Português | English

Cartas

ECUMENISMO: VOCÊ PREGARIA NA CATEDRAL CATÓLICA?

ECUMENISMO: VOCÊ PREGARIA NA CATEDRAL CATÓLICA?

-----Original Message----- From: ECUMENISMO: VOCÊ PREGARIA NA CATEDRAL CATÓLICA? Sent: sexta-feira, 21 de novembro de 2003 08:59 To: Caio Fábio Subject: Ecumenismo Caro Caio: Graça e Paz! É sempre um prazer falar com você de maneira virtual. Tenho acompanhado seu site com freqüência, e olhando sua agenda vi que, às vezes, você vai pregar na Catedral. Acredito que seja a Catedral da Igreja Presbiteriana. Não obstante isso me traz uma curiosidade. Se porventura essa Catedral fosse da Igreja Católica, pergunto: O que você acha do ecumenismo? Sei que o mesmo não envolve questões teológicas, mas me refiro às celebrações ecumênicas, onde tanto o Pastor quanto o Sacerdote se revezam pregando na igreja do outro? Isso não faz com que a Igreja Evangélica que na sua essência é anti-católica se sinta ofendida? Um beijo no coração Pastor Roberto Gomes Igreja Metodista em Indaiatuba/SP *************************** Meu querido irmão no Senhor: Paz! Vou responder a você com uma história que está aqui no site, no link História. Depois volto para comentar as três perguntas que você fez. ****************************** 4/julho/2003 No último mês fui objeto de dois gestos muito carinhosos que me vieram de padres católicos. O primeiro foi em Goiânia. Depois de pregar e de abraçar muita gente, apareceu-me um homem magro, gentil, extremamente distinto em seus modos e que, serenamente, me disse o seguinte: Sou sacerdote católico e sempre me enriqueci muito com suas mensagens. Hoje amo a Jesus muito mais. Vim dizer a você que continue. Abraçou-me, deu-me um forte aperto de mão e desapareceu. Semana passada encontrei outro padre. Fui pregar na Igreja Presbiteriana da Tijuca e outro padre foi até, quietinho, para participar. Ao final, deu-me um forte abraço e me disse: Pra frente irmão! há muito trabalho para Senhor ainda! E se foi... Uma senhora me ligou. Convidava-me para pregar numa igreja católica. Queria saber se eu iria. Ora, no início de meu ministério preguei algumas vezes em igrejas e encontros católicos. Aceitei com muito carinho. Ontem, dia 3 de junho, eu estava pregando na Igreja Nossa Senhora de Copacabana. Acolheram-me amorosamente. O lugar estava lotado. Puseram os jovens assentados no altar. Olhares cativos. Ouvidos atentos. Lágrimas, muitas vezes. Alegria ante a liberdade com a qual também foram tratados por mim. Falei tudo o que desejei. Falaria todas aquelas mesmas coisas em qualquer outro lugar. Sentiram que eu não estava ali para fazer proselitismo, mas para anunciar a Boa Notícia. Jesus e Sua Graça foi o de que falei. E muito sobre a Cruz e o que significa se gloriar somente nela. O Espírito Santo estava nitidamente presente. Saí de lá me sentido muito bem. ****************************** Quanto às suas questões, vamos vê-las: 1. O que você acha do ecumenismo? Resposta: Uma grande perda de tempo. Não acredito em nada que seja feito como resultado de uma “acordo conciliar entre religiões”. Digo: em nada que diga respeito às crenças. Acho que deve haver diálogo até porque todas as religiões deveriam ter as mesmas preocupações humanas, sociais e éticas. Mas qualquer tentativa de “fusão” é sempre um ato político, e não tem reflexo na consciência das pessoas. Todo mundo fica se sentindo civilizado, mas nada muda. E nem pode mudar. Aquilo no que eu creio e espero, só acontece como obra do Espírito. 2. Mesmo não envolvendo questões teológicas, mas apenas me referindo às celebrações ecumênicas, onde tanto o Pastor quanto o Sacerdote se revezam pregando na igreja do outro, o que acha? Resposta: Falo somente por mim. Sinceramente, eu não submeteria o povo que se reúne para ouvir à Palavra do Evangelho a nenhum tipo de xaropada religiosa. Nem de pastor, quanto mais de padre?! Em se tratando de alguém cheio do Espírito e pregue a Jesus e o Evangelho com sinceridade e na Graça de Deus, eu não quero saber o pedigree. Mas não sendo o Evangelho conforme Jesus, pode ser Apóstolo ou anjo de Luz, mas comigo não terá essa chance. 3. Isso não faz com que a Igreja evangélica que na sua essência é anti-católica se sinta ofendida? Resposta: A Igreja Evangélica fica ofendida com tudo. Quem quer que viva para agradar a Igreja Evangélica perderá a sua alma. Acabará sem essência, des-construído e completamente amorfo. Não tenho vocação para tais mimetismos. Se a Igreja Evangélica desejar contar comigo para o que quer que seja ainda, ela deve saber que meu compromisso não é com ela, mas com o Evangelho do Reino. Sempre foi assim. Não mudei em nada. Espero que tenha respondido a sua indagação. Ah! A Catedral é a Presbiteriana, mas adoraria pregar na Católica todos os domingos. Mas eles não fariam isto jamais. Acabaria com a religião. Um beijo no seu coração também. Nele, Caio