Português | English

Cartas

CULPA DE MEDITAR…

CULPA DE MEDITAR…

 

 

 

 

 

 

 

---- Original Message -----

From: CULPA DE MEDITAR…

To: contato@caiofabio.com.br

Sent: Wednesday, December 19, 2007 08:18

Subject: Tao Te Ching

 

Olá Caio

 

O senhor já leu o Tao Te Ching?

 

Li que o Sadu Sundar Sing era um cristão sem nunca ter abandonado por completo seu lado "místico".

 

Tenho ficado em paz com isso, pois gosto de meditar e das filosofias orientais.

 

Grata

 

Iara

_____________________________________

 

Resposta:

 

 

Querida amiga no Reino: Graça e Paz!

 

 

 

Sua carta é até engraçada para quem cresceu pensando que meditação era coisa de discípulo de Jesus e não apenas um privilégio de monges orientais.

 

Entretanto, considerando o que “os protestantes e evangélicos” fizeram da vida espiritual, fica fácil entender a sua quase busca de permissão para gostar de meditar.

 

Li Sadu Sundar Sing no meu primeiro mês de fé, e sempre achei normal que ele jejuasse e orasse; se recolhesse em meditação e entrasse em êxtases; além de se vestir como um “sadu” indiano — homem santo.

 

Todavia, naquele tempo, gente piedosa e apaixonada por Jesus fazia essas coisas na vida intima e pessoal. Meu pai fazia. Israel Guerra fazia. Antonio Elias fazia. Eu passei a fazer...

 

Sadu Sundar Sing não ficou com o pé no oriente religioso. De fato ele sofreu demais por não ter feito qualquer sincretismo ou adaptação. Tudo nele tinha a ver com Jesus e com o Evangelho, e não com uma tentativa de aprender com os monges hindus. Ele orava, jejuava e meditava porque aprendera isso com Jesus. E vestia-se como um “sadu” de modo deliberado, pois desejava diminuir o “espaço cultural” entre a pregação [feita por ingleses] e o público a ser alcançado [hindus de crença na sua maioria].

 

Lamento muito que você seja de uma geração que quase só conheceu cristãos nervosos e medrosos em relação ao silêncio.

 

Silencio para “crente” é coisa do diabo!...

 

“Crente” busca mesmo é “agito”, não quietude. Aliás, se ficar calmo e quieto “eles” buscam logo um lugar de muita pulação e devoção aflita.

 

Infelizmente a maioria de sua geração pensa que meditação é coisa de oriental. Infelizmente também crê que meditar é coisa que nada tem a ver com o Evangelho e com Jesus.

 

Sim! Já li muita coisa dita por hindus, maoístas, budistas, etc. Entretanto, nunca o fiz como quem busca “ajuda”, mas apenas compreensão da mente e da cultura de tais pessoas; pois, para mim, toda meditação é conforme Jesus praticou nos evangelhos: entre silencio e serviço prático às pessoas e à vida.

 

Sou discípulo de Jesus no conteúdo e no modo também. Assim, é lendo a Palavra que encontro todo estimulo que preciso para meditar e estar em silencio mental diante de Deus.

 

É obvio que há muitas técnicas de meditação ensinada pelos orientais que são bons exercícios para a mente e o corpo.

 

O principio é um só: “Examinai todas as coisas e retende o que é bom”.

 

Entretanto, digo: Olhe para Jesus e você terá sempre mais que tudo!...

 

É importante também saber que a fé em Jesus carrega “mística” embora nada tenha a ver com “misticismos”. Mística é a qualidade daquilo que abraça o imaterial pela certeza da existência do mundo espiritual. Misticismo, no entanto, é a crença na mecânica, no sistema, no ismo da coisa...

 

Assim devo dizer que existe uma mística do Evangelho, e que ela é totalmente anti-misticismo.

 

Tudo o que tem sua ênfase na mecânica das coisas no mundo espiritual não é do Evangelho. Isto porque no Evangelho a ênfase toda recai na relação de amor com Deus e com o próximo. É simples assim!...

 

Receba meu carinho e minhas orações por você!

 

 

Nele, em Quem minha alma repousa em silêncio,

 

 

 

Caio

 

 

19/12/07

Lago Norte

Brasília

DF