Português | English

Cartas

COMPULSÃO SEXUAL…

COMPULSÃO SEXUAL…

 

 

 

 ----- Original Message -----

From: COMPULSÃO SEXUAL…

To: CAIO FABIO Sent: Sunday, May 11, 2008 10:06 PM

Subject: COMPULSÃO???

  

Olá amigo Caio Fábio!

Espero ter a resposta desta, embora saiba de suas muitas atividades.

Caio, servo de Deus, estou angustiado por uma situação que já perdura por muito tempo em minha vida. Veja, eu sou evangélico, convicto de que Deus existe e que Cristo é seu filho que morreu por nós. Acontece que trago dentro de mim um problema que é só meu e não conto a ninguém. Sou casado, muito bem casado e minha esposa me "satisfaz" quando nos amamos. Acontece que este apetite sexual que tenho não se resume a ela. Cobiço muito as mulheres atraentes e sensuais que passam na rua, visito sites pornográficos e assisto vídeos pornôs. Tudo escondido, é claro. Minha esposa nem de longe desconfia de nada. Nem meus amigos e irmãos. Às vezes acho que sou um compulsivo sexual. Mas tem algo estranho que quero te contar. Veja: quando visito sites pornôs, com fotos e vídeos de mulheres lindas se deliciando com o sexo, sinceramente, enquanto estou excitado, pasme, penso realmente que o sexo mesmo fora do casamento não é pecado. Vejo homens e mulheres sentindo tanto prazer, e eu também, que penso que o sexo, fora do casamento, seria como a vontade saciada de comer uma pizza. Só acho que o parceiro não deverá ficar sabendo, pois aí teria consumado o pecado. Mas quando eu atinjo o orgasmo me vem a sensação de que tudo aquilo é errado e que não vou mais fazer, afinal, tenho uma esposa que nunca me recusa, pelo contrário... Mas passa um pouco de tempo e lá estou eu de novo...

Caio, sei que qualquer orientação que você me der será á luz da Bíblia e aí é que está o problema, conheço a Bíblia e os textos que tratam do assunto. E por conhecê-los é que tenho orado, daí a pergunta: por que Jesus não me atende? Porque não me ajuda a me livrar disto? Estaria eu possesso por algum espírito de prostituição?

Outra coisa: às vezes condenamos os homossexuais, principalmente os  homens, por serem gays, e não acreditamos que seja somente dificuldade de gostar de mulheres, achamos que é descaração mesmo. Mas, francamente, se os gays não têm controle sobre este desejo, eu não posso condená-los; pois, eu também não controlo o meu, com a diferença que eles desejam pessoas do mesmo sexo. Acontece que muitos gays oram incessantemente pedindo para Deus mudar aquela situação e não conseguem; daí a pergunta: porque deus não atende a minha oração? Porque em determinados momentos orei e me comprometi com ele e pedi força A ELE, mas não consigo. Graças a Deus que não sou um tarado que sai por aí pegando qualquer mulher, muito menos contra a vontade delas, mas aqui dentro de mim só eu sei o que faço. E pra finalizar, não quero perder a minha salvação. Porque o sexo é tão gostoso e tão limitado, quando temos que transar só com uma mulher a vida toda? E se é pecado porque este desejo tão grande por outras mulheres? Compulsão sexual existe mesmo? Por favor, me responda. Abraços.

_____________________________________

 

Resposta:

Meu amigo: Graça e Paz!

Independentemente do fato de você poder ter ou não uma produção hormonal exagerada e que precisa ser clinicamente verificada, devo dizer a você que no seu caso há mais do que estimulo hormonal.

Sim! Há vício!

Vício sexual ou de lascívia sexual é algo mais poderoso do que a maioria dos vícios; pois, de fato, a droga é você; o traficante é você; o usuário é você; e o suprimento é ilimitado, pois é do tamanho do poder de fantasiar.

Em geral tudo começa em um adolescente sem muita liberdade em relação à sexualidade; o qual, sentindo-se culpado em razão dos estímulos da puberdade; e que, em razão disso, e também pela culpa, passa a masturbar-se de modo angustiado; o que pode gerar em alguns casos profundas alterações na estrutura do cérebro; e, como conseqüência, faz o sentir sexual se tornar tanto nervoso quanto intenso e compulsivo — e, assim, cada vez mais crescentemente intenso, em razão de que o cérebro começa a se modificar... Ora, como resultado, o cérebro passa a demandar o estimulo que com freqüência a prática do exercício sexual culposo deflagra nele; e com o passar do tempo, isto tornar-se algo de natureza constitutiva na produção dos estímulos cerebrais.

Aí o laço está armado!

Ora, essa é a dimensão cerebral e química de tal vício!

Entretanto, tudo é deflagrado pelo processo psicológico de natureza sexual culposa!

No entanto, com o passar do tempo, a pessoa não consegue mais a sentir culpa com tanta freqüência a repetição. Então, a tendência é ir para o pólo oposto; que é exatamente na posição psicológica na qual você está agora; ou seja: dando até idéia para Deus acerca do que deveria e não deveria ser nessa área.

Esse tipo de platonismo erótico é comum em pessoas de dois tipos: a) aquela que teve seu modo de vida; b) aquela que viveu sem culpa ou referencia de natureza sexual. No segundo caso o vício se estabelece pelo excesso da prática masturbatória.

O interessante é ver que os maiores dos consumidores de pornografia são pessoas com esses dois tipos de histórico psicológico.

Eu, por exemplo, que nunca gostei de fantasia, mas apenas de coisas reais e concretas, desde adolescente que jamais me animei com filmes ou vídeos de tais naturezas.

Ao contrário: tais imagens sempre me pareceram sem graça e fakes; sem prazer verdadeiro e sem graça sexual alguma; sendo apenas uma barata e estereotipada sessão de gemedeira sem verdade e sinceridade. E mais: tudo feito de gritos sem alegria; de prazer sem orgasmo; de beijo sem afeto; de posições sem alma; e de “Yes, Yes, Yes” — que significam apenas algo como “Vem que o tempo acabou!”

É como ver robôs transando!

A cura para isto começa na consciência do fenômeno e de como ele se instalou em você e em você se alimenta!

Creio que hoje já lhe dei uma boa ajuda quanto a iniciar o processo de auto-percepção de sua situação!

Agora, sugiro que você leia aqui no site [www.caiofabio.net] uma imensa quantidade de textos já escrito em resposta a Cartas que em muito precederam esta sua; só que retratando as mesmas angustias. Leia esse material e você se ajudará imensamente.

E mais: não fique se comparando a ninguém, pois, você, não sabe nada além do que você sente. Cada um leva seu próprio fardo; e cada qual sabe que o que sente é só seu, e de mais ninguém.

Pense no que lhe falei e busque a ajuda que está literalmente à mão.

Nele, em Quem você pode viver em paz e satisfeito,

Caio

12/05/08

Lago Norte

Brasília

DF