Português | English

Cartas

CONFLITOS VOLTAIRIANOS...

CONFLITOS VOLTAIRIANOS...

-----Original Message----- From: Conflitos voltairianos... To: revcaiofabio@terra.com.br Cc: caiofabio@evangelicos.com Subject: Desabafo & Desabafos Olá Pastor Caio...escrevo-lhe com certeza esperando uma resposta, mas confesso que o importante pra mim está sendo este momento em que tenho a oportunidade de sistematizar esses conflitos, que são, a meu ver, sérios; e tem me preocupado sobremaneira. Preciso contar-lhe um pouco da minha vida. Nasci em um lar "Evangélico", e cresci cantando na igreja, sempre me sentindo à margem, olhava a vida das pessoas com admiração...sempre me senti distante do mundo, uma dificuldade incrível de me sentir parte de alguma coisa... Descobri que cantava e comecei a cantar na Igreja...me descobri na música...quando comecei a me profissionalizar, surgiram os conflitos com a igreja, família, amigos e por aí vai... Sofri incontáveis perseguições. Como isso me adoeceu, me fez mal! Nunca me imaginei uma cantora "evangélica", não gosto dessa vertente, não me identifico...acabo sempre ficando no meio do caminho em tudo. Depois de um tempo vim para o Rio...cheia de sonhos, com aquela ingenuidade dos começos, acreditando que realizaria meus sonhos. Comecei a freqüentar o seu encontro no Hotel Nacional, “Rio, Um Novo Momento de Vida”. Suas inesquecíveis mensagens, que até hoje fazem eco em minha alma... Até cantei algumas vezes lá... De lá pra cá tenho passado por várias igrejas, tive um tempo muito pentecostal, muitas decepções com pastores, lideranças, e cá estou eu... Sinto que tenho algo a dizer com minha música, mas meu coração está tão dolorido... Preciso encontrar Deus, preciso descobri-lo... Não me identifico com o Deus das igrejas...é muito interesse, muito legalismo, muita superficialidade...o que faço???? Lendo Voltaire, comecei a questionar o inquestionável, coisas que nunca tinha feito antes... Estou me sentindo seca...amo o meu Senhor, mas por que não sinto o que todos dizem que sentem, os convertidos...?! Convivo com pessoas não evangélicas no meu trabalho... Estou lendo o livro “Deus e o Homens”, de Voltaire, e está dando um nó em minha cabeça... Será que aquilo que ele diz é verdade??? Ajuda-me MEU SENHOR... Não sei se estou me fazendo entender... Obrigada pastor Caio por me ouvir... grande abraço ************************** Sim! minha querida irmã em Cristo: você se fez ouvir e entender! Seu conflito com a música e seu desejo de encontrar sua liberdade de expressão para o seu dom—sem a neurose culposa imposta pela religião—está na base de todos os demais conflitos. Você é como uma mulher que teve que abrir mão do amor de sua vida para cuidar de um velho e ranzinza, que lhe foi dado como marido, por imposição da família. E todas as vezes que ouve falar do amor de sua vida se desespera de saudade do que não aconteceu e de culpa por estar acontecendo, o tempo todo, dentro de você. Ora, nesse espaço, tudo cresce: até pastores aproveitadores e até Voltaire! Voltaire está certo sobre “Deus”. “O Deus” fabricado pelo “Cristianismo” nunca ressuscitou dos mortos. Mas Voltaire está errado em relação a Deus, a Quem ele conheceu apenas como rejeição do “anti-Deus”, que é a perversão da realidade de Deus que ele denuncia. Daqui pra frente saiba de uma coisa: quase todas as denuncias feitas contra “Deus” estão certas. Nenhum denuncia feita contra Deus está certa. Entendeu? Existe Deus e existe “Deus”. As denuncias feitas contra “Deus” estão certas porque dirigem-se ao “Seu” suposto “representante ocidental”, a Religião Cristã, que é indefensável. Aliás, esse “Deus” só tem Estado, sedes, escritórios e franquias aqui no Ocidente. No Oriente “Ele” não emplacou. Perdeu para a “concorrência” de Buda e Maomé. Para o povo de lá o Nirvana era melhor—morte na certa, mas existência terrena garantida—e Alá, restrições na Terra, mas um Paraíso glamoroso garantido para quem rezar cinco vezes por dia. As denuncias feitas a Deus são puras e Ele as entende. Geralmente vêm de mães aflitas, pais angustiados, filhos órfãos—gente que na angustia do desamparo não sabe o “por quê” do que lhes está acontecendo, e ergue a voz contra a céu. Deus ouve e acolhe seus gemidos e perplexidades como oração! Mas as denuncias dos “filósofos” são sempre contra “o Deus” que é usado pelo “Cristianismo” a fim manter o povo sob subserviência, com o intento de exercer o poder de dominação em nome “dessa divindade”, que no Ocidente é chamada de “Deus”, “God”, “Dios” e “Theo”—de onde vem mais uma idolatria, a Theo-logia. Isto porque Deus—Deus mesmo!—não está ao dispor dos filósofos para discussão. Eles, por mais aguaçados que sejam em suas percepções, não O conheceram por sua própria sabedoria. Daí a sabedoria dos sábios deste mundo ser louca em relação a Deus, e ser bastante pertinente em relação “ao Deus” que eles objetivamente atacam; afinal, Deus não, mas o “Cristianismo” é um ente objetivamente atacável, e muito fácil de ser atingido—até porque é um dos últimos representantes de “divindades” manterem um “Estado Político” para o “Deus”. Ame o Filho do Homem, que não tinha onde reclinar a cabeça. E você encontrá descanso para sua cabecinha hoje tão conflituada! Se você mora no Rio, apareça no Café. E visite sempre o www.caiofabio.com Ah! No Café há espaço para você cantar o que você gosta. Deus gosta de ouvir aquilo que a gente gosta de cantar! Um beijão, Caio