Português | English

Cartas

Dois deprimidos em casa!

Dois deprimidos em casa!

-----Original Message----- From: Deprimida Sent: sexta-feira, 8 de agosto de 2003 To: contato@caiofabio.com Subject: Deprimida Mensagem: Querido pastor, Sofro com muita depressão, e a única satisfação que eu tenho e de acessar seu site, pra ler alguma coisa pra levantar meu astral. Não sinto muito ânimo de falar de mim mesma; tô te escrevendo, por causa do meu marido que perdeu a mãe há alguns meses, e anda com algumas atitudes um pouco estranhas, colocando a aliança que foi do pai dele (também falecido); dizendo que se casou com a mãe... Sei que ele está sofrendo muito, não aceita o fato dela ter morrido, ele fala que também tem vontade de morrer... Estamos casados há 26 anos , temos filhos maravilhosos, uma neta, nos damos bem, mas essa tristeza dele, acaba comigo; e eu não sei como ajudá-lo. Me dê umas palavrinhas pelo amor de Deus... Admiro o modo como fala, sem rodeios, sem hipocrisia... Desde já agradeço sua resposta. **************************** Resposta: Minha querida: Seu marido precisa de psicoterapia. Há irresoluções na alma dele. Luto pelos pais, é uma coisa. O que ele está fazendo, todavia, revela mais que saudade, revela doença. Não sei se ele vai aceitar a sugestão. Homem, em geral, prefere uma boa doença que uma boa terapia. Mas não fique achando que você está casada com um doido. Quando a gente não trata das sombras da gente durante o caminho, em geral, elas vêm assombrar a gente numa hora dessas, quando as perdas já são irreversíveis, e as culpas se afloram pelo que não foi resolvido na Estrada. Você também está precisando de ajuda médica. Sugiro que você vá primeiro, que dê o exemplo, que se exponha ao tratamento, e, então, possivelmente, o coração dele se abrirá. O problema é que dois deprimidos fazem a retro-alimentação da depressão, criando um clima depressivo na casa toda. Você tem que quebrar esse ciclo. Energias passam no convívio. Até o cheio das coisas fica impregnado pelo odor da depressão. Portanto, seja bem prática. Não fique aí sentada. Procure um bom psicoterapeuta em sua cidade, e busque ajuda. Enquanto isto, vá trocando umas informações comigo, certo? Um grande e carinhoso beijo. E que o Consolador se derrame sobre a vidinha de vocês. Nele, Caio