Português | English

Cartas

DE VOLTA PARA CASA--de Luiz de Jesus

DE VOLTA PARA CASA--de Luiz de Jesus

-----Original Message----- From: Luiz de Jesus Sent: quarta-feira, 31 de março de 2004 18:02 To: contato@caiofabio.com Subject: De volta para csa (Crônica) Crônica criada em uma madrugada triste. Dedico á todos aqueles que se separaram momentaneamente de seus entes queridos. Embora fictícia, nela está expressa minhas convicções pessoais baseadas em dois textos bíblicos: " O corpo volta para o pó da terra e o espírito volta para Deus, que o deu." " Se esperarmos em Deus, somente nesta vida, somos os mais miseráveis de todos os homens." I Co 15 Em especial ao Rev. Caio Fábio Abraços fraternos do amigo e irmão, Luiz de Jesus® _________________________ De volta para a casa ( Crônica de Luiz de Jesus®) Querido (a), bom dia... boa tarde... boa noite!!! No lugar onde me encontro agora, o tempo não existe e por isso nem imagino que horas são... O que são horas? Oras, deixa isso pra lá!!! Como é passageira a vida! Como sou passageiro da vida! Infelizmente meu frágil corpo mortal, não resistiu ao destino... Digo infelizmente, para vocês que ficaram... Alguns chamam o destino de acidente... outros de fatalidade... infortúnio... enfim.... a verdade é uma só... Ninguém quer partir... Ninguém aceita a partida de outrem... O motivo disso é porque somos seres criados, para vivermos eternamente... Sinto lhes informar, mas desde o dia em que nascemos, já temos um dia determinado para partirmos... pena que não damos conta disso... Querido (a), se eu te pedir para não chorar... sei que não me ouvirá... pois hoje os seus ouvidos estão abertos apenas para ouvir a matéria... Confesso que ao ver o meu corpo, frio... sem vida... sem o fôlego da vida (espírito), é realmente impressionante... Mas eu não estou mais aí!!! É apenas o meu corpo que usei aí nesse mundo, durante a minha breve peregrinação... Corpo que foi meu templo... morada do meu espírito... residência da minha alma... Corpo que não era a minha forma e nem tão pouco a minha a essência... Um corpo apenas... Simplesmente mortal!!! Aliás, quantas vezes me achava apenas um corpo... Agora ao me ver aqui do outro lado, vejo o quão insensato (a) eu fui, querendo deixar em forma o meu corpo e ao mesmo tempo deformando o meu espírito... Mas chega de falar de morte... Quero falar de vida... Há vida depois da morte? Há morte... Há vida... Pense nisso querido (a), se a morte é o destino de todos nós... ou seja... Se caminhamos em sentido da morte... logo a morte é o sentido da vida... Simples não?... Para quem voltou para casa sim... para quem ficou não! Agora vou lhe falar de Deus, o Pai, sim, vou lhe falar um pouco do Papai... Pai das luzes... Pai de todos os espíritos... Quão injusto (a) eu fui com o Pai, na minha insensatez... Culpando-O por Ter algumas vezes, "tirado" pessoas tão preciosas da minha vida... Quantas vezes fiquei magoado (a) com Ele... Pois só via a matéria (corpo mortal)... Às vezes entre ferragens... às vezes perfurado... às vezes sobre um leito... entre as chamas... sobre as águas... Agora entendo claramente... que todas aquelas situações, nada mais eram do que um chamado do Pai dizendo: "Filhinho (a), está na hora de voltar para casa... Você já brincou bastante nesse mundo... Cumpriu sua missão..." Talvez alguns filhos até relutassem dizendo: Ah Pai, só mais um pouquinho... Mas o Pai determinado responde: "Filhinho (a), vamos voltar para a casa, pois lá é o lugar que o Papai preparou para você..." É compreensível que o momento do chamado, sempre nos choca... porque estamos muito presos á matéria (corpo físico)... Mas o chamado, é o mesmo para todos... Ricos... pobres... negros... brancos... enfim... todos os mortais!!! É o chamado do Pai... um chamado de amor... Não importa aonde você esteja... na terra... no mar ou no ar... Este mundo não foi feito para sua morada... Este mundo não é o teu lar... Há ainda aqueles mais apressadinhos, que partiram para cá antes do Pai chamá-los... Se magoaram...sofreram fora de casa e na fraqueza de suas almas, resolveram voltar por si só... Estes foram advertidos... Tomaram uma pequena bronca do Papai... Ouvi um desses apressadinhos ser advertido... Papai dizia o seguinte: "Filho, se Eu o coloquei naquele mundo imperfeito, não foi por acaso, mas para uma missão... missão que era só sua... e nessa missão estava incluso as provações... eu te capacitei para isso... Você não tinha o direito de voltar, sem que eu te chamasse... Você perdeu ricas oportunidades de fazer outras pessoas felizes... inclusive através do seu sofrimento... foi egoísta olhando só para o seu sofrimento... Esqueceu que a sua passagem naquele mundo, era momentânea... temporal e passageira... Mas a Lei que rege esta casa é o Amor... e neste amor você está perdoado..." Querido (a), aqui parece um sonho... mas é a mais pura realidade... A tristeza aqui não aparece nunca... Aqui não há problemas, dá pra acreditar?Assim que você chega... o Pai já está te esperando e imediatamente enxuga dos seus olhos toda lágrima... Você está em todo o tempo na presença d’Ele... É maravilhoso!!! Aqui você não ouve nenhuma criança chorando de fome... não vê nenhuma das drogas que aí nesse mundo as consome... Não vê injustiça com idosos... que aí chamam de aposentados... Não há detentos fuzilados ou mendigos queimados... Não há mulheres pousando nuas... muito menos chacinas de meninos de rua... Nesse mundo o Papai é o Presidente... Justo e Fiel... por isso a corrupção aqui não tem lugar... Aqui encontrei todos aqueles que partiram antes de mim... que guardaram a sua esperança do princípio... até o fim! Ah! Antes que você me pergunte, ele (a) está aqui sim... Está desejando que você seja muito feliz... embora ele (a) saiba que a verdadeira felicidade se encontra aqui, pois a felicidade do mundo onde viemos, é momentânea...temporal e passageira... Estamos aqui...vivendo a tão sonhada eternidade... temos uma eternidade pela frente... aguardando o dia em que o Pai irá chamá-lo (a), para juntar-se a nós... Mas não tenha pressa... cumpre bem tua missão... que é amar e respeitar o teu semelhante como a ti mesmo... Querido (a), não digo que estou com saudades... pois a saudade neste lado foi abolida antes da fundação do mundo... digo sim, que estou com a esperança que irei lhe encontrar...Fique e permaneça em paz. Do seu... Da sua...Querido (a) "Preciosa é aos olhos do Senhor, a morte dos teus santos".