos e curso de português. Isso é o que temos feito aqui, trabalhado na área social e através desses projetos a mensagem do evangelho tem sido passada para as pessoas. Em Dili, capital do Pais, temos duas reuniões por semana, no sábado a tarde, uma reunião com timorenses, e no domingo a noite uma reunião em portunhol, com brasileiros, moçambicanos, peruanos e cubanos. A nossa vontade é que isso não se transforme em mais uma igreja , com regras e imposições sobre as pessoas. Há algum tempo, eu tive um sonho que se repetiu por algumas vezes, eu nunca dei muita importância a sonho, porem como esse sonho se repetiu, eu acabei ficando impressionado, e dando mais atenção aos sonhos desde então. Nesse sonho, eu estava com uma pessoa que eu não via o rosto, mas que conhecia, atravessando uma ponte, era uma ponte muito alta, la de cima, víamos uma estrada muito bonita, com aqueles abrigos de espera de ônibus, todos os abrigos estavam com muita gente, e também na estrada tinha muita gente caminhando, nos estávamos em cima, na ponte, no entanto a ponte estava podre, quando andávamos víamos que a madeira não aguentaria por muito tempo, mesmo assim continuávamos indo em frente. Em um determinado momento, essa pessoa que estava comigo, mas que eu não via o rosto, decidiu pular, eu tentei convencê-la a não fazer isso, porem ela não quis me ouvir, e pulou, eu pensei que ela morreria, pois a ponte era muito alta, porem quando ela caiu, as pessoas do abrigo de ônibus, foram ate ela, a ajudaram e voltaram todos para o abrigo, ela não tinha machucado nada, andava perfeitamente. Nesse momento o sonho acabava, outras vezes, eu sentava na ponte e chorava com vontade e com medo de pular, mas em nenhum sonho eu pulei. Tempos depois eu conheci o site e tudo ali começou a me ajudar muito. Muita coisa que existia dentro de mim foi sendo restaurada a medida que eu lia os textos, outras coisas estão sendo pacificadas, tem dia que eu leio um texto, e de repente, está lá a resposta para algo que me incomodava, tudo de forma muito clara. Eu continuo como missionário da Assembléia de Deus, isso mais de nome, eles mandam uma ajuda de 125 dólares. Se fosse sobreviver com isso, já teria voltado, aprendi aqui, na prática, que é Deus quem nos sustenta. Quando eu vim, ainda confiava muito na igreja e quando eles começaram a diminuir o sustento, fui vendo Deus levantar de outros lugares, pessoas que eu não conheço, tem vez que ficamos até com medo de tirar o dinheiro e depois receber uma comunicação do banco que tinha sido um erro do banco. O que mais nos falta aqui é o cuidado pastoral, aconselhamento, isso a igreja nunca fez, quando tentei falar com eles, eles simplesmente perguntaram se eu queria voltar, já que minhas palavras demonstravam insatisfação e eles não queriam alguém insatisfeito. Hoje eu sei que estou no lugar certo, amo Timor Leste, estou aprendendo muito aqui, e tenho tido oportunidade de servi a pessoas que realmente precisam, porem sinto que falta alguma coisa, estou aprendendo la no site a descansar na graça de Deus, a viver a verdade do Evangelho, tem sido um caminho, um dia muito bem, no outro, percebo que algumas coisas ainda estão la, e então começa tudo de novo. Eu gostaria muito de não caminhar sozinho, sei que não tenho condições de caminhar aqui, sem um suporte, um apoio, me refiro a aconselhamento, a cuidado, a ensinamento. Não sei se é imaturidade minha, mas sou uma pessoa que tem muito medo de ficar sozinha no caminho, me sinto mais forte quando estou sendo apoiado. Hoje tenho aprendido, sido edificado e aconselhado la no site. Meu pastor tem sido o Caio Fábio, embora ele não saiba, mas é quando leio as cartas, devocionais, artigos que recebo as maiores dicas de como caminhar na Verdade do Evangelho. Eu não quero chegar ao fim da vida, olhar para trás, e concluir que eu trabalhei para Deus mas não me relacionei com Ele, não permitir que Ele construisse em minha vida nada que significasse uma intimidade de relacionamento entre nos. Marcelo, eu meditei em tudo que você me indicou, e orei muito buscando o que realmente está em meu coração, e o que é a vontade de Deus, eu entendo que o que Deus tem para nos aqui como comunhão, é o mesmo que o Caio Fábio tem pregado. Ou seja, acredito que estamos começando a caminhar no mesmo Espírito que vocês tem caminhado ai. Muito obrigado por você ter se disposto a me ouvir, e a nos abençoar aqui no que Deus direcionar. Espero sua resposta. Um grande abraço. Edigard. __________________________________________________ Macelo Quintela escreveu: Olá Edigard. Como vc está, meu querido? Li atentamente sua carta. Esperei um melhor momento pra escrever, mas esse tempo nunca chega, pois estamos nas vésperas da inauguração da Estação Paulistana do CAminho da Graça, lugar q vai ser um pouso para muitos andarilhos do Caminho pela Capital. Bom, meu amigo, sendo direto: Nós podemos ajudar vc a pular, como em seu sonho! Vc verá q não vai se machucar! Porque vc estará fazendo aquilo q se parece com vc em Cristo, com vc no Reino, e não com a caricatura de igreja q vc não gosta... Vc pode transformar suas reuniões de sábado e de domingo numa Estação do Caminho. Aliás, sei q já é... pq o Caminho não é uma instituição, é um espírito, e sei q esse espírito é seu, por tudo q vc contou. O Caio poderá ser seu pastor-orientador, como já é, só que agora, sabendo que é, e diminuindo de alguma forma essa sensação que vc tem de solidão no processo todo. Vcs poderiam se falar por telefone ou net ou de alguma forma. Podemos enviar nossos DVDs e CDs conforme seu desejo, e colocar suas informações no site. Mas meu irmão, saiba, não temos qq interesse em vc, que não seja você e sua alma missionária. O Caminho não cresce por estatística e nem tem pressa de nada, só daquilo que é do Evangelho. Vou estar pessoalmente com o Caio nos dias 10 a 14 de Maio, e se vc quiser escrever pra ele algo, q eu possa imprimir pra ele ler, ou se vc me permitir, passarei pra ele nossa comunicação pra ele avaliar pessoalmente e ter suas próprias impressões em Deus. O Caio me achou baseado em suas intuições, somente, e me estendeu a mão qdo viu q eu fazia aqui um trabalho semelhante ao seu aí, somente com menos engajamento social, mas ainda assim, libertário e solidário. Vc não está sozinho, meu irmão. E ainda precisa continuar a fazer um caminho para dentro de vc, que tem a ver com as questões sobre o trabalho de Deus x relacionamento com Deus, para deixar essas inseguranças e cobranças q, porventura, ainda tomem espaço angustioso em tua alma. Tb sou novo mas não tanto... rsrs. Tenho 32 anos. Desde os 16, ininterruptamente dedicado a Causa, mas sempre me frustrando no final, (chegando a adoecer d´alma e do corpo exatamente na sua idade, qdo fui internado após estar submetido a muito stress), qdo via q o compromisso da igreja era com a manutenção de si mesma no mundo, e que a igreja evangélica - que não é de todo ruim - já alcançou seu teto na experiência de rendição à Graça. De onde estão não vão pra cima, só retornam pra trás, pq pensam q Deus cabe dentro de suas capelas e catedrais e doutrinas e dogmas, apresentando para o povo, uma caricatura mal feita do q vem a ser JESUS. E aí o povo recebe esse Jesus, de terceira ou quarta mão, que existe pra justificar as teses da instituiçao que o apregoa. E por isso, vc, como membro histórico e geracional dessa entidade religiosa, tb carrega nas entrelinhas as ânsias culposas q eles incutiram em nós, mas sei em Cristo que a Verdade te libertará, como já tem feito! Desculpe o tom apressado, Receba meu abraço com toda reverência pela disposição da tua alma em estar aí, longe de sua casa e de seu país. Na mesma Graça, Marcelo _____________________________________ ----- Original Message ----- From: Aurélio Edigard Gonçalves de Brito To: Marcelo Quintela Sent: Thursday, May 11, 2006 10:36 AM Subject: Re: Pedido de informações Olá Marcelo. Me desculpa por não ter respondido antes. Aqui em Timor estamos passando por um momento um pouco conturbado. Estão acontecendo conflitos entre policiais e governo. Estão falando em tentativa de golpe, e isso tudo contribuiu para que a população fugisse em massa para as montanhas, criando verdadeiros campos de refugiados. No meio disso tudo, nós resolvemos ajudar de alguma forma, e eu acabei tendo que viajar para uma ilha aqui de Timor, Atauro, para levar alimento e medicamentos para a população carente. Marcelo, não sei se você vai ler esse e-mail antes do fim do encontro ai em São Paulo, caso leia, fique a vontade para passar tudo que já compartilhei com você para o pastor Caio. Sua ultima mensagem foi muito edificante, você está correto quando afirmou que eu carrego ainda essa ânsia culposa, fruto de uma vida inteira ouvindo um evangelho carregado com a opressão religiosa. Nos últimos tempos, principalmente depois que conheci o Site, eu me descobri um oprimido. Vivendo uma luta desgraçada para manter uma imagem que as pessoas construíram para mim e que eu sabia, não tinha nada a ver comigo. O pior disso tudo, Marcelo, é que isso só me estava levando para longe de Deus, Na ânsia de agrada-lo eu me distanciava dele. As pessoas falando: "irmão você é uma benção, sofra por amor a Cristo, se isole, torne-se um monge e você vai ser cheio do Espírito". E eu me enchendo cada dia mais do espírito de tristeza e magoa, como já lhe falei nas outras cartas. Hoje estou em paz. Sei que ainda há um longo caminho a ser feito, ainda carrego muito medo, fruto de tudo que os dogmas religiosos produziram em minha mente, mas tomei a consciência que serei curado no Caminho e que no caminho Deus vai trazendo as pessoas certas para ministrar essa cura. Outro dia lendo um texto seu sobre Ananias e Safira, e outro sobre Paulo em Macedônia, que fala sobre a graça da fraqueza, eu fiquei emocionado, é aquilo ali. A vida inteira sendo ensinado a não mostrar as fraquezas, a ser sempre forte, sempre frutificante, e sendo obrigado a sofrer calado, adoecendo cada dia mais e mais da alma. Hoje eu sei que Deus é o meu Senhor, e que o tempo inteiro ele foi o meu Senhor, mesmo quando eu pensava que ele não era. Um amigo ai do Brasil me mandou o livro sem barganhas com Deus. A minha irmã pediu para ler primeiro, e eu estou esperando ela terminar para poder fazer a leitura. Um grande abraço para você e muito obrigado pela ajuda que você tem me dado. Em Cristo. Edigard. ___________________________________________________ Marcelo escreveu: Aurélio, meu irmão. Como vc está, amigo? Todo dia nos chegam notícias do conflito no Timor. E nesse último email seu, nós já viámos a coisa se complicar... Há duas semanas atrás peguei todas as nossas correspondências e imprimi para o pastor Caio ler, o q ele fez atentamente. Em seguida, ele me procurou e disse pra avisar q está orando por vc, que gostaria de falar por vc de alguma forma "audível", seja MSN, Skype ou sei lá o quê. Tem algum jeito? Se vc tem uma relação formal com a Assembléia, e no caso disso atrapalhar a intençao do Caminho com vc, podemos cobrir a oferta q eles te destinam pra deixar vc livre pra atuar sem as "obrigações denominacionais" e das prestação de informações sobre seu trabalho no Campo. Basta q vc indique uma conta corrente e o pessoal do Caminho em Brasília fica com essa responsabilidade. No entanto, se o seu desejo não for de desvinculamento institucional em relação à Assembléia, seguimos como amigos na fé e no esforço do Evangelho e sugerimos q vc continue se alimentando de tudo q podemos dispor pra vc por aí, via site, CDs, DVds etc... É obvio q nada temos contra a Assembléia de Deus no seu cuidado, mas não queríamos contranger nem a vc, nem a eles, pois se caso o teu trabalho aí se tornar uma Estação do Caminho, talvez eles não vejam com bons olhos manter a oferta. E por isso estamos dizendo q podemos cuidar disso, entendeu meu irmão? Não interprete nada mal. Não estamos comprando teu passe pra jogar no nosso time. Teu passe é livre. É Daquele q te comprou por alto preço! Ele é dono da obra e Ele manda, de acordo com TUA consciência... Aguardo um retorno teu, se estiveres vivo... rs Abração Marcelo _________________________________ ----- Original Message ----- From: Aurélio Edigard Gonçalves de Brito To: Marcelo Sent: Sunday, June 04, 2006 7:00 AM Subject: Re: Pedido de informações Marcelo Meu querido irmão. Tudo bem com você? Não tinha visto a sua mensagem, por isso não tinha respondido antes. Nesses dias de conflitos aqui em Timor, a caixa de e-mail está lotada e o meu acesso a internet esta restrito, portanto quando entro, olho apenas superficialmente. Fiquei muito feliz com a sua resposta. Mesmo já tendo em mente uma direção a tomar, não imaginava essa resposta. Portanto, vou orar e volto a entrar em contato com vocês. No momento a forma mais fácil de manter contato, seria por telefone. Estou providenciando uma conta de internet, justamente com a intenção de ouvir os cultos, mas aqui em Timor as coisas são muito difíceis, e agora, com tudo parado, fica pior ainda. Meu irmão, ore por nossas vidas, não sabemos os rumos que a situação vai tomar aqui em Timor. Tem muitos interesses por trás disso tudo, e o povo como sempre esta sofrendo bastante. Um grande abraço para você. Em Cristo. Edigard. __________________________________ ----- Original Message ----- From: Aurélio Edigard Gonçalves de Brito To: Marcelo Quintela Sent: Sunday, June 11, 2006 7:34 AM Subject: Re: Pedido de informações Querido amigo Marcelo. Como você está? Meu amigo, eu gostaria que se possível você mostrasse essa mensagem para o Caio Fábio. Esse é um momento confuso para mim, e o mais estranho é que tudo parece, aos meus olhos, muito simples e fácil de resolver. Aqui em Timor, continuamos vivendo muitas incertezas, tem muita coisa para ser feita, e eu decidi me dedicar apenas ao que eu sou útil, e deixar de lado as especulações e rumores, que trazem tanta ansiedade sobre as nossas vidas. Sua mensagem foi maravilhosa, jamais esperava aquele tipo de resposta. Sai da internet com o coração vibrando de alegria. No entanto, desde então tenho vivido algumas indecisões. Quanto à visão do Caminho, a mensagem que o Caio tem passado, e a direção que estamos seguindo, não existe nenhuma dúvida em meu coração. Eu sinto dentro de mim o testificar do Espírito Santo de Deus. Sei que essa é a fonte e não tenho medo do sabor das aguas. Agora, diante de tudo isso, brotou dentro de minha vida um medo muito grande. Estou com medo dos amigos, de minha familia, da liderança da igreja. Com medo da reação deles. Eu não sei o que vai acontecer com todos eles. Não gosto do que eu estou sentindo, mas percebo que lá dentro do meu coração, eu estou mais preso a tudo aquilo ali do que eu imaginava. Já me peguei orando a Deus que seria bem mais fácil se lá dentro da igreja tudo mudasse. Ao mesmo tempo, tenho sentido também um medo, de não dar conta, de decepcionar, de receber toda confiança de vocês, e decepcionar. Não queria ter esse tipo de dúvidas em mim, mas infelizmente estou inundado por elas. Não existe em mim uma única duvida quanto a direção de Deus, quanto a seriedade do que vocês estão fazendo e quanto a fidelidade ao evangelho de Cristo, e é justamente por isso que eu estou mais triste (por imaginar que estou com medo de perder vantagens). De repente brotou em mim um sentimento de que eu não sei realmente qual é a minha motivação. Eu gostaria muito de ler uma palavra sua e do Caio Fábio. E gostaria de antes de qualquer decisão conversar pessoalmente... Eu poderia telefonar em um horário combinado, daqui do Timor a ligação é duas vezes mais barata. Eu sei que deve ter muito mais coisa que eu sozinho não consigo perceber, e que em uma conversa poderia ficar evidente. Vocês são as pessoas que podem me ajudar. Se antes eu não tinha com quem contar, imagine se for buscar um conselho sobre uma decisão assim? Ouvirei de tudo, menos a palavra de alguém que realmente tencione ajudar. Meu irmão, teve uma coisa que aconteceu em uma noite dessas que me deixou meio intrigado. Eu estava naquele estado de semi dormência quando ouvi uma voz falando a seguinte frase: “Não dá mais tempo para ficar enchendo o estômago de uvas verdes”. Eu levantei assustado imaginando que tinha alguém dentro de casa, mas não tinha ninguém. Não sou de impressionar com essas coisas, sempre encontro uma explicação natural para esse tipo de coisa. Mas nesse caso, não estou conseguindo creditar isso apenas a tensão do momento. Não sei se é algo ligado ao psicológico, ou a Deus, ou apenas um fato normal. Não sei o que isso poderia significar. Vou ficar aguardando uma resposta. Um grande abraço para você. Em Cristo. Edigard. ___________________________________ ----- Original Message ----- From: Marcelo Quintela To: contato@caiofabio.com Sent: Sunday, June 11, 2006 10:20 AM Subject: URGENTE Caio, meu irmão e pai O menino de Timor Leste precisa da gente. Num email anterior (q está lá embaixo) passei para ele tudo q vc me disse sobre a possibilidade de uma Estação por lá. E então, ele responde pedindo uma palavra sua Ele parece aberto e com medo Me ajude a ajudá-lo, por favor Um beijão e um bom domingo, Marcelo _______________________________________ De Caio: Meu querido amigo Edigard: Graça e toda Paz! Li sua correspondência com o Marcelo e fiquei enternecido de carinho por você. Antes o Marcelo já me havia falado; e eu me emocionara. Como emocionado estou. Ao ler sua carta senti suas dores. E creio que sempre que a criança está pronta, ela nasce; e, quando é assim, o que ficam já não são nem mesmo gratas lembranças, mas a alegria de ter trazido ao mundo um homem. Assim, acho, de todo o coração, que você só deve tomar qualquer decisão do tipo, se seu coração estiver completamente em paz. Sem o arbítrio da paz, tudo é fora de hora em nós! Sugiro que a gente vá se falando. Pode escrever! Meu tel é 61 (Brasília) ... Estou orando por você com todo carinho! Nele, que nos põe sempre onde devemos estar quando somos pela fé Nele, Caio _________________________________ (...) mais ou menos um mês atrás... Marcelo Quintela escreveu: Edigard: Graça e Paz da parte do Senhor de nossas vidas!!! Há muito não nos falamos e independentemente de qq relação formal conosco, meu coração aliou-se ao seu por seu trabalho aí em terras estrangeiras... Mas muito mais por sua alma! Oramos por vc e gostaria de saber como vc está. Responda, se julgar importante Na mesma Graça, Marcelo ______________________________________ Olá Marcelo. Graça e paz. Como você esta? tudo bem? Aqui estamos bem. Eu gostaria muito de contar com a sua ajuda mais uma vez. Marcelo, eu tenho orado muito sobre o meu ministério aqui em Timor. Nesse momento tenho conversado com alguns amigos, e com aqueles que já reúnem conosco aqui. Eu sinto a cada dia Deus me direcionando para caminhar junto com vocês. Porem não quero forçar aquelas pessoas que estão caminhando conosco a fazerem a mesma coisa. Sei que a visão de todos flui na mesma direção, mas quero que isso seja feito de forma pessoal, para que no futuro ninguém diga que estava em uma coisa e eu forcei a outra. Não sei se você me entende. (...) O site tem muito material, mas a maioria do pessoal não tem como entrar no site. a internet aqui é muito cara. Bem Marcelo, espero que você mais uma vez possa me ajudar, enviando mais material: DVDs, CDs, etc... Meu amigo, muito obrigado. Um grande abraço. Edigard. _____________________________________ Agora, ele já pegou um marcelo no limite... Vejam: Marcelo escreveu: Aurélio, olá Já te respondi o último email ? Estou confuso... Aguardo seu contato Abração Marcelo ____________________________ Em 08 de novembro: Grande Marcelo. tudo bem com você? Aqui tudo em paz. Graças ao nosso bom Deus. Você ainda não respondeu, e eu estou aqui na espera. Um grande abraço. Edigard. ______________________________ Eh! O menino não precisa mais de mim... Beijos a todos Marcelo