Português | English

Cartas

É O BEM A QUALQUER CUSTO? ou tenho que ver?...

É O BEM A QUALQUER CUSTO? ou tenho que ver?...



Caio, acabei de ler o seguinte e tenho algumas dúvidas. Aí vai, é seu texto sobre coisas que fazem mal quando a gente faz o bem... mais ou menos isso. ______________________________________________________ As afirmações abaixo são verdadeiras. E se você gosta de evitar fazer o mal, não leia. Caso você deseje fazer o mal, leia. Se você é bom, leia com atenção. Pode ser que você mude de idéia acerca de você mesmo. Havendo dúvida, leia assim mesmo. Havendo certeza, não perca seu tempo. Leia outra coisa. Não havendo nada para fazer, faça o bem. Se você não sabe o que é bom, olhe no espelho, abra a janela, beba água, ande, coma, beba, ame, e não se sinta culpado por gostar dessas banalidades. Faz bem! Preparado? Não fique demais. Não há nada maravilhoso e nem tampouco novo sendo escrito aqui. Leia então! 1. É mal fazer o bem para todo aquele que é mau. Ele o odiará pela maldade de seu bem. 2. É mal pensar o bem acerca de quem só concebe o mal. Ele usará você sem escrúpulos. 3. É mal desejar que o Bem aconteça a quem o inveje por você ser bom. Ele o julgará superior e o invejará com todo ódio. 4. É mal realizar o bem a quem tem complexo de inferioridade em relação a você. Ele crerá que você o está humilhando. 5. É mal não fazer nada de mal a quem só deseja o mal a você. Ele não agüentará a sua não resposta às provocações. 6. É mal ajudar o covarde quando está em desvantagem. Ele pensará que você é cúmplice. 7. É mal fazer o bem aos que tudo vêem como impuro. Sua bondade será interpretada como frouxidão. 8. É mal fazer o bem aos que o adulam. Eles pensarão que sua bondade é pagamento e tentarão ampliar os negócios com sua alma. 9. É mal fazer o bem a quem não ama. Ele nunca acreditará em você. 10. É mal fazer o bem a quem cobiça. Ele desejará seu bem a serviço dos interesses dele. Bem, já que é assim, dê uma surra de bondade no mundo! Transgrida esses princípios sempre. Será para o seu Bem. Espero que você seja incorrigível. Seja esse pecador. Peque esse pecado. Sofra desse mal. Você está condenado! Graças a Deus! _______________________________________________________ ----- Original Message ----- From: É O BEM A QUALQUER CUSTO? Ou o custo determina se devo fazer o bem? To: Pr. Caio Fábio Sent: Friday, December 30, 2005 2:09 PM Subject: O bem a "qualquer custo" ou o custo determina se devo fazer o bem? Graça e paz, Caio. Fui criado na Assembléia de Deus, que em 99% dos casos se preocupa mais com a forma do que com a essência... mais com a aparência (roupas, coques, brincos e etc), do que com ser sal e luz. De uns tempos pra cá, tenho lido quase que compulsivamente o seu site... tenho aprendido bastante e tenho crescido bastante... tenho entrado em crise (mas crises que me levam ao crescimento), principalmente pelo fato da minha origem eclesiástica e pq estou descobrindo que o evangelho de Cristo, contradiz muito do que eu tinha como verdade absoluta... tenho tido o santo de privilégio de pensar, o que, se somos francos o bastante, não é costume da grande "massa" evangélica... atuamos no regime do "embrulha e manda"... o que o Pastor fala, tá falado; eu nem preciso refletir sobre isso... questionar?... o que é isso, é uma heresia! Mas vamos ao que interessa é que é o motivo desse e-mail. Acabo de ler a reflexão: Coisas que fazem mal quando você faz bem. E aprendi bastante com essa reflexão... mas fiquei com uma dúvida: no fim das declarações você diz: "Bem, já que é assim, dê uma surra de bondade no mundo!” “Transgrida esses princípios sempre.” “Será para o seu Bem." Quero entender. O que você quer dizer? Que devemos praticar o bem, mesmo que esse bem seja entendido como mal pelos outros? Ou que devemos, antes de fazer o bem, analisar como ele será recebido pelo outro? Fiquei com essa dúvida: O bem a "qualquer custo" ou o custo determina se devo fazer o bem? Aguardo a sua reposta e manterei contato para perguntar mais e crescer mais na graça através da graça e do conhecimento que o Senhor tem depositado sobre ti. Graça, paz e crescimento n'Ele. Abração ______________________________ Resposta: Meu querido amigo: Graça e Paz! Não! Não há barganhas a fazer com o bem ensinado como Vida por Jesus! Sim, Jesus disse que era para ser praticado até contra-em-favor do próprio inimigo declarado. E mais: nesses casos, a recomendação é para que se o inimigo tiver fome, que a ele se dê de comer; se tiver sede, que a ele se dê de beber; porque assim fazendo se cria uma acumulação de “brasas vivas” na consciência dele. Ou seja: as “orelhas dos Malcos” precisam ser curadas, se se pode curá-las, mesmo que eles sejam os que foram enviados para nos prender! O que Jesus recomenda, entretanto, é que sejamos sábios e tenhamos bom senso em todas as coisas. Também diz pra não lançar perolas aos que se fazem porcos pelas escolhas preferenciais das babugens desta vida. Jesus mandou, em alguns casos, ficar em silencio, como Ele mesmo fez. No entanto, mesmo no silencio de palavras, aquilo que é o bem do Evangelho, não deve jamais ser supresso como gesto e ação pró-ativa em favor de todos os homens. Por outro lado, não há nas “recomendações feitas”, nenhum convite à bondade chata, persecutória, insistente, vigilante, que anda no encalço, e que se não for rejeitada em razão da natureza perversa ou preconceituosa de quem ouve, correrá o risco de o ser rejeitada em razão da chatice de alguns, que desejam fazer bondade como estupro da vontade alheia. Você vê Jesus andando sem jamais se desviar de Seu próprio caminho. Ninguém jamais conseguiu faze-lo agir de outro modo. Não há seletividade no mandamento do amor, que é devido a todos os homens, mesmo àqueles que não crêem em nada. Sim, porque tal forma de amar não se condiciona a nenhum resultado; tipo: amá-lo até que ele se converta... Pois, nesses casos, tal amor não é amor; mas sim estratégia de seita, que ama até seduzir; e depois o cara vira parte do pacote, quando então se diz acerca dele que ame a quem manda nele, e, aos outros, os “de fora”, que ame de modo “evangelístico”; ou seja: artificial. Jesus mandou amar a quem aceita e a quem rejeita. Ele disse que os pagãos é que amam no sistema de barganha; ou seja: amam apenas os que os amam e tratam bem. O mais, meu irmão, é saber que fomos e somos enviados como ovelhas para o meio de lobos; e que entre eles, os lobos, estranhamente, a ovelha mais segura é justamente a que anda distraída e anda seu próprio caminho de bondade e mansidão. A segurança da ovelha do Pastor Jesus, que é Quem nos guarda entre os lobos, é que a ovelha jamais troque o amor sincero, como forma de ser, abraçando os modos do lobo; pois, nesse caso, virando lobos com os lobos, perdemos a proteção do Pastor, o qual, não é Pastor de lobos, mas de ovelhas corajosas e que não mudam ante o lobo; pelo contrário, mesmo em sua presença reafirmam sua natureza de ovelha do Pastor Jesus. Receba meu abraço e meu carinho! Nele, em Quem o amor não tem barganhas a fazer, Caio