Português | English

Cartas

E OS SIGNOS? NÃO HÁ MUITA COINCIDÊNCIA?

E OS SIGNOS? NÃO HÁ MUITA COINCIDÊNCIA?

-----Original Message----- From: E OS SIGNOS? NÃO HÁ MUITA COINCIDÊNCIA? To: contato@caiofabio.com Subject: Os Signos e Minha Vida! Mensagem: Olá, Caio! Noto que existem algumas "coincidências" entre os signos e a minha vida. Apesar de ouvir que isso é coisa do diabo não consigo achar nenhum texto bíblico que me convença disso. Qual sua opinião? *************************************************** Resposta: Juliana, querida: Noto que existem “coincidências” também em relação a mim. Também noto que quando o sol está quente, eu fico com calor e meio que de mau humor. Quando a dia está frio, sinto vontade de produzir. Quando chega a primavera, eu me encho de poesia. E também vejo como nascem tantas crianças quando a Lua é Cheia. Além disso, vejo até os mares respondem à Lua. Também percebo que tudo o que há na Terra reverencia o Sol. Um dia declara sabedoria a outro dia... O universo carrega suas próprias mensagens. O conjunto dos arranjos celestes têm sua própria influência sobre coisas. E não seria de admirar, afinal, nós somos universo também. É por isto que meu DNA carrega os dados de meus antepassados. Ou seja: neste mundo, tudo está conectado! Oséias diz que a maldade humana mexe com pássaros, peixes, e com todo o meio ambiente. Paulo diz que a natureza geme. E o que isto tem a ver com sua questão? Ora, tudo influência tudo. E os animais do campo e os peixes do mar respondem profundamente a tais influências. A própria Terra existe nessa correlação de influências! Portanto, não é de admirar que a posição de astros e estrelas gerem alguma força constitutiva nas coisas e nos seres. Mas nada para se comparar com a força de um DNA! Se a gente deixar as coisas no nível da realidade, não há problema. Admitir tais influências nos pequenos âmbitos delas, é apenas não ser idiota. Mas seria idiotice pensar que o DNA de meus pais estabelece um “confinamento” para a expansão de meu ser. Seria idiotice elevada ao nível estelar. Mais estelar ainda é a idiotice de pensar que as estrelas teriam um poder maior que o do meu DNA. E mais maluquice ainda seria pensar que minha vida está escrita nas estrelas, e, por isto, não sair de casa sem olhar o horóscopo. Assim como eu não posso negar a influência profunda do DNA na minha constituição—é o tal de “cara de um, focinho do outro”—, também não dá para negar influências bem menores, como a dos astros...que não são DNAs cósmicos, mas apenas influências que o mar conhece melhor do que nós, as baleias e golfinhos também. A Bíblia é clara quando condena a consulta aos astros. No V.T. a astrologia é chamada de “engano do oriente”—especialmente pelos profetas. E isto sempre se faz acompanhar de algo maior que os astros. Faz referencia ao culto ao “deus” que se pretendia representar pela constelação. Portanto, é algo como comer ou não comida sacrificada aos ídolos (aqui no site você tem um versão de I Coríntios 8 que bem explica isso). O astro de si mesmo nada é no mundo, exceto no cumprimento dos papéis que lhe foram atribuídos por Aquele que os criou. Daí, o pecado seja se curvar ante o exército do céus e o adorar! Mas há uma diferença enorme entre saber qual é o tipo de influência que eles podem ter na Terra—e até na constitutividade não-essencial dos humanos—, e consultá-los acerca de qualquer coisa. Mas para quem ainda não viu Quem está acima deles, devo apenas dizer uma coisa mais: Os astrólogos do oriente, vieram de longe seguindo um estrela, apenas para descobrir que a procura termina quando a gente acha o Sol da Justiça, ainda que com cara de criança, deitado numa manjedoura! Depois do Emanuel, fica penas um céu estrelado! E Glória do Senhor deve ser vista no esplendor do Firmamento! E Deus deve ser adorado no coração! Nele, que é o Sinal da Salvação, Caio