Português | English

Cartas

DEVE HAVER UM RESGATE A SER FEITO EM MINHA SEXUALIDADE

DEVE HAVER UM RESGATE A SER FEITO EM MINHA SEXUALIDADE



-----Original Message----- From: DEVE HAVER UM RESGATE A SER FEITO EM MINHA SEXUALIDADE Sent: segunda-feira, 15 de dezembro de 2003 19:52 To: contato@caiofabio.com Subject: ENQUANTO ISTO, CEDI A UM AMIGO GALINHA Mensagem: Querido Pastor Caio, Deus sabe quantas vezes fui abençoada através das suas pregações. Não escrevo esta mensagem para pedir conselho, pois bem sei o devo fazer. Escrevo na esperança de os seus comentários possam trazer luz ao meu entendimento. Tentarei ser breve, mas será um desabafo, também. Tenho 42 anos e dois filhos adolescentes. Estou separada (divorciada) há mais de 5 anos. Meu ex-marido era uma pessoa muito ciumenta e chegava a ser agressivo por causa disso, embora no final do casamento ele não precisasse de desculpas para me humilhar e me agredir com palavras. Nos separamos por ele me agredir fisicamente! Fui uma esposa honestíssima, andava pelas ruas de cabeça baixa e me vestia de forma a não chamar atenção, pois acreditava que esse deveria ser o meu papel e também para não criar problemas. Ficamos casados quase 11 anos, e isso tudo porque com uns 3 anos de casados me converti e acreditava que Deus faria uma obra no meu casamento. Isso é que era fé! Bem, a nossa vida sexual era horrível, para mim era um sacrifício, sempre que podia fugia... Acabei virando um ser assexuado, não tinha a mínima vontade, nem com ele, nem com ninguém… Não que eu não obtivesse prazer, até tinha, mas eu falo de vontade, tesão, sabe? Enfim nos separamos—me perdoem as irmãs de oração!—graças a Deus! Uns anos depois de separada me apaixonei por um homem. Foi o romance mais lindo que vivi na minha vida, mas não deu certo, pois ele se mudou para outro estado. Vou poupá-lo dos detalhes... Vi que eu era uma mulher que tinha desejo, uma mulher normal... Isso aconteceu há 5 anos. Desde então fiquei só. Pastor, é muito difícil. Não pensei que fosse tanto. Mas estava resolvida a “esperar no Senhor”; isso era a minha esperança e a força para eu continuar. Mas, para a minha surpresa, aconteceu o inesperado. Tenho um amigo muito querido, que me dá muita força, mas que sempre se mostrava interessado por mim como mulher; via no olhar dele, e isso enchia a minha bola . Nunca levei a sério porque, primeiro, ele é casado; segundo, achava ele meio galinha. Enfim gostava dele para conversar, rir, mas nunca saí com ele, apesar de ele convidar insistentemente... Não saía para não dar brecha. Até porque ele é intelectualmente muito inferior a mim, e digo isso sem preconceito; o fato que isso não me atrai. Porém, eu não agüentei... Há três meses não sei por quê e nem qual foi o momento, a carência, ou a loucura tomaram conta e eu saí com ele. Primeiro só nos beijamos. Como foi bom! Como é bom beijar na boca! Que saudade! Bom, depois de um tempo acabamos ficando juntos. Quase pirei de culpa, de remorso e principalmente por não entender nada: O que eu, uma mulher bonita, inteligente, bem de vida, que poderia sair com homens interessantes, que tinha ficado fechada tanto tempo, de repente…estava fazendo com ele? É horrível! É maravilhoso! Estou me redescobrindo como mulher. Eu sei o que eu tenho que fazer: acabar esse relacionamento ridículo e pecaminoso. Só não quero agora, hoje. Depois que resolvi deixar de me concentrar na culpa que eu sinto, por causa de ele ser casado, e me concentrar em entender o por quê, já nem tenho estado tão obcecada por ele; já consigo olhar para ele e voltar a ver o meu amigo e não um homem com quem me relaciono (ele só não pode me tocar, aí não dá…) Mas eu sinto que tudo isso é algo maior. Eu acho que tenho algo que resgatar dentro de mim, algo para entender, algo que eu pensei que estava curado, mas que ainda não está... Não consigo saber o que é. Minha amiga íntima, com quem desabafei em um momento de muita dor, disse que se Deus permitiu há um motivo para isso. Quero descobrir que motivo é esse, pois sinto que é algo de dentro da minha alma. O que o senhor acha? Um abraço de uma pessoa que não o conhece mas que confia no senhor. ___________________________________________________________ Resposta: Minha querida irmão: Graça e Paz sobre você! Tudo o que você descreveu faz parte da normalidade constitutiva de qualquer ser humano na Terra. Sem que se tenha sido vocacionado para a abstinência sexual—seja por Deus ou pelo amor—, o normal é sentir desejo, e querer ter prazer e alegria pela via, também, do encontro homem-mulher. De fato, não dá pra imaginar uma mulher normal, que não tenha tido um chamado celibatário, e que não tenha dado seu coração e sua alma a um homem com amor verdadeiro e único, não sentir a necessidade e a vontade de ter alguém, ou mesmo de se relacionar com algum homem. Até aí certo e normal. O que me dá pena é ver você se entregar a esse “meninão”. Digo meninão porque nunca conheci um único galinha que não seja um crianção, um bobo e um imaturo. Você merece coisa melhor! Você precisa se tratar bem melhor! Em toda a minha vida nunca encontrei um único galinha que não sofra de infantilismo crônico. De fato, nunca gostei dos galinhas. Há algo neles que gera um certo repúdio em mim. Entendo tudo e todos. Sei das carências humanas e que acidentes acontecem com qualquer um. Mas o galinha não sofre acidentes. O galinha é o acidente. E mais: é um acidente idiota. É como escorregar numa casca de banana entrando num palácio em noite de gala. Minha querida, com tanta gente boa por aí, por que você não dá uma chance genuína ao seu coração? Por que você não fica sem esse “menino” e espera a hora em que vai aparecer um homem? Não se desperdice nesse parquinho de diversões infantis. Não jogue fora a sua própria beleza dando-se a um cara que tem dois prazeres: um é possuir, o outro é contar aos melhores amigos a quem possui, como possui e como é que faz quando possui. Conheço muitos galinhas. São bobos, idiotas sem recato, que vivem de propalar suas conquistas de mulheres carentes, e que adoram contar como têm suas freguesas disponíveis quando eles querem. Pelo amor de Deus! Trate-se melhor! Acompanhada por esse “bozo” você não vai estar livre quando a verdadeira oportunidade passar... Todo galinha vive de “amizades”. Eles são engraçados. Adoram fazer rir. Contam até alguns casinhos. Falam tudo como coisa leve, sem conseqüências...A vida é descrita por eles como algo sem peso. Sexo é apenas uma “massagem” bem feita. É um prazer que ninguém precisa sonegar a si mesmo. Não cai o pedaço. Para que tanta gravidade? (é a indagação do galinha). E quando atacam, o fazem sempre entre graças e ações leves... Vão entrando como quem brinca. Falam do desperdício que é aquela coisa linda estar ali sem ser aproveitada e sem aproveitar. E se protegem dizendo: ”Deixa disso. Eu sou casado. Eu não posso me comprometer. Não fique preocupada. Mas por que dois amigos não podem dar prazer e alegria um para o outro?”—sei que assim que essas figurinhas agem. O que estou dizendo é que você merece coisa melhor que esse franguinho bobo, engraçado e inseguro. Os galinhas são frágeis e frouxos. Nunca conheci um galinha realmente macho. Um cara que banque as coisas quando elas acontecem. Os galinhas precisam dessa afirmação de variedade de parceiras sexuais a fim de não caírem na Síndrome do Pânico. O galinha sofre da eterna Síndrome de Peter Pan. Quanto ao que sua amiga disse, sobre o resgate de algo maior em você, sem dúvida. Há uma mulher em você louca para descobrir e ser descoberta, não apenas sexualmente—provavelmente depois que você encontrar a pessoa certa, descobrirá que tudo o que teve até hoje e quase-nada, é a mesma coisa—, mas na totalidade de sua vida afetiva e emocional. Todavia, o galinha não levará você a lugar nenhum que não seja uma granja. A fim de encontrar e resgatar dimensões importantes e que estiveram adormecidas em você, por favor, prepare-se para isto, e, entre outras coisas a fazer, a primeira a fazer é mandar esse bobinho de volta para o poleiro dele. Desculpe a força e a ironia das palavras, mas é que repudio homens adultos que ficam usando mulheres descomprometidamente, e que o fazem como quem as coleciona, e que vendem esse tipo de encontro como se fosse uma espécie de terapia de amizade. Então, minha querida, creia que há muito em você para ser “resgatado”, e que isto acontecerá ao lado de alguém a quem você ame e que ame você. Todavia, ao lado desse franguinho, você achará em você apenas uma mulher carente, e que brinca gostoso de divertir com um carinha que é apenas um meninão com necessidade de brincar de sexo com tantas mulheres quantas ele possa encontrar na vida. Portanto, minha carta a você tem duas finalidades. Primeira: Dizer “Sim”. Há algo bom e resgatador para a sua vida. Segunda: Dizer “Não”. Há alguém que não seja um bobinho para entrar na sua vida. Portanto, prepare-se para encontrá-lo. Nesse momento de transição não vai dar para ficar brincando de amizade com o moço. Sei até como ele fica de galinhagem nessas horas. Sempre “brincando” de “deixa isso pra lá...sei que você está querendo...pra que sofrer?—e coisas assim. Tudo com muito bom humor e sem sentimento de rejeição. Afinal, ele já está no lucro, pois, do ponto de vista dele, ele já tirou um nhaco de você e já incluiu você no currículo. Então,querida amiga, mande o menino dar uma volta e fique quieta: um homem vem aí! Nele, que nos salva para uma vida com finalidade em tudo, Caio