Português | English

Cartas

COMPULSÃO POR  FALAR…

COMPULSÃO POR FALAR…

 

 

  

 

 

  ----- Original Message -----

From: COMPULSÃO DE FALAR…

To: contato@caiofabio.com

Sent: Monday, December 17, 2007 07:13

Subject: Precipitações

 

Caro e amado Pastor Caio Fábio,

Sou da cidade do Rio de Janeiro.

Ultimamente tenho sido muito abençoado pela palavra de Deus, que é o Evangelho, ministrada através de você.

A questão é que tem aspectos de nossas vidas que parecem insolúveis.

Eu brigo contra mim mesmo contra elas.

Estou falando de precipitações e pulsões.
Sabe amado pastor, estou inteirado sobre muitas coisas a cerca do Evangelho, tenho pagado o preço de vivê-las, mas a alegria do Senhor tem sido minha força. Só que não consigo raciocinar para responder com precisão, sou muito emotivo (alma) e tenho dificuldades de subjugar a minha alma ao meu espírito. Isso é difícil.
Quero o maior tesouro, que é Deus. Sair em breve, do casulo, dessa crise, crisálida.
Só para se ter maior entendimento do que falo, um exemplo simples ocorre entre mim e minha noiva. Ela diz que devo pensar antes de falar algo, procurar ser esclarecido. Mas, não tenho conseguido. Isso desgasta qualquer relacionamento.
Enfim, meu irmão, busco a cura. Ressalto que quero viver a plenitude do evangelho.
Identifico-me muito com Pedro.
Um grande abraço e obrigado,

_______________________________

Resposta:

 

Meu amado mano: Graça e Paz!

 

Jesus disse que realmente a língua é perigosa. Ele falou de como as palavras frívolas podem fazer-nos mal e a outros. Entretanto, no Novo Testamento, foi Tiago, irmão de Jesus, quem mais falou sobre o mal da língua.

Leia a epístola de Tiago por inteiro e medite no que ele fala sobre o poder da língua. Além disso, peço que leia o livro de Provérbios todo fazendo a mesma coisa.

Controlar a língua e as palavras é o exercício mais difícil ao qual um ser humano tem que se impor.

Quem aprende a controlar as próprias palavras é mais forte do que aquele que tem poder para conquistar uma cidade fortificada — diz Provérbios.

O “temor do Senhor”, diz Provérbios, consiste, entre outras coisas, em controlar a língua.

Além disso, o controlar a língua deve dar lugar à capacidade de ouvir. Ora, ouvir é um modo de falar muita coisa, embora a maioria não creia nisso.

A compulsão por falar o que vem à cabeça é filha da impaciência e da ilusão de que se a pessoa não falar não terá participação responsável na vida — isso no caso de quem não tem a intenção de falar para destruir.

Desse modo o falar compulsivo é neurose. Sim! Quando esse falar é fruto de se buscar ter uma presença de opinião em tudo, esse tal falar é neurose. Assim, a pessoa fica inquieta e angustiada se não fizer ou falar ou expressar o que crê.

O grande exercício para quem não sabe não falar é transformar a compulsão de falar em atenção no ouvir e em oração a Deus.

Assim, diante das pessoas ouça e diante de Deus fale!

Por outro lado, quem não sabe deixar de falar também evidencia falta de confiança em Deus. É como se a vida só tivesse jeito se nossas palavras fossem ouvidas...

Não estou sugerindo que você fique mudo. O que estou dizendo é que você deve daqui para frente dormir sobre as suas opiniões e conversar sobre elas com a sua noiva, e, assim, checar suas opiniões ou o “timing” delas com gente que ama você e não está interessada em ver você se desgastar como você vem se desgastando.

Até o tolo quando de cala passa por sábio” — diz Provérbios.

Leia os evangelhos e veja a quantidade de vezes que Jesus calou, ou fez silencio, ou passou sem dar opinião acerca de tantas coisas.

Gente como você lê acerca dos “silêncios” de Jesus e não entende. Às vezes até se pergunta: “Mas como pôde Ele nada dizer?”

Jesus também disse “muito teria ainda a vos dizer, mas vós não o podeis suportar agora”. Ou seja: até a verdade deixa de ser verdade quando falada de modo insensato e fora da hora. A verdade é também o modo e tempo.

Entretanto, saiba: à semelhança de Pedro você também aprenderá a se conter.

O pior mal da Terra é a língua do homem!

Uma língua solta é pior do que uma metralhadora giratória; e seu mal pode reverberar de geração em geração, fazendo males viverem por muito tempo.

O que lhe falta não é conhecimento, mais sim contimento.

Conhecimento sem contimento de nada vale, pois, sem amor e moderação nada que seja verdadeiro será, todavia, sábio.

Pense com todo carinho no que lhe digo.

Ah! Nós temos Estações do Caminho aí no Rio. Se você desejar se integrar a uma delas me escreva.

Um forte abraço!

 

Nele, que é o Verbo e nem por isso esbanjou palavras,

 

Caio

17/12/07

Lago Norte

Brasília

DF