Português | English

Cartas

DISSERAM QUE EU ESTAVA EM ADULTÉRIO ATÉ COM MEU MARIDO

DISSERAM QUE EU ESTAVA EM ADULTÉRIO ATÉ COM MEU MARIDO



Olá Caio, Que a paz de Cristo continue iluminando seu sorriso! Já fui “andarilha” e hoje estou começando no Caminho (em Brasília). Caio, já fui casada, separei-me oficialmente duas vezes (do mesmo marido), e hoje estamos divorciados. Na ocasião da primeira separação consensual, ficamos separados alguns meses e depois ele pediu para voltar. Aceitei por causa dos filhos, que fizeram muita pressão. Pois bem, ficamos 1 ano e 9 meses juntos, e nesse período eu ouvia os "conselhos" que diziam que era “errado” estarmos juntos, pois muito embora tivéssemos reatado os laços conjugais, oficialmente ainda estávamos separados, e, conseqüentemente, estávamos em adultério! Aquilo me perturbava, e então peticionamos ao juiz para restabelecer a situação de casamento. Hoje vivo outra situação. Estou divorciada oficialmente, tenho alguém, e temos pensado em nos casarmos. Meu questionamento é: Na sua visão, devemos realmente oficializar essa união para não estarmos irregulares diante de Deus e dos homens? Em caso positivo, é necessário mesmo fazermos o casamento religioso? Deus não abençoa a união se ela for somente oficial? O rito religioso não seria apenas uma satisfação aos familiares e comunidade? Eu não gosto dessa coisa de cerimônias e festas de casamento, principalmente se for meu! Sou tímida...mas, se isso for determinante para ficarmos dentro da vontade de Deus, assim faremos! Não bastaria uma benção feita dentro de um gabinete pastoral? Aguardo sua palavra amiga! Obrigada mais uma vez e um grande abraço! ________________________________________________________ Resposta: Querida amiga: Graça e Paz! Veja até onde vai o legalismo. Até refazendo o vínculo com o pai de seus filhos, seu marido e “ex” pelas circunstâncias de então, “eles” disseram que era “pecado de adultério” a conjugalidade não oficial. E olhe que estamos falando de um vínculo com seu ex-marido oficial e, então, marido real, pai dos filhos, etc... Para mim, quanto mais vejo e ouço, mais certo fico de que essa coisa toda é muito louca, e que as pessoas perderam o bom senso por completo. Que loucura! Vamos às suas questões: Na sua visão, devemos realmente oficializar essa união para não estarmos irregulares diante de Deus e dos homens? Resposta: Minha querida, casamento, diante de Deus, é a união responsável de um homem e uma mulher. Isto pode acontecer onde ambos se sentirem bem, e pode acontecer de modo “informal” ou “formal”, dependendo do desejo de ambos—até porque a legislação atual dá valor a toda e qualquer forma de relação estável, a qual, em si, já constitui casamento para fins legais. Essa cerimônia de casamento que conhecemos é uma invenção muito recente na história, e é fruto de convenções humanas em sua forma. Deus não é dono de cartório. Para ele só se casam os casados. Os que não são casados no coração, mesmo que se casem, não se casam diante Dele. É no coração o único lugar onde pode haver casamento. O mais é conveniência social, legal e prática. Mas não tem nada a ver com Deus, mas apenas com nossas praticidades humanas. Em caso positivo, é necessário mesmo fazermos o casamento religioso? Resposta: Já respondi acima. Faça conforme vocês se sintam bem e seguros. Adultério a gente comete até com o esposo, caso não se o ame e se viva com ele com o coração distante dele, ou imerso em fantasias. Deus não abençoa a união se ela for somente oficial? Resposta: Deus abençoa o que é verdadeiro. E o verdadeiro não é assim feito nem pelo pastor, nem pelo juiz, nem pelo cartório. O verdadeiro acontece no coração. Deus vê o coração. No entanto, corações que se amam, e que têm em seu favor a conveniência do casamento formal, normalmente celebram-no com grande prazer. O rito religioso não seria apenas uma satisfação aos familiares e comunidade? Resposta: Sim, se não houver vontade interior de o realizar será apenas uma “convenção”, uma média para os outros. Deus não tem nada a ver com isto. Eu não gosto dessa coisa de cerimônias e festas de casamento, principalmente se for meu! Sou tímida...mas, se isso for determinante para ficarmos dentro da vontade de Deus, assim faremos! Não bastaria uma benção feita dentro de um gabinete pastoral? Resposta: Basta haver amor sério e responsável, e muita vontade de que seja bom para todos. A benção de Deus habita o lugar onde há união de almas. Me procure lá no “Caminho da Graça” que a gente fala. Tá bom? Aguardo! Nele, para Quem o que vale é a verdade, Caio Escrito em 2004